Insuficiência Renal em gatos – a História do felino Bresson


DSC00287.JPG BressonO tema que trago para essa históra não terá um enfoque clinico direto  na patologia citada, embora vou comentar situações fisiológicas e alterações nesses orgãos. O que pretendo levantar como questão reflexiva sobre essa história que vou relatar,  é o exercicio do desapego que os animais de companhia podem nos ofertar como aprendizado;  e o exercicio da ética para aqueles que dão o suporte para tais animais, entre eles os Médicos Veterinários. Belos exercicios. Os colocar na ação prática, diária e cotidiana é bem dificil. Por isso a necessidade que temos de “exercitar”  a vida. Compete a cada um em particular encarar todos os desafios que o viver trás em suas particularides de individuos. Para alguns, esses desafios deixam alegrias ou amarguras ( como se a vida fosse apenas esses dois extremos), para outros,  mostram que a imprevisibilidade do viver é soberana sob nossos olhos e corações,  e por isso aceitam melhor esses exercicos que citei: desapego e ética.

Vamos a história de Bresson:  Ele era um gato da raça Persa, pelagem branca com 14 anos de idade. Sua proprietária é Vera Guimarães, minha cliente de quando eu clinicava em Porto Alegre. Nem recordo se eu já havia atendido o Bresson; lembro bem de ter feitos consultas para a gata  ” Nega”  e para  mais dois gatinhos que ela  adotou,  e eu os castrei –  algo assim, não recordo muito. Mas  a Vera sabe bem quem eu atendi dos animais dela. Pois alguns dias atrá,  recebo uma ligação no meu celular de Porto Alegre,  e era a  proprietária do felino Bresson pedindo algumas orientações sobre a situação do gato dela. Como trabalho com consultorias on-line,  disse a ela que eu podia ajudar apenas dessa forma, orientando-a em como agir nos  manejos e ajudando a interpretar os exames do Bresson,  que ela já tinha em mãos, pois já tinha recorrido a um atendimento Veterinário, mas não percebia melhora no gato, etc.

Meu primeiro pensamento foi: Se deram como diagnóstico Insuficiênca Renal Crônica nesse atendimento clinico que fizeram ao Bresson, e ele com 14 anos de idade, com quadro de anorexia e  ictericia por que não examinaram rins por palpação abdominal? Iriam encontrar uma  atrofia ou hipertrofia - se fossemos pensar em Rins Policisticos,  patologia essa que os gatos da raça Persa são predisposto geneticamente. Outros pensares foram: Por que prescreveram de forma indiscriminada e sem relacionar estado clinico com necessidade real do medicamento  chamado Fortekor ?  Saibam, primeiro a estabilização do paciente,  depois os protocolos de manutenção medicamentosa. Por que não fizeram uma ecografia abdominal, talvez mais fidedigna para encerrar de vez o caso,  e nem precisar partir para maiores exames em face da suscetibilidade dos felinos em ficarem sobre profundo estresse quando manejados, alterando  muitas vezes  padrões fisiológicos nesses resultados bioquimicos.

Pensei, também: E  o  exame clinico , a história clinica bem feita, a observação comportamental dos felinos, seus estresses,  suas idades, estão onde? Em detrimento de um simples medicamento que diz: “ indicado para…”?  Conhecem bem o principio ativo desse medicamento em sua ação fisiológica? Estaria apto à metabolizção e  à compensação quimica por uma droga  que retém proteina e sódio  e que altera  a pressão sanguínea no organismo, o gato Bresson?

                                          001.jpg gato bresson           Pensava tudo isso,  enquanto transcorria minha conversa com a Vera sobre a situação do Bresson. Pelo relato clinico que ela fez das condições em  que ele se encontrava,  que eram: prostado demais, olhos fundos, fraco, cambaleando, anoxérico ao extremo e  tomando muita água – mas urinando sem maiores quantidades em contrapartida da ingestão excessiva  de água  – pensei em desidratado e anêmico o estado dele naquele momento em que a dona dele me descrevia o comportamento do seu gato.

Interpretei o exame buscando densidade baixa da urina por que a IRC já faz isso por si só;  busquei anemia no hemograma –   e tinha,  mas era moderada pelo sinal laboratorial. Vejam bem:  Sei da dificuldade de pulsionar jugular de gato desitratado, magro anoréxico, muitas vezes  vem pouco sangue e “desregulação” da  quantidade minima de sangue versus anticoagulantes no frasco do laboratório. Essas coletas  – ou tentativas delas - podem  alterar padrões bioquimicos. Se tivessem medidos reticulócitos poderiamos caracterizar melhor a anemia da Insuficiência Renal Crônica .  Os reticulócito são células que nos indicam se o organismo está conseguindo “ produzir  sangue (via medula) ou se está arregenerativo. Se temos esse dado já partimos para um mau progostico e sobrevida curta a um felino  assim como estava o Bresson.

De resto seus exames eram padrões dentro da situação de anorexia e desidratração: densidade  da urina estava em 1018, achei alta para um gato com Insuficiência Renal ( geralmente é baixa a densidade nas Insuficiências renais)  associei com o estado geral dele e atribui essa densidade alta para o padrão do Bresson,  a uma desitratação e a uma concentração de células que apareciam na  amostra da urina: leucócitos e hemácias em grau compativel com infecção;   um ph alcalino, em 6,5;  tudo indicando que além da insuficiência havia uma infecção renal associada ao mau estar geral do Bresson. Chamava a atenção leucócitos em quase 16000 no hemograma, podendo reforçar esse quadro infeccioso oportunista.

                                      005 (2).jpg BREsson magro              Depois de ler os  resultados dos exames que ela  enviou-me por e-mail,   fui clara com  a Vera sobre a dificuldade do Bresson em sair dessa, mas que podiamos pelo menos tirá-lo do quadro de prostação por essa infecção oportunista que se instalava. E que não aconselhava a repetir mais os exames em face da magreza dele  – ela enviou-me fotos dele em posição para melhor avaliar perda muscular e gordura – que só iriam judiar dele. Mas que não deixasse ele morrer “à mingua”, que de fato era o que estava acontecendo com o gato dela. ( Vejam a foto  e imaginem esse Persa molhado: somem os pêlos! Ele está em “ pele  e osso”. )

Com isso sugeri de imediato uma alimentação forçada com receita caseira equilibrando a nutrição do gato anoréxico e seus  danos metabólicos evidentes. Aqui vale uma boa observação para alimentar gato anorexico por IRC: baixa ingestão de fósforo! Os rins com incapacidade de filtração tem fósforo retido no organismo causando um evidente desequilibrio cálcio- fósforo,  trazendo danos amplos às celulas, inclusive ao miocárdio.  Devemos dar proteinas  que sejam de alto valor biológico para melhor compensação dessa perda, pois os aminóacios com alto peso molecular (  mas baixo valor biológico) podem precipitar danos renais. Mas não retirem  a proteina dos seus pacientes com IRC. Carne vermelha é rica em fósforo, portanto atenção! Nessa “papa”  nutricional que sugeri para ela dar para o Bresson, solicitei que fosse liquida mais do que pastosa para faciliar a passagem pela seringa para dar por via oral,  e para hidratá-lo, da mesma forma. Em horários alternados ele tomava um caldo de galinha com  pitada de açúcar e um levissimo sal. Solicitei ingestão incial de 2 em 2 horas dessa papa nutricional. Recomendei amoxiclina com ácido clavulônico por via oral de 12/12 horas por 10 dias seguidos para a infecção renal associada;  e para proteção hepática por que tal ssitema devia estar sendo afetado junto, evidentemente. Um dado bom e padrão que devem saber: creatina tende a ficar alta ( 6,8 a do Bresson) e depois pode estabilizar ou ter picos intermitentes. Esse é o cuidado maior com ingestão proteica na IRC e não somente o peso molecular das mesmas. Proteina vira amônia que vira uréia que produz  creatinina que é excretada pelos rins. Se  os rins não filtram direito, acumula-se amônia no figado causando estragos intensos e em variados orgãos, não apenas nos rins e sistema hepático, um desses estragos é   a necrose de lingua e mucosas pela uremia oriunda da amônia retida e em excesso.

Com tudo isso em mente e com essa prescrição baseada na minha experiência pude oferecer um final mais tranquilo para o gato Bresson – que  claramente indicava uma patogia renal (IRC terminal)  –  e para que a Vera ganhasse tempo , paciência e compreensão sobre a gravidade do animal que a acompanhou por 14 anos. Sei das dificuldades de alimentar um gato velho que está com total inapetência , e isso a proprietária do Bresson fez com todo o amor e dedicação. Por 15 dias ele obteve uma melhora no quadro clinico comprometido pelas devastações metabólicas que uma Insuficiência Renal Cronica Terminal ocasiona. Voltou a ficar mais alerta, a caminhar sem cambalear, interagiu com seu meio social, tomava água e procurava seu natural repouso por tamanha debilidade fisica.

Durante esses 15 dias em  que ele estava sob recuperação de complicações da IRC mantivemos contatos direto, eu e  a Vera, dona do gato Bresson. Pois no final dessas duas semanas recebo uma ligação dela no  meio da tarde  colocando-me a situação clinica do Bresson: prostado demais e lambendo piso ( ou parede). Pedi que ela abrisse a boca dele e examinasse a cavidade. Voltou dentro de poucos minutos e  disse-me: “ Ele não deixa, está com os dentes “cerrados”, não abre a boca. ”  De imediato, disse a ela: “ Ele está mal. Procura um colega para avaliar tudo isso, mas acho que  é dificil reverter , agora , Vera. ”  Assustada com o que eu dizia decidiu ir, imediatamente,  procurar um local com atendimento Veterinário.

 Mas não retornou ao primeiro local onde apenas, e tão somente, fizeram o diagnóstico, “furaram” o gato de tanto puncionar o que já não devia ter mais condições de vasos,  e indicaram uma medicação  para IRC, que naquele momento e situação não teriam  maiores beneficios, inclusive , podendo , nos primeiros dias de uso do medicamento termos elevação da creatina o que sinalizaria necessidade de monitoramento dessa enzima por meio laboratorial ou sintomatológico. Achei esse atendimento tão displicente e tão sem sentimento;  sem a ética do coração, pois essa vale – e muito –  quando alguém exercita o desapego por meio das perdas,  como acontece com alguma pessoa que está prestes a perder seu bicho de estimação. A ética monetária, melhor nem entrar por essa questão, mas em muitos casos de atendimento aos animais de companhia há exageros puros e descarados. 

Vera solicitou-me  a indicação de um local que pudesse ser de confiança para avaliarem o Bresson. Indiquei uma colega que atende bem e trás seriedade nesse atendimento. Minha  intenção era que a colega desse o veredito final por meio do exame clinico, pois pela história clinica e exames eu sabia da dificuldade do caso. Eu já pensava em eutanásia com intuito de aliviar o sofrimento desnecessários aos sentidos alertas de um gato.

 E,  de fato, dentro de uma hora depois recebo outra ligação de Porto Alegre e era a Jane, minha colega, que estava com o Bresson na mesa de atendimento  e com a proprietária dele ao lado. Foi clara e concisa: - “Atrofia renal, Synara. Anemia em grau avançadissimo, perda de massa muscular intensa. Nem vale a pena custos com ecografia, apalpei e os rins estão muito pequenos ( nesse caso é a fase terminal da IRC – os rins ficam bem pequenos. Com exceção da patologia “Rins Policisticos, onde os rins ficam hipertrofiados). Eu penso que a eutanásia seja mais indicado , agora,”   disse-me a colega.  Concordei com ela , que eu pensava assim, também, e que a Vera confiava em mim e que ela compreenderia essa necessidade de compaixão com o companheiro felino dela de 14 anos.  Pedi para a Jane dizer isso a Vera e que depois ela faria contato comigo.  Eutanásia feita.

Era hora do entardecer e tocou meu telefone residencial - que já havia fornecido para a Vera para mantermos contato direto enquanto eu a orientava no caso do Bresson – e ouço a voz chorosa e triste da Vera. A consolei com palavras  de empatia, mais que tudo, pois sei o que são perdas – de vários valores e impactos – e nessa hora o ombro amigo é  aquele, que,  realmente,  se coloca no lugar do outro e tenta dimensionar o que o mesmo sente. Procurei, também,  levar consolo por meio das explicaçães que nós, profissionais da saúde, temos condições de dar em casos terminais, de ciclos cumpridos,  que todos os seres vivos trazem nesse planeta.  É esse valor que os que exercem a profissão de Veterinários de pequenos animais devem pontuar: Sempre por detrás de um bicho de estimação há um coração humano que pulsa por sentimentos. O coração de um animal pulsa por instintos,  a força motriz que os move, como um todo. Compaixão a eles quando essa energia se esgota.

Termina aqui essa história que vivi e partilhei com uma pessoa e um bicho. O que tenho para provocar como reflexão com esse caso clinico que vivenciei?  A primeira de todas,  é a frase com que encerrei esse relato do gato Bresson: sentimento humano na atuação de Clinicos Veterinários. Vejamos os donos dos animais como seres que são sentimentais; conheçamos a essência comportamental das espécies que vamos atender para compreender melhor como manejar essas questões todas que envolvem doenças crônicas terminais em gatos e cães idosos. Penso que alguns colegas deviam estudar mais e ler menos manual de laboratório.  Penso que a Medicina Veterinária na área de cães e gatos é muito mais mercantilismo do que vocação genuina. Virou moda e “dá dinheiro” nossa profissão, essa é a verdade! O coração do dono e o respeito aos limites dos animais como pacientes,  e suas fortes particularidade de auto recuperação devem ser revistas e pensadas, senão não faremos jus a profissão. Cães e gatos não são mercadorias, embora tenham alta cotação social no cotidiano humano.  Pobre bichos!

007.jpg gatos em harmonia  Outro ponto que reflito:  O apego e ilusões que os proprietários têm pelos seus animais não devem ser exacerbados,  pois traz danos sentimentaiss a esses donos  e danos emocionais sensoriais aos animais, de uma forma ou outra,  nessa relação estabelecida. Vamos amá-los como seres que nos beneficiam. Se soubermos amar por respeito a uma espécie  e sem fazermos falsas projeções afetivas sobre eles –  e com eles –  maior será a capacidade de compaixão, afeto, companhia, alegrias ,  e um fim de ciclo tranquilo para aquele amigo especial que se vai. Foi-se o Bresson, mas por certo deixou ensinamentos preciosos a Vera e sua familia que convivem de forma amorosa e respeitosa com seus animais de estimação.

Eu e meus pensares…

Até o próximo.

54 Comentários


Juliana Coelho
em

Dra.Synara Parabéns por mais um artigo.Fico encantada como voce eleva e pratica a nossa profissão.

grande abraço
Juliana Coelho



Tatiana L. Guimarães
em

Dra. Synara,
Realmente ter um animal de estimação se tornou mais um “comércio que dá muito dinheiro” para alguns profissionais (Veterinários).
Nossa maior preocupação como leigos é como identificar um profissional que realmente quer a melhora de nosso bichinho ou quer ganhar mais alguns pontos com certo laboratório ou marca de ração.
Infelizmente não entramos em contato com a Sra. assim que o Bresson adoeceu, mas com certeza isso não se repetirá com os nossos demais “filhinhos”.
Agradeço a Sra. e também a doutora Jane por todo o auxílio nesse momento que passamos, principalmente o apoio a minha Dinda (Vera Guimarães) e de certa forma o apoio que deu a nós.
Obrigada por TUDO MESMO!!!
Abraço
Tati (sobrinha da Vera e dona do Pequinininho, o gato meio tigresa da última foto)



Laura Lima
em

Perfeitas colocações. Nos faz para e refletir.
Como já disse em outras ocasiões, você é uma profissional diferenciada, seja pelo vasto conhecimento profissional que possue, seja pela sensibilidade que tem.
Ainda bem que você existe.
Abraços,
Laura



Teresa
em

Querida amiga , mais um belo artigo.Este caso me fez lembrar o caso do Bolinha, que felizmente teve um final feliz graças a ti.
Abração de saudades
Teresa



Vera
em

Dra. Synara.
Gostei muito do artigo sobre o Bresson. Sinto muita falta dele, pois o Bresson sempre foi um gato mimoso e carinhoso com todos, curtimos bem os quatorze anos dele. Muito obrigada por tudo, inclusive pelo ombro amigo.

Abraços.
Vera L. Guimarães.



Harry Junior
em

Synara querida: Sempre bom apreciar teus artigos! beijão!!



Synara
em

Ola Juliana.
Obrigada, colega.
Abraço
Synara Rillo



Synara
em

Ola Tatiana.
Obrigada pelas palavras. Pois é, gatos lindos o de vocês. Gostei da posse dos dois.
Abraço fraterno
Synara Rillo



Synara
em

Oi Laura.
Obrigada pelas palavras postadas aqui. Que bom que pude atingir meu objetivos primeiro com o texto: Refletir sobre nossas ações e sentimentos.Valeu.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Synara
em

Oi Tereza.
Muita saudade mesma de vocês todos dai. Porto Alegre foi meu chão para algum aprendizado nessa vida e na profissão. Fico com o coração “mui” contente de saber que posso contribuir com meus pontos de vistas a todos que curtem seus bichos em essência. Sem a falsa “viadagem do mundo pet”, não é mesmo?
Grande abraço.
Synara Rillo



Synara
em

Oi Vera.
Que bom que gostaste do artigo sobre teu gato. Melhor do que ninguém, tu podes avaliar tudo o que foi e o que significa uma perda de um gato que te acompanhou – e a tua familia – tantos anos. Sigamos em frente, as perdas também nos fortalecem, embora pareçam, em um primeiro momento, que não. Falei com a Valéria, quando estive na Casa Espirita de Ramiro, semana retrasada. Recebi o teu recado, por meio dela, para me agradecer pelo texto. Valeu. Mas gostei de teres postado aqui, também.
Abraço
Synara Rillo
Médica Veterinária



Synara
em

Oi Júnior.
Valeu, colega e amigo.
Abraço.
Synara Rillo
Médica Veterinária



adriana
em

Vc realmente acredita em ética??????fica julgando colegas através de msn,email e ligações telefonicas.Doutora o atendimento clínico pessoal é soberano.



synara
em

Ola Adriana. Quero deixar claro, que a discussão sobre a AÇÃO ÉTICA requer um profundo conhecimento sobre filosofia, direito ( juridico)e, até mesmo, conhecimento de cunho religioso-social. A ética colocada sobre uma visão classista é a que é perigosa…Se tua singela opinião sobre minhas atitudes como profissional entra por esse viés, não me leve a mal, mas não vou entrar em discussão contigo. Não faça sua critica, talvez, baseada apenas no: ” Dizem que ela atende até por telefone!” ( E cuidado, para alegares isso terás que me confrontar mais de perto..atenção no que falas! A internet na minha visão e postura não é uma terra sem lei…Atenção, Adriana!). Não sei onde te atinjo para teres essa posição, penso ( me corrija se estiver errada)que tenhas algo relacionado a profissão de Veterinária; se fores colega, fique bem tranquila por que minha intenção com meu site e consultorias não é fazer concorrência, derrubar ou fazer jogos de egos. Não faça VOCÊ julgamentos precipitados! Tenho tantos outros textos publicados no site que podem te mostrar o quanto coloco meu coração aqui para ajudar aos que precisam. Mas tenho coragem de dizer uma coisa: Eu me dediquei na profissão! A ponto de ter a consciência bem tranquila de que posso ler um relato e opinar sobre qualquer caso clinico, “derrubando” a tal soberania do atendimento clinico pessoal. Há que se ter muita força para enfrentar uma “falsa ética classista”, e isso tenho de sobra, Adriana. Mais vale um atendimento on-line do que uma rasgada incompetência baseada na ética que defendes…Não sou eu que digo ou invento isso, mas que há uma distorção de valores dentro da profissão de Médico Veterinário, isso há! Se tiveres tempo, paciência e inteligência tenho vários outros artigos postados no site que podem te dizer mais sobre quem sou e qual minha verdadeira finalidade com tudo isso. O teu comentário pode soar como inveja…minha postura não…quero apenas ajudar a dignificar a profissão de Médico Veterinário. Mas para os invejosos – ou incompetentes – minha forma de ver a profissão soa, sim, como alguém que quer aplausos…Contigo a palavra, Adriana…
Abraço fraterno.
Synara Rillo
Médica Veterinária



Maria Fernanda Pinto
em

Dra. Synara Rillo
Chamo-me Fernanda, sou portuguesa e vivo em Portugal.
Encontrei o seu texto sobre o Bresson por acaso, ou melhor, porque passo umas horas na net a procurar forma de ajudar a minha gata e tentar compreender o seu estado. Ela tem 18,5 anos e criei-a desde poucas horas de vida. É acompanhada por uma veterinária, dedicadíssima, de há 20 dias para cá, mas a verdade é que não se consegue ter um diagnóstico claro. Talvez se trate de IRC, talvez seja outra coisa, ou tudo. Neste momento está mal e penso que não irá vencer a batalha mas o dono nunca se conforma.
Não quero abusar do seu tempo e paciência. Desejo unicamente perguntar se tem disponibilidade para analisar o caso. Se me responder afirmativamente envio-lhe toda a informação e história clínica.
Se não puder, agradeço-lhe na mesma e desejo-lhe felicidades e que continue com a mesma postura nessa bela profissão.
Atentamente
Maria Fernanda Pinto.



synara rillo
em

Oi Maria Fernanda. Ja te respondi por e-mail. Às vezes seleciono aleatoriamente uma postagem e quando a leio para aprovação no site já respondo de imediato. Espero que tua gata Luca tenha dias mais tranquilos e serenos pela frente. 18 anos e meio de idade é velhice para um gato, e ai tudo fica mais dificil quando adoecem dessa forma. Fique bem você, da mesma forma.
Obrigada pelas palavras de incentivo no site.
Abraço fraterno.
Synara Rillo
Médica Veterinária



taiana
em

Oi,
estava pesquisando sobre insuficiência renal em gatos e encontrei seu blog.
Tenho um gato de 18 anos,que começou a parar de comer e emagreceu mto (esta com 2,8 kg sendo que é um siamês grande), ele teve um abcesso e descobrimos que era um dente inflamado…foi retirado ele e mais 2 dentes.E em exames feitos se descobriu que a creatinina dele estava acima de 6…
a veterinaria falou para irmos tdo dia no consultorio para aplicar anti inflamatorios e soro, mas ele está muito triste e sofre mto tda vez que vai lá (tremendo..babando e vumitando),ela falou da possibilidade de fazer isso 2 vezes por semana…para prolongar a vida dele…mas queria saber se não é muito sofrimento…se adianta alguma coisa e se realmente ele viveria muito mais tempo fazendo esse tratamento.
obrigada



taiana
em

desculpa a creatinina esta 3,47

obrigada



synara rillo
em

Oi Taiana. Quando um animal tem confirmado o diagnóstico de Insuficiência Renal Ccrônica associado a uma velhice evidente, o prognóstico passa a ser desvaforável. Quanto ao caso do teu gato, temos apenas um dado que é um aumento da creatinina, mas que pode ser um sinalizador de que está havendo falha na filtração renal. É bem complicado quando um gato velho idoso, como o teu, adoece. Eles se ressentem muito com manejos que precisam ser feitos para medicação. Fazer soroterapia ajuda, sim. O uso do antiflamatório tem que ser revisto e ver como está a situação de antibióticos que ele deve – ou devia – estar usando. Quanto aos risn, em si, tudo tende a se complicar se , de fato, for uma Insf. Renal Crônica. É quase que ver um animal morrer à mingua, por que eles vão perdendo o apetite em face da anemia que a Insf. Renal crônica leva, há perda de musculatura, distúrbios dos ossos pelo alteração do cálcio e fósforo, enfim , vão surgindo complicações pela doença renal.
A decisão de eutanásia tem que ser bem analisada em casos como esses. Pode ser uma alternativa para alivo do sofrimento de um animal velho , doente e da espécie felina, que se ressente muito dos manejos clinicos e farmacológicos.
Por ai.
Desejo que tenhas bom senso para agir com teu gato.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



simone
em

Olá Dra. Synara,

Estava pesquisando insuficiência renal em gatos, buscando alguma explicação para o caso do meu gato e achei o seu artigo sobre o gato Bresson, parabéns pelo artigo pelo seu trabalho de informação. Hoje me encontro em uma situação muito parecida, meu gato tem 8 anos e teve um diagnóstico de IRC, a uréia está em 319 e a creatinina 10. Na ultra mostra um rim atrofiado e o outro cheio de nódulos. No estômago apareceu uma massa que não teve como identificar, está com cheiro de podre na boca, salivando muito, não tem feridas na boca, lambe parede, está anêmico e muito magro. Não estou conseguindo dar mais nada oral, ele fica engasgado. A veterinária suspeita de algum problema no estômago independente do problema renal. Há 2 meses atrás ele teve uma crise muito parecida(os exames citados acima foram feitos nesta 1ª crise) e saiu dela com soro injetável e medicação oral p/ estômago (Mylanta, Motilium, plasil e ranitidina), minha dúvida é se vale a pena insistir neste tratamento ou se este problema é decorrente do problema renal? ele está muito abatido e letárgico, não posso nem pegá-lo no colo que ele puxa vômito. Vc teria como ajudá-lo?

Grata,

Boa noite!



cristina
em

Olá, pesquisando doença renal cronica em gatos achei o seu site e queria te contar a estória do meu querido gatinho Ari Gatô.
Percebi que ele ficava quietinho no banheiro, não comeu mais, estava com cheiro de urina na boca e estava apático. Fui ao ao primeiro veterinário e fizemos exames foi quando constatamos a doença. Então, ele aplicou uma semana soro, primeiro na veia, depois subcutaneo pois perdeu as veias. Nada mudava no gato, repeti os exames e o veterinário pediu pra eu procurar o hospital que a siatuação estava bem grave. Começou ai o erro, eu nada sabia da doença e acho que uma semana sem resultados nenhum, já deveria ter ido ao hospital. Fui no pronto socorro e fui atendida pela veterinária que aplicou os primeiros socorros e internei o gatinho. Depois paguei um outro veterinario do proprio hospital especialista nessa doença que me disse que ele estava desidratado e precisaria ficar uns 3, 4 dias no soro internado e que nnao há receita dessa doença, cada gato reage de um jeito. Então, ele começou a comer e foi desinternado. Quando fui buscar achei estranho me liberarem, percebi que o cheiro não havia passado e que ele estava com cara de enjoado e o veterinário disse que ele estava com principio de anemia mas que eu podia levar. Eu perguntei se podia dar um remedio pro estomago dele ou pra enjoo e ele me disse que faria mal ao rim. Ok, levei e ao chegar em casa e tirar da caixinha, vi o gato cambaleando e ele não quis comer nada, então liguei imediatamente pro hospital eram tipo 18 hs e eles me retornaram umas 23hs e disseram para eu ficar com ele pelo menos 24 horas e eu insisti que ele n estava bem. No outro dia antes das 24 horas, levei de volta ao hospital, ele estava desidratado, pior do que nunca e com ulceras na boca, fizeram exames e mais tarde ligaram eles me disseram que o gato estava com 12 de hematocrito e que precisaria de transfusão e eu precisaria ajudar a achar um doador da noite pro dia. Imagina como estava desesperada com essa responsabilidade, só aqui tenho uma novela pra contar! Então, não entendi nada, um dia antes, eles me liberaram dizendo clinicamente estava bem e que anemia estava iniciando e menos de 24 horas precisava de transfusão.
Eles acharam um gato compatível e fiquei indignada como nem existe tipagem sanguinea pra gatos entre outras coisas. Bom, meu gato estava pele e osso e eu ia todos os dias no hospital e ele se levantava pra receber meus carinhos, eu fazia reiki nele tamebém. Mas ele não comia, o sangue não subia. Fiquei arrasada!! Era o gato mais ativo da internação e o caso mais grave também. Ia visitar, levava brinquedos, escovava e não me conformava que teria que fazer eutanasia com ele querendo me fazer carinhos, miando pra mim. Então depois de 10 dias internado, levei a ração dele e ele começou a comer umas 3 bolinhas 4x ao dia. Um dia o hematocrito estava 16, mesmo depois da transfusao, ele estava recebendo soro no hospital subcutaneo pois não tinha mais veias e começaram a dar o remedio pro estomago, ferro um pra um parasita e o hormonio. Detalhe, disse a eles quando fui internar a primeira vez que o gato comia pozinho de ferrugem de um portão de casa e eles disseram que a anemia dele não seria de ferro, mas li na bula do hormonio que um dos motivos pro hormonio n fazer efeito seria ele n ter ferro suficiente. Interessante o instinto do gato em querer o ferro. Eles me liberaram o gato pra casa pois eu poderia dar os remedios e fazer o soro em casa e que nada mais havia pra se fazer e que se o sangue não subisse, eles não iriam fazer outra transfusão. Então levei pra casa e pude ver o quanto fraco estava, o quanto estava magro, com cara de enjoo, cambaleava. Então comprei todas as raçoes existentes pra gatos pra ver qual seria que ele iria comer e ele só comeu wiskas sache. Então nos primeiros 8 dias, eu separava os outros animais, dava uma colherizinha de chá com a carninha amassada e ele comia só isso, mas depois de meia hora queria mais e eu fiz isso todos esses dias seguidos inclusive na madrugada. Amassava, dava na colher de meia em meia hora. O hematocrito subiu pra 23 na ultima sexta-feira. continuei todos os remedios, o soro todos os dias e o hormonio. Desde quinta da semana passada ele começou a comer muito, o dia todo, cerca de 4 saquinhos por dia e amanhã vou levar pra fazer novos exames. Posso dizer que gastei muito dinheiro, acho que tive mais bon senso que os medicos quanto a remedios, acho sim um p. comercio ser veterinario hoje em dia, passei por varios veterinarios, varias coisas erradas na minha leiga opiniao aconteceu nesse tempo todo. Mas agora, ele engordou, come, voltou a ter todos os habitos de antes, seu xixi n tem cor nem cheiro e sei que a qq momento pode acontecer de novo e deverá ser fatal, mas estou muito feliz com ele de volta e ele me retribui todo esse amor. Também fui muito recriminada por todos por ter gasto tanto dinheiro e tempo com um gato, mas valeu a pena, mesmo que seja por mais um tempo. Ainda tenho uns retornos lá, e se realmente o gato estabilizar, gostaria de ter uma veterinária que pudesse me ajudar a acompanhar e a dar todos os suplementos que o ajudem e tudo o que precisar. Hoje, olhando friamente pra situaçao dele, não sei mesmo como ele sobreviveu a tudo isso e eu insisti em não fazer a eutanásia e a gastar muito e me dedicar muito, mais o reiki pra tentar ter ele de volta. Não tenho uma conclusão ainda sobre tudo isso e sinceramente fico muito mal em saber qeu se alguém passar por isso e não puder pagar será fatal! Porque o mundo é assim? Bem, obrigada pelo espaço e se puder me indicar alguém em SP para este caso, agradeço muito!



NEIVA
em

DRA JANE, FEZ EUTANASIA NO GATO?Q PECADO.ESTOU COM UM GATO IGUAL AO BRESSON.SABE QDO VOU MATA-LO? NUNCA,VIVERA ATE O ULTIMO SUSPIRO POIS AMO OS ANIMAIS.



Synara
em

O Neiva. Cada um sabe de si e Deus de todos. Cada cabeça uma sentença e cada ponto de vista uma visão particular sobre a vida e os animais. Tomara que ele não morra à mingua, teu gato. Boa sorte.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Andressa
em

Oi, meu gato está com os mesmos sintomas, ele sofre de FLUTD, então em um desses tratamentos e dando antiinflamatórios o gato parou de comer, começou a vomitar, e qdo fomos ver ele estava com úlceras na língua. Corri para a vet. e ela começou a dar soro pra ele, ficou 2 dias tomando soro até que ela diagnosticou a uremia. Agora faz três dias que ele está tomando o remédio Kitosteril, mas ainda não está se alimentando direito, estou muito preocupada!!!



Synara
em

Oi Andressa. Pois é , uremia alta atesta gravidade e urgência médica. Tem que fazer ecografia do figado, também. E diferenciar se ele está fazendo uma Insuficiência Renal Aguda – que pode ser revertida quando retirada a causa – ou Crônica. Por ai o que posso te dizer.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Elaine
em

Oi dra. Synara,
Gostaria de parabenizar mais uma vez pelo excelente trabalho,não só do blog mas tb como veterinária,que não só faz por dinheiro,mas primeiramente por amor aos bichanos.Como vc mesma comentou,infelizmente ser dono de pet shop e ser veterinário hoje em dia é algo como uma máquina de dinheiro.Não posso afirmar,mas acho que em partes,o que ocorreu com meu gato foi talvez um pouco de incompetência ou até um pouco de falta de amor a animais,pois é o que me parecia quando vi o veterinário pela primeira vez.
Mas,como identificamos esse tipo de “profissionais”?Infelizmente,só saberemos passando pelas mãos deles.

Abraços e mais uma vez,parabéns.



Synara
em

Oi Elaine. Obrigada pelos parabéns. Mas apenas faço minha obrigação, se escolhi essa profissão tenho que fazer jus a ela da melhor forma possivel e com toda a dedicação. Pois é, faço sempre criticas construtivas sobre não associar vendas comerciais dentro de um estabelecimento Médico Veterinário. Mas se o o próprio Conselho de Medicina Veterinária aprova esse tipo de ação – mesmo que colocando algumas regras para isso (???) – imagina se vamos ter uma mudança tão cedo.
Obrigada pela participação nos site também.
Abraço fraterno.
Synara Rillo
Médica Veterinária



adriana
em

Boa Noite Dra Synara

Gostaria de ´parabeniza-la por sua atitude diante do tratamento e sofrimento de nossos pequenos…Fico triste em saber somente que este nao e o procedimento usual dos profissionais da area…Meu persa de 12 anos foi dignosticado com IRC, alem de ter a ALT altissima e problemas no coração, teve duas crises de paralisia nas patas traseiras com tanta dor que gritava, ficou so pele e osso pois nao comia, ate a agua eu lhe dava na seringa, os veterinarios me faziam ir todos os dias a clinica entupiram ele de remedios e soro e mesmo vendo que ele não melhorava insistiam no tratamento e eu sem saber o que fazer vi meu bebe sofrer ate o ponto dele se arrastar pois nao conseguia mas andar…ate o dia que ele so ficava de boquinha aberta pois nao conseguia mas respirar, ai tive que implorar pra acabarem com o sofrimento dele pois nao conseguia mais alimenta-lo e nao queria ve-lo morrer a mingua sofrendo tanto…Fez 2 meses dia 09 que meu bebe partiu, agora meu siames de 16 anos começou a apresentar anorexia, letargia, vomitos amarelados e perda de peso (perdeu uns 4 quilos em 5 dias, ele tinha 7)levei em outro vet, diagnostico:IRC, fortekor 5, soro todos os dias, alimentação forçada(KD Hills)cateter na pata muito stress e sofrimento do meu velhinho que nao quer comer de jeito nenhum e 9 dias depois a vet insisti no tratamento que nao ajudou em nada….Estou tao desesperada… nao sei mais o que fazer nem a que recorrer e nao consigo mas ver seu sofrimento….Gostaria de ter vet aqui como vc…



marcia barison
em

Dra,o meu gato de 16 anos esta com insuficiencia renal,ja não quer comer,queria muito a receita da dieta alimentar que passou p/ o bresser.ele não quer mais comer ração renal da royal,ele tem acompanhamento de veterinário,mas falta interesse no caso dele,pois p/ ele o gato é muito velho.me ajude por favor….



Synara
em

Oi Adriana. Obrigada pelas de incentivo. Compreendo tudo o que passaste e me solidarizo com tua dor. 16 anos é uma idade avançada para os gatos domésticos. Se já passaste por tanto sofrimento em ver teu outro gato sofrendo tanto, pensa bem se não é hora de ter compaixão e deixar teu gato descansar. Gato já é por natureza renitente a manejos clinicos, quando velhos ficam mais ainda. Se for IRC na idade dele é grave e daqui por diante virá apenas sofrimento.
Mais que isso me limito em te ajudar. Força!
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Synara
em

Oi Marcia. De fato 16 anos é uma idade avançada para um gato. Teria que ter os exames para saber em que grau já esta essa Insf. Renal. Há casos que não tem comida que resolva…Se ele está sofrendo tenha compaixão dele. Deixa ele descansar…tudo pode ser apenas tratamentos paliativos e sem chance de cura…Alivia a vida do teu gato velhinho, ele ja viveu tanto…Tenha coragem. E traga a paz para teu coração. Já passei por isso com um gato meu dessa mesma idade e optei em eutanásia para ele. Via o sofrimento nos olhos dele…me sentia egoista tentando segurá-lo por um fio de vida…ele recusando manejos…Os bichos não tem nada a resgatar nessa vida…nesses casos a eutanásia é o melhor amor para um bichinho velho e muito doente. Pense. A decisão terá que ser tua. Força e meu respeito por tudo.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Aline
em

Olá Dra. Synara,me identifiquei muito com a sua forma de ver, de sentir, de julgar e de escrever sobre o caso Bresson.Suas respostas aos leitores são muito corretas, ao meu ver. Fico muito feliz de ter lhe descoberto agora, pois estou prestes a deixar a profissão. Gostaria muito que você me permitisse contar o que está me deixando tão enfraquecida e com sua experiência e sensibilidade me ajudasse a enxergar o que não estou conseguindo. Também, tenho um gato de 3 anos que manifestou sinais clínicos e laboratoriais de síndrome urológica felina, com formação de cristais de estruvita, cistite hemorrágica e obstrução uretral. Na última obstrução dele, não foi possível reinstalar o fluxo de urina. Então me aconselhei com colegas e optei pela uretrostomia. Ele é “aleijado” e por questões anatomicas a cirurgia foi delicada. Mas, deu certo. Porém, observei que a hematúria passou a hemorragia em menos de dez dias, mesmo sob medicação. Nada fazia o sangramento diminuir. Fiz uma US e descobri que ele tem cistos em um dos rins e uma massa na bexiga sugestiva de tumor.Tenho estudado o caso pois não sei o que fazer. Aqui não há quem me de um orientção confiável. Ele está bem, padrões normais de ureia e creatina, tgo e tgp. Mas ainda sangra ao urinar. Se você puder, me ajude a escolher o melhor caminho para que eu o tenha por mais anos. Ele está muito bem, depois que eu orei pela cura dele, o Senhor me deu a graça dele voltar a comer, beber e brincar normalmente. Ele engordou e a cirurgia cicatrizou bem, com leve estenose no início mas que depois da oração, se resolveu. Tenho muita esperança dele viver por muitos anos.Mas o sangue na urina, me faz lembrar que a qualquer momento ele pode piorar de vez. Não quero que este dia chegue. Me ajuda por favor. Obrigada pela atenção.



Synara
em

Oi Aline. Acho que se há, realmente, um tumor e ele esta sangrando é caso de uma melhor avaliação disso. O cisto no rim depende de que tipo de cisto…Fico muito limitada em te ajudar baseada apenas nesse teu relato..Sinto muito.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



luiz carlos soprano
em

Temos um “filho” e “irmão” chamado Milo. Está com 16 anos. Tem IRC e passou por tudo o que o gatinho da Aline numa clínica. Sofreu muito. E está sofrendo agora aqui em casa. Cerra a boca, não aceita mais nada, olhar vidrado, vira-se apenas de um lado para outro. Escorrem lágrimas dos olhinhos dele. E dos nossos também. Se existissem mais pessoas com o sentimento humano e fraterno, assim como com a ética que lhe permeia, nossos bichinhos não sofreriam tanto. Parabéns por seres assim. Um forte abraço. Deus a abençoe sempre.



Synara
em

Oi Luiz Carlos. O Milo vai descansar…16 anos é cumprimento de ciclo de uma vida para um gato. Se viveu tanto assim ao lado de vocês é por que foi bem cuidado e amado. Lembre disso quando ele se for.
Abraço fraterno.
Synara Rillo
Médica Veterinária



Isabel
em

Bom dia Synara

Acabei de conhecer o seu site, e gostei muito.

Parabéns

Isabel Meira
Médica veterinária



Synara
em

Oi Isabel.
Obrigada e seja bem vinda.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Fernanda
em

Olá Synara tudo bem?

Preciso de ajuda, minha cachorrinha está com IRC e um tumor na boca (os vets acham que é um tumor).
Mas agora está internada pois dois dias atrás apresentou uns sintomas estranhos, começou a arquear as costas, andar torta, pernas traseiras cambalenado, não conseguia parar em pé e parecia estar com dor e contrações. O vet disse que os sintomas não tem nada a ver com o quadro dela. Ela está mt anemica, comendo só ração royal renal (come pouco demais) e tomando antibiótico e há uma semana estamos aplicando a eritropoetina. Notei que a partir desta última semama ela começou a acordar e ficar inquieta a noite e dois dias atrás teve esses sintomas que lhe falei. Gostaria de saber sua opnião, pois vejo que es uma experiente veterinária. Já levei ela em dois vet, a primeira vet inclusive é professora numa universidade da minha cidade e me recomendou hemodiálise. Mas aqui na cidade nem existe este recurso.

Agradeço mt se puder ajudar!
Abraços



Fernanda
em

Symara,

Esqueci de falar, minha dog tem 11 anos e também está tomando dois tipos de suplementos e diurético.

Fernanda



Fernanda
em

Symara,

Esqueci de falar, minha dog tem 11 anos e também está tomando dois tipos de suplementos e diurético. Já fez três exames de sangue e urina e no primeiro exame creatinina e ureia estavam bem altas e muito anemica. No segundo exame creatinina e ureia diminuiram, mas a anemia piorou. O resultado do último exame ainda não chegou.
E tudo começou com uma limpeza de tártaro ela foi parando de comer e notei uma bolinha na boca dela que começou a cheirar mt mal. Depois resolveram fazer os exames de sangue, quando descobriram a IRC.

Grata,

Fernanda



Synara
em

Oi Fernanda. Te respondi em outra postagem tua. Boa sorte com a tua cachorra.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Synara
em

Oi Fernada. Já te respondi em outra postagem!!
Synara



Fernanda
em

Boa tarde Synara,

Eu só comentei nesta postagem e por e-mail. Não encontrei sua resposta. Poderia me dizer onde acho? Gostaria muito de saber sua opnião apesar de infelizmente minha cachorrinha ter partido ontem. Ela piorou muito e se foi, estou muito triste mas com a consciência tranquila de ter feito tudo por ela até o último momento.
Abraços

Fernanda Sosa



Synara
em

Oi Fernanda. Tu tem postado em mais, sim. E com isso algumas eu deleto…Perder um cão de 11 anos não é motivo para afundar na tristeza de uma perda…Pelo amor de Deus…! Era tão somente um cão, antes de qualquer sentimento “neurótico” ( apego) que podes ter.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Paula
em

Bom dia Synara,

Parabéns pelo seu blog, muito elucidativo!
Gostaria de ver se poderia me ajudar com algumas informações….
Tenho um gato, Bial, de aproximadamente 4 anos e há cerca de 1 mês ele começou a urinar com um pouco de sangue e em quantidades pequenas, levei ao vet e inicialmente acreditava-se que era uma infecção urinaria e na ocasião foi ministrado norfloxacino por 7 dias entretanto 15 dias depois percebi que não havia mais sangue na urina mas ele comia e vomitava e urinava quantidades pequenas, levei novamente ao vet e meu gato ficou internado por 4 dias para fluidoterapia,dai diagnosticou-se IRA foi feita urinalise e havia algumas proteinas e celulas renais mas mesmo assim ele teve alta .
Fizeram também ultrasson dos rins e aparentemente não tinham alterações, apenas o estomago estava um pouco aumentado o que provavelmente estava causando os vomitos quando ele comia; na ocasião o vet ministrou 15 dias de omeprazou e o problema foi solucionado.
Ontem repetimos o exame de urinalise e ainda foram encontradas celulas renais e poteinas na urina de modo que o veterinario na segunda feira irá medir a pressão do Bial e fazer mais alguns exames de sangue (triglicerideos, colesterol, potassio, etc).Segundo o veterinario, a situação do meu gato ainda não foi estabilizada e o vet ainda não conseguiu encontrar o que estaria “agredindo” o rim do Bial. Estou muito preocupada com a demora em ter um diagnostico pois sei que problemas renais em gatos são uma corrida contra o tempo.Você poderia me dar alguma instrução ou algumas informações sobre a IRA.
Ah lembrando que no primeiro exame (há cerca de 1 mes atras a creatinina e ureia não estavam alteradas) e a partir de então passei a dar a ele somente a ração renal da Royal Canin.

Fico no aguardo e agradeço muito a atenção

Abs

Paula



Synara
em

Oi Paula. Eu acho que teu gato não tem IRA…E sim a Sindrome Urológica Felina ( uretrite, claculos vesicais, etc). Acho que tem exageros em cima do Bial…Precisam ir mais no foco…Bexiga. Por ai…
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



eliezil belo alves (fem)
em

Bom dia

Oi Dra. gostaria de saber se gatos com IRC demoram para morrer, pelo que estou vendo a doença maltrata muito. O que fazer para eles não sofrerem tanto. Sei que os rins não filtram mais por isso eles bebem tanta águas para compensar, até porque estão desidrataddos. Tem algum tratamento para amenizar tanto sofrimento, pois com a uréia alta eles ficam desorientados.Por favor me ajude.



Marcos Salgado
em

Olá doutora!
Parabéns pelo blog!
Estou iniciando esta jornada da IRC com minha gata Tuca, que tem 11 anos. No entanto, muito rapidamente, apos leva-la em alguns “genéricos” da etica classista, tive a sorte de conhecer aqui em Sao Paulo, o Dr Archivaldo Reche e sua equipe, especialista em felinos. Se bem a consulta eh cara, o suporte e acompanhamento, inclusive via email eh fantástico e tudo eh feito levando em consideração o paciente e nao a conta bancaria. Nada de exames em exagero, nada de estressar o bichano desnecessariamente.
Um 2012 cheio de coisas boas para vc!
Abcs
Marcos



Synara
em

Oi Marcos. Ë verdade, o Archivaldo é um baita profissional!! Fica a dica para quem é de São Paulo, e tem gatos, procurar o Archivaldo. Igualmente para ti um ano cheio de alegrias.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Tarciana
em

Boa Tarde, Dra.
Fazendo uma pesquisa sobre IRC vi a história do Bresson.
Nos meus estudos deparei-me com a seguinte situação: alguns autores dizem que o ideal seria a redução de protéina na dieta por esta ser a principal fonte de fósforo e outros já dizem que proteína faz bem “A proteína na dieta de pacientes com IRC é uma forma de regular o fluxo sanguíneo renal e aumentar a perfusão renal, preconizando-se para cães e gatos com IRC uma dieta protéica, com restrição de carboidratos.” Gostaria de saber qual o opinião.



Doraci
em

Bom dia, Dra
Li a historia do Bresson, estou na mesma situaçao. Meu Teko, está com 15 anos, apresenta IRC a 1an0 e meio. Estava tratando em casa com raçao com soro subcultaneo.Háuma semana ele piorou muito, está internado com creatinina a 10, emagreceu muito rapido, os hematrocito caiu pa14, foifeito uma transfusao e ele se recuperou, mas a creati-nina não está abaixando.Quero ele em casa a vet disse q.não o deixa sair tenho medo q morra lá, sosinho. Ele é muito apegado a mim. Tenho medo de tirá-lo e ele morrer, e ao mesmo tempo tenho medo de deixa-lo no vet e tbm morrer, mas sosinho!!!!!É dificil, só qm gosta mesmo de animais entendo o q nos passamos. Obrigada



Synara
em

Ola Doraci. Situação dura a tua…Mas com 15 anos e pelos dados clinicos que me passas dificil uma sobrevida longa….Quanto a deixar em casa junto a ti para morrer é uma decisão bem pessoal….Eu ficaria até o fim com um gato meu…ou faria eutanásia para parar de sofrer e ficaria junto dele até ele fechar os olhos para a vida. Por ai…penso e posso te ajudar.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Daiana
em

Dra synara
Estou desesperada.
Meu gato foi diagnosticado com lipidose hepatica apos exames laboratoriais.
Comecei o tratamento com antibiótico e Same manipulados em casa por orientação do veterinário. Ele ñ estava comendo ha dias. Apos dois dias de tratamento, ele começou a vomitar, ficou prostrado e com olhar vago. Resolvi interna-lo ontem num hospital chamado lorenzoni em Porto alegre. Levei ele no colo, quase desacordado de tão prostrado. A piora foi mto rápida. Lá foi avaliada e ele estava muito desidratado e com temperatura de 35 graus. Me passaram prognostico reservado e iniciaram com a soroterapia. Hoje vai fazer 24hs que ele está lá. Ainda nao reagiu a temperatura baixa e ainda esta desidratado. Disseram q assim q ele der uma melhorada no quadro irão iniciar com a dieta forcada ( sonda ). Estou preocupada pela falta de resposta a desidratacao e temperatura corporal. Demora muito? Ja teria que ter dado uma resposta? Estou com vontade de levar ele para a Dra Jane que é especialista em gatos ( vi que a Sra. Citou ela). Mas é mto longe da minha casa.

Me ajuda, por favor!



Synara
em

Ola Daiana. O caso dele me parece grave, com essa prostaçao e temperatura. Eu realmente conheço o trabalho da Jane para te indicar.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária


Comente