A solidão dos gatos


anoitecer em zimbros 012 A languidez que um felino possa aparentar dentro de sua cadência natural pode trazer aos amantes dessa espécie a idéia de que são espécies fragéis e carentes.  Isso,  se levarmos a definição de languidez ao pé da letra: frouxo, moleza, abatido e voluptuoso. Além disso, os gatos carregam por milênios o estigma de entidade que representa desde divindades até os demônios devastadores da plenitude humana.  Por esses atributos que o ser humano em  evolução social deram a espécie felina, ainda hoje, os gatos, esses ssimples -  e ao  mesmo tempo instigantes – animais,  são motivo de  louvor e repugno. Não há meio termo para quem olha um gato:  Ou é amado ou rejeitado. Diferente do cão, unanimidade como lealdade na sociedade do ser humano. Quando nosso olhar recai sob um espectro cruelmente solitário como dizem que o gato é ( tanto que caiu no dito polular  que os gatos se apegam a casa e não ao dono) - sem dúvida, podemos estar projetando uma sombra dos nossos fantasmas interiores, refletindo o sentimento solidão,  que é nosso, nessa suposta languidez felina.  Feras sensiveis com seus sentidos sincrônicos,  os gatos nos assustam , nos assanham, nos divertem ,  nos comovem, e por fim, nos encantam.

 Eu e meus pensares no site em plena semana do carnaval, onde as alegrias que foram reprimidas por um periodo de tempo extravasam da mente de alguns  - mais do que do coração – para alivio consolador dessa cobrança marcante que se vive hoje  em dia.  O século XXI em sua fase incial já sinaliza o potencial destruidor do equilibrio – seja interno quanto externo – tendo como base o materialismo consumista - sem sentido –  como um deus-gato a miar solidão.

Mas esse sentimento chamado  solidão,  garanto à vocês,  os gatos não compartilham conosco. Essa espécie tem uma caracteristica profundamente social;  evidente, que difere da expressão social do cão,  como da do ser  humano. Gatos são de pequenos grupos, não dividem sobrevivência; sua agudez de caçador exige esse estar só em grande parte do dia. Mas são espécie social com regras bem estabelecidas dentro de uma hiearquia quase com significado de confraria. Complexos são os felinos. Mas a beleza maior que trazem é esse dual: ferino e amoroso. Quando fera, solitário; quando afeto doação.

Em nós, seres humanos, o sentimento solidão não é dual , tem multiplicidade. Sua origem por ter bases ancestrais, genéticas, espiritual, social e  familiar privado. Para alguns solidão é medo;  para outros angústia. Eu penso que solidão é parte da condição humana; o chamado encontro consigo mesmo. Ouvir o silêncio e suas sutilezas sonoras é prestar atenção ao que , realmente, somos e sentimos. Seja o que somos ou sentimos,  temos um coração amoroso;  tanto quanto o gato tem o gestual amoroso para consigo mesmo e para com seu dono, também. Os gatos como caçadores sanguinários exercitam o “auto-perdão” , e como seres capazes de troca afetiva com pungência sensorial,  exercitam a amorosidade. Belo exercicio de equilibrio um gato pode ofertar a qualquer um de nós, basta termos a paciência que o gato possui na precisão do salto fatal,  e o relaxamento sedutor no ronronar a dizer em sua expressão social: a vida pode  ser e é prazerosa.

Os gatos me ensinam e me fazem pensar. Deixo nesse breve texto para ilustrar meu site,  uma mensagem de fé e amor para minha sobrinha Livia que me brindou com seu visita,  encantando a mim, Zimbriera e Catarino, dois gatos que dividem ronrornares  afetuosos comigo nessa paz que se derrama sobre Zimbros e em mim.

Até o próximo artigo.

4 Comentários


Vera
em

Prezada Dra,

Mais um maravilhoso texto nos é presenteado…neste mundo de consumo excessivo, alguns de nós, tentamos buscar uma “nova ” forma de viver, conviver e “trocar harmonias” com o espiritual,outros seres, o universo….e obtermos a paz duradoura.

Os felinos….(minha grande paixão observá-los….)não exigi-los como presença “social” …eles são belos justamente por esta sua aparente “indiferença” ao que lhe rodeia….e o “amor” intensional ao dono .

Fico muito feliz por ter em sua companhia dois felinos , não a vejo vivendo sem um por perto….sei, por experiência , de que pessoas que gostam de uam vida interior, sossegada, de meditação, de trabalho solitário(no sentido de independente de outros…) , se sente feliz com um languido espreguiçar felino por perto.

Bom descanso na paz de Zimbros nestes dias de folia de outros.

Vera



Harry Junior
em

Maravilhoso também!!!

Beijão!!

Harry Junior



Synara
em

Ola Vera.
Obrigada pelo comentário. De fato, os gatos me seduzem, dificil viver sem a presença deles.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Synara
em

Ola Junior. Obrigada, colega!
Abração!
Synara Rillo
Médica Veterinária


Comente