Depoimentos



Conheci Synara há aproximadamente 6 anos, quando decidi ter meu primeiro cachorro. Como marinheira de primeira viagem, não tinha a menor noção dos cuidados básicos que devemos ter, tais como vacinação ou vermífugo. Na ânsia de passear com a Mila, fui com ela em parques antes dos 6 meses. Como conseqüência, a Mila contraiu sinomose e ficou muito mal. Por indicação de uma amiga, procurei pela Synara. Graças a seu trabalho, sua competência e a facilidade que tem em passar, com detalhes, os cuidados que devemos tomar, a Mila completará em outubro 6 anos. De lá para cá, já adotei 3 gatos e um cachorro de rua, todos vindos da Synara. Aprendi que além de carinho, devemos ter muito respeito com os animais, no sentido que são bichos e não seres humanos. Que devemos dar limites. Que a comercialização de animais em feiras só estimula o comércio e dificulta a adoção de animais. Aprendi sobre doenças e me arrisco a procurá-la já desconfiando de algumas, através dos sintomas. Aprendi a não me desesperar quando algum dos meus se machucam. Aprendi a amar ainda mais os animais.

Posso afirmar com toda a certeza que os meus bichos estão super seguros em suas mãos. E ganhei uma grande amiga.

Marlova Oliveira
Relações Públicas
…………………………………………………………………………………………….

 Durante alguns anos que, como veterinária ou amiga, desfrutei da companhia da Synara tive a certeza de uma coisa: sua inquietude diante das adversidades só a conduzem para a busca constante de respostas e contribui para que o nosso mundo se torne mais humano. Sua preocupação com a retidão profissional e o correto encaminhamento de seus procedimentos revela um respeito admirável pela sua população de “clientes”, que nunca deixa a desejar, tanto referindo-se ao mundo animal como à realidade humana.
Ressalto sua busca constante de conhecimento e de conscientização das pessoas com as quais tem alguma forma de troca, no sentido do cuidado da natureza tal como é. Esta luta que faz parte de seu dia a dia tem revelado a vencedora que tem dentro de si mesma.
Parabéns Synara, e me solidarizo contigo.
Um forte abraço,

Vera E. Hartmann
Psicanalista

…………………………………………………………………………………………….

Da vastidão de Synara

Conheci Synara Rillo há uns cinco anos, indicada por uma colega de trabalho também “gateira”. Eu vivia um momento bastante doloroso: Chico, o gato que havia sido protagonista e testemunha de quase uma década de minha vida, estava gravemente enfermo e, para piorar, minha atividade profissional era particularmente intensa nesta época, de forma que não podia lhe dedicar todos os cuidados. Encontrei na veterinária Synara a orientação segura, o trabalho dedicado e competente, assim como uma delicadeza impar, não só durante o longo tratamento como quando meu felino partiu. Daí por diante, sua inteligência aguda, sua habilidade com as palavras escritas e ditas, sua solidariedade e humanidade inesgotável conquistaram em definitivo minha amizade e admiração.
Quando adotei Luiza e Bento, os felinos que me acompanham, Synara sempre esteve presente, compartilhando seu conhecimento e disponibilizando sua competência com uma generosidade escassa nos dias de hoje.
Como sua cliente e amiga, considero um privilégio poder acompanhar os caminhos e as veredas de suas pesquisas, de seus estudos, de suas descobertas. Ainda mais que Synara não é uma só. A veterinária é sua face pública mais conhecida – essa profissão que ela exerce com o amor que só dedicamos às nossas verdadeiras vocações, como forma de retribuir à humanidade – e, para além dela, a todos os seres – os benefícios de um saber. Sua complexidade como pessoa torna-a ainda mais rica. Synara é pesquisadora, trilhando de forma independente caminhos que são sempre custosos e difíceis tanto quanto instigantes. Synara é poetisa, exercício no qual revela uma sensibilidade e um talento que testemunham o quanto seu encantamento pelas palavras é correspondido. E Synara é também filósofa, com suas capturas da vida cotidiana, com suas inquietações que atravessam tempo e espaço, com suas reflexões verticalmente profundas e quase sempre desconcertantes. Quem lê seu livro Cães, donos e dores humanas se defronta com sua vastidão: veterinária, pesquisadora, poetisa, filósofa, pessoa. E agora também aqui, neste espaço aberto por ela.

Marta Cioccari,
Jornalista e doutoranda em Antropologia (MN-UFRJ)