Pólipo duodenal em felino – o caso do gato Bolinha.


100_4403-gato-bolinha-ii.JPG     Inicio esse caso deixando um alerta aos colegas que atuam na área de pequenos animais: ESTUDEM! SE INTERESSEM VERDADEIRAMENTE PELA SUA PROFISSÃO! NÃO ESQUEÇAM QUE NOSSO COMPROMISSO É DUPLO,  POIS LIDAMOS COM DUAS VIDAS , A DE UM ANIMAL E COM O APEGO SENTIMENTAL DO DONO, ALÉM DE PODERMOS COM NOSSO ” DESSINTERESSE” OU FALTA DE EXPERIÊNCIA ( se o caso é esse seja humilde e peça orientação de um colega que já tenha mais segurança na profissão.) LEVARMOS A QUE OS MESMOS TENHAM GASTOS DESNECESSÁRIOS. DINHEIRO “NÃO NASCE EM ARVORES”!

Vamos ao caso: No inicio do mês fui procurada por uma pessoa que  solicitou-me um minuto da minha atenção, pois como atendo somente com hora marcada, não a estava esperando. Veio perguntar-me se eu podia dar uma opinião sobre seu gato que estava internado em outro estabelecimento Clinico Veterinário. Perguntei quem havia me indicado a ela. Ela contou-me que encontrou uma moça com seu cão e mesmo sem se conhecerem começaram a conversar sobre os animais. Essa pessoa que se chama Teresa comentou com essa moça,  que estava muito angustiada pois seu gato estava internado com suspeita de leucemia, mas que não estava sentindo muita firmeza no profissional que estava atendendo seu animal. Que já havia gastado muito com vários exames mas que nada davam  de um diagnóstico definitivo e que por último queriam um exame para confirmar leucemia mas que o mesmo era muito caro.

 100_4462-gato-bolinha-iii.JPG   Com isso essa moça disse a ela que me conhecia, que eu era a Médica dos cães dela e que ela confiava muito em mim, que eu demonstrava muita experiência ( bondade dela!) e deu meu endereço para a Teresa. Conversamos rapidamente e disse a ela que quem devia decidir em retirar o animal desse estabelecimento onde o mesmo se encontrava internado era ela.  Mas que eu estava à disposição para atender seu gato se essa era sua vontade, ouvir a opinião de outro profissional.

Consegui um horário para atender seu gato naquele mesmo dia e ela optou em retirá-lo de onde estava internado. Trouxe todos os exames que haviam sido feitos nele.

 Analisei todos: Hemograma completo, Rx contrastado com bário e uma ecografia. Falei para ela que do meu ponto de vista  não concordava que o gato dela estivesse anêmico pelo eritograma, já que outros componentes do mesmo mostravam que não. Havia,  sim,  uma baixa bem leve de eritrócitos, mas a hemoglobina e o hematócrito não me faziam valorizar aquela baixa de eritrócitos como uma anemia verdadeira. Quanto ao leucograma ( leucócitos – que são as células de defesa do organismo) nada vi que pudesse caracterizar nenhum tipo de leucemia dos felinos – principalmente às de origem viral – pois não havia maiores alterações. 

Na análise dos RXs nada vi de obstrução, apenas muitas fezes retidas no trato intestinal – não lembro do que estava escrito no laudo radiografico – mas parece que suspeitavam de obstrução parcial. Eu, particularmente, não via essa obstrução parcial. Percebi um aumento de volume próximo ao intestino delgado, apenas.

Na análise da ecografia, confirmei pela imagem que havia uma massa junto ao duodeno. Fui ler o laudo e o mesmo confirmava a presença desse tumor ( vejam bem, o termo tumor não quer dizer necessariamante “câncer” e  sim, qualquer aumento de volume em algum órgão ou ao seu redor). No laudo do ecografista constava que havia presença de liquido dentro desse tumor. Me  fez pensar em um cisto, primeiramente.

 bolinha-na-pia_4405.JPG   Fiz uma história clinica com a proprietária do Bolinha – esse o nome do gato – e ela relatou-me que os sintomas eram vômitos, uma discreta apatia e uma leve anorexia. O que a fez procurar esse estabelecimento clinico. Como o Bolinha já havia passado por todos esses exames citados e eles nada definiam, mas traziam como forte supeita a Leucemia, ela começou a ficar desgostosa e já preocupada com todos os custos que estavam envolvidos e queriam mais exames para confirmar a “tal leucemia”.

 Depois disso parti para o exame clinico do Bolinha. Realmente, clinicamente ele não demostrava sinais de anemia. Não havia nem mesmo descoloração de mucosas, preenchimento capilar das mucosas ao teste clinico dava normal e não percebia nem mesmo perda de peso e nem cansaço nele, estava sim sob auto grau de estresse por tantos manejos já empregados quando da internação e de todos exames feitos.

Parti para a palpação abdominal e confirmei esse aumento de volume junto a porção alta do intestino delgado. Como ele estava muito estressado e queria fazer uma boa inspeção por palpação do abdômen, pedi autorização da Teresa para fazer uma sedação no Bolinha para melhor examinar todo o trato intestinal dele. Como havia fezes retidas que apareciam no RX, queria, também , descartar a possibilidade de fecalomas.  De fato , com ele relaxado e eu mexendo por palpação externa nas suas alças intestinais ele expeliu um pedaço de fezes de consistência bem dura. Com ele sedado pude confimar ainda  mais que havia algo “duro” em forma mais retangular junto ao duodeno.

Por alguns segundos pensei em fecaloma apenas, em face de alguns equivocos na interpretação dos exames que haviam sido feitos pelo outro colega. Cheguei a “duvidar” da ecografia, mas ao mesmo tempo  como já conhecia o trabalho da colega ecografista e ela trabalha bem,  fiquei um pouco intrigada com tudo.

Como o Bolinha estava clinicamente bem naquele momento em que eu o examinava –  os vômitos já estavam mais controlados, pois quando da internação no Hospital Veterinário em que estava estava sendo tratado, recebeu pelo que constava no papel que a Teresa solicitou, medicamentos para gastrite e antieméticos – e por seu auto grau de estresse decide não deixá-lo comigo, fiz um antibiótico injetável ( porque no laudo ecografico foi colocado como suspeita um abcesso para esse aumento de volume e possibilidade de toxemia – mas insisto, não percebia sinal clinico de toxemia nele! E nem tão pouco pelo leucograma!!) mas achei por bem fazer. A Teresa levou outras injeções do antibiótico para aplicar em casa por via subcutânea. E solicei que administrasse óleo mineral para ver se ele eliminava mais fezes que podiam , também, estar causando desconforto nele. 

 Isso era numa Sexta-Feira e disse a ela que qualquer coisa entrasse em contato comigo. No sábado ela me ligou e disse que ele havia reagido um pouco, apenas. No domingo pela manhã tornou a fazer contato me dizendo que não achava ele bem. Decidi entrar com anti-inflamatório por via subcutânea e sugeri uma soroterpia com Ringer lactato, também por via subcutânea e pedi que ela viesse buscar todos esses medicamentos. Insisto, nao queria tirar o Bolinha de seu ambiente, pelo estresse e, também, por que não percebia emergência ou risco de moorte nele. O anti-inflamatório ela conseguiu aplicar, o soro não, pois ele não parava quieto e ela ficou sem “coragem “de fazer. Mais para fim do dia me ligou dizendo que ele havia reagido, fez tentativas de comer, que começava a demonstrar seus hábitos cotidianos.

Com isso pensei: Esse bicho tem dor!! Pois reagiu rápido ao anti-inflamatório. Na Segunda voltamos a fazer contato e ela me disse que ele não estava bem de novo. Com isso tomei a decisão que me restava e que fiquei “matutando” durante todo o fim de semana sobre  o  caso do Bolinha – inclusive já havia levantado essa possibilidade com a Teresa no primeiro dia da consulta: – “Vamos fazer uma laparatomia exploratória nele,Teresa.”  Vou ter que abrir o abdômen dele e ver o que é essa “massa” e dependendo do que for já corrigimos o problema, se for possivel. Ela concordou.

cirurgia-polipo-duodenal-gato-bolinha-019.jpg  Com essa decisão tomada, decidi solitar a ajuda e cooperação do colega cirurgião ( mestre em cirurgia) Daniel Sia. Pois temia encontrar algo mais sério e a habilidade cirúrgica dele me seria de extrema valia. Como já me foi em outras condutas cirurgicas com meus pacientes. Isso é que temos que fazer, nós profissionais que trabalhamos com seriedade e bom senso, pedir ajuda aos que tem mais experiência. Nada há de “vergonhoso” nisso, ao contrário! Eu que tenho mais de 20 anos de profissão e experiência faça isso!  Não sou “toda poderosa e infalível” como muitos pensam. Na Medicina, seja humana ou na de bichos, temos que aprender a arriscar, correr riscos, por não ser uma ciência exata, mas que possamos correr riscos muito bem calculados. E foi o que fiz. Mesmo sendo também cururgiã, amenizei os riscos que podia correr pedindo ajuda de um colega com mais experiência que eu nessa àrea.

Resultado da laparotomia exploratória: um apêndice que tinha sua origem bem no duodeno e que estava com uma discreta aderência ao pâncreas pelo seu tamanho e posição dentro do abdômen. O que nos chamou a  atenção era a intensa vascularização que esse apêndice tinha, talvez indicando um crescimento rápido. Vejam bem, ele era apenas um apêndice, ou seja, externo ao duodeno e não dentro da luz intestinal. Todas as caracteristicas macroscópicas era de benignidade, havia muito fibrose. Ao extirparmos, abrimos tal estrutura e dentro dela havia uma secreção liquida , pegajosa.

Mesmo com essa quase certeza de nada maligno enviamos para biópsia. O resultado dela foi Pólipo duodenal com ausência de células neoplásicas. Está anexo resultado da biópsia no final desse texto, assim como fotos da cirurgia.

Dentro de 24 horas dei alta para o Bolinha ( insisto, evitando estresse). Ficou “abatido” –  o que é natural pós -cirurgia – por uns 3 à 4 dias, mas a Teresa o alimentava com seringa, comida pastosa e dentro de mais 2 dias já estava totalmente bem, comendo ração seca e tendo seus hábitos ambientais condicionados todos de volta. Apenas sugeri mudar a ração dele por uma de melhor qualidade: Eukanuba Iams Feline Adult.

  bolinha-e-teresa4465.JPG  Longa vida Bolinha! Grata,  Teresa pela confiança a mim depositada!

Quero deixar explicado aqui que o bolinha tem apenas 1 ano de idade, e era o gato da mãe da Teresa que estava muito doente e que antes de falecer pediu a essa filha que ficasse com o Bolinha e que cuidasse bem dele. Teresa, seu marido e seus dois filhos têm outros gatos que também amam, mas sem dúvida, esse mexeu forte com os sentimentos dela. Por isso insisto no alerta com que iniciei no relato desse caso clinico. Por de trás de um animal, há sempre um dono, ser humano que sofre pela via sentimental. Temos que respeitar isso além das dores sensoriais dos animais. E que os colegas exercitem a humildade de se reconhecerem ainda incapazes de clinicarem com segurança, e peçam ajuda aos mais experientes, estudem, pesquisem. Medicina de bicho ou de gente não pode ser mercantilista ao extremo! Com vida não se brinca! Se não conseguem ser humildes de se reconhecerem ainda inexperientes, que não se estabeleçam!! Isso é mais digno do que “brincar de ser Médico de Bicho”.

 cirurgia-polipo-duodenal-gato-bolinha-001.jpg  cirurgia-polipo-duodenal-gato-bolinha-002.jpg cirurgia-polipo-duodenal-gato-bolinha-003.jpg cirurgia-polipo-duodenal-gato-bolinha-004.jpg cirurgia-polipo-duodenal-gato-bolinha-005.jpg cirurgia-polipo-duodenal-gato-bolinha-006.jpg cirurgia-polipo-duodenal-gato-bolinha-008.jpg cirurgia-polipo-duodenal-gato-bolinha-009.jpg cirurgia-polipo-duodenal-gato-bolinha-010.jpg cirurgia-polipo-duodenal-gato-bolinha-011.jpg  cirurgia-polipo-duodenal-gato-bolinha-011.jpg cirurgia-polipo-duodenal-gato-bolinha-015.jpg cirurgia-polipo-duodenal-gato-bolinha-016.jpg  cirurgia-polipo-duodenal-gato-bolinha-019.jpg cirurgia-polipo-duodenal-gato-bolinha-021.jpg   09030061-laudo-biopisa-gato-bolinha.pdf

Até o próximo caso clinico!

18 Comentários


vera
em

Olá Dra Synara,

Dizia Goethe, de que : de todos os sentimentos malignos , o único que nunca havia visto alguém dominar, é a inveja. Todos os demais, com o esforço humano , é possivel a alteração de comportamento.

Dizia eu….fuja dos invejosos por isso!!!São pessoas com problemas psíquicos de raizes na infancia, de forma que só psicanálise para um pequeno avanço.

Bem,dizia eu isso tudo , porque gostei mais uma vez do seu “Caso Clinico”, que não apenas atende a quem se interessa em adquirir sabedoria na medicina veterinária, mas tbém para sua vida…como TODOS seus escritos até aqui, aos quais, tive acesso.

O respeito profissional ao ser que vem como paciente e aos seus “familiares” são de extrema função humana da compaixão pela dor alheia, do humanismo colocado a frente do dinheiro que advirá daquele contato.

Minha admiração, mais uma vez, pela sua pessoa.

Um causo que me alegrou muito sexta passada:Levei uma gatinha com fungos para ser examinada pelo veterinário. E ao entrar no consultório dele, em uma outra sala, um cão pastor dormia e recebia soro. Perguntei se estava anestesiado, ele disse :” não, ele sofreu uma convulsão e estou observando-o.” Bem, ao lado sentado um casal de idosos tensos….eram os donos do cachorro….

Fui para outra sala levar minha gatita pra avaliação e nisto ouço o senhor chamar o veter e falar baixinho: “DR, estou preocupado com os custos, etc…”(se via uma familia pobre e tensa com preocupação com seu bicho) , ai o DR respondeu baixinho tbém:Sr fulano, não se preocupe com o dinheiro, naõ vai ficar caro, mas nós negociamos, facilitamos, fazemos qqer negócio..o que quero é ver seu animal bem e os senhores tranquilos.

Olha, valeu meu dia!!!!Conheço este veterinário faz uns 2 anos e pouco, me foi muito recomendado como profissonal e pessoa …e vi que tem um coração que se pode olhar dentro.

Esta verdade, de pessoas que lutam para manter humanidade em si, é que faz nossas vidas valer a pena e valer a pena nossa luta pra tbém nos tornamos melhores cada dia.

Parabéns e abraços.

Vera



Sônia
em

Oi Synara!
O ‘caso do bolinha’teve um final feliz, graças a Deus e sem dúvida a maravilhosa profissional que você é.Estudiosa, dedicada, COM LÉGITIMA vocação,que exige permanente atualização, o profissional tem que gostar do que faz, gostar de biologia, não sentir nojo,ou se impressionar com ferimentos, sangue etc.Além disso, acho muita psicologia com os donos dos bichinhos, lidar com suas emoções, apegos que todos temos(eu dona de um cocker)sei bem como isso é.Quando estão doentes, nossa é terrivel.
Fico feliz em saber que existe profissionais como vc, que se dedica com muita competência e amor.Parabéns.
Plagiando vc “Vida muito longa” pro ‘fofinho’ BOLINHA.
Bj Synara!



Mara
em

Dra. Synara, … “dotora” dos bichos…” solidária pessoa” …

A “moça” vai continuar, serenamente, te indicando para gatos, cães e HUMANOS …
Afetuoso abraço,
Mara



synara
em

Ola Vera! Obrigada pelas palavars!
Abraço.
Synara Rillo
Médica Veterinária



synara
em

Ola Sônia! Pois é, temos que gostar muito das nossas porfissões, às vezes é dom, missão, né? Obrigada pelos elogios.
Abraço fraterno.
Synara Rillo
Médica Veterinária



synara
em

Ola Mara! Obrigada, amiga!
Abraço querido!
Synara Rillo
Médica Vterinária



Sandra Probst Bogus
em

Boa tarde Dra.Synara!
Depois que a descobri na internet, não parei mais de admirar o seu trabalho, pois inclusive já fiz dois contatos e prontamemte recebi a resposta, e hoje volto a consultá-la on-line. A Cacau (já é conhecida na rede), fez cirurgia de coluna e está tomando homeopatia (Lycopodium CH 35). Pergunto-lhe,
está correto ou seria algo mais forte, já que está ainda paralisada, fazendo fisio e cupuntura, mas o tratamento homeopático foi suspenso, por falta de entrosamento e carisma da veterinária para com os animais.
Por favor me diga algo!!!
Um grande abraço e obrigada mais uma vez!



synara
em

Ola Sandra! Me reservo em opinar sobre homeopatia, pois sou alopata por formação, embora creio nela. Mas não sei nada sobre manejos dos medicamentos.
Abraço.
Synara Rillo
Médica Veterinária



Teresa
em

Olá Synara
O Bolinha está ótimo,adorou a ração por ti recomendada,brinca bastante e faz muita arte.Estamos todos muito felizes com a recuperação dele graças a você que é uma grande profissional competente e honesta.Mais uma vez quero te agradecer por tudo o que você fez por ele e por mim.
Muito obrigada minha amiga.
Grande abraço.



synara
em

Ola Tereza! Que noticia boa recebo de ti! Bolinha foi um paciente especial, já que com meus pacientes acabo aprendendo também, seja pelas patologias “estranhas” que apresentam e da mesma maneira por conhecer pessoas que não medem esforços para verem seus bichos bem, feito você e sua familia. Que bueno que ele aceitou bem a ração!! É boa, verás pela qualidade de vida- saúde que ele vai apresentar.
Meu forte abraço a vocês todos e meu especial afago nesse bichano. Obrigada também, pela confiança a mim depositada.
Synara Rillo
Médica Veterinária



Luisiana Lamour
em

Olá Synara
Concordo com você, quando diz que devemos ter humildade.Quando meu gato ficou doente e pedi aos veterinários que o estavam acompanhando para ligar para um profissional com mais experiência(já que els não conseguiam fechar diagnóstico) disseram que era”chato”, que era melhor “não ligar”.Nessa história toda, quase perco meu animal, e mais ainda, o meu equilíbrio emocional, pois o animal é muito importante para mim e para minha família e para piorar, eu havia acabado de perder meu sogro.
Resumindo: troquei de veterinário e o animal está hoje muito bem, pois foi cuidado por profissional com experiência em lipidose hepática.
Luisiana Lamour



synara
em

Ola Luisiana! Muito obrigada pelo teu comentário! Precisa ser assim , hoje em dia profissional – em qualquer área – tem que ser bem preparado, afinal, temos um leque de opções e oportunidades para irmos buscar cada vez mais o conhecimento, não nos restrigindo ao que vem do meio acadêmico, onde recebemos a base para assumir uma profissão; o resto é com esforço e dedicação que vai nos fazer profissionais sérios. E tem que haver uma certa consciência moral e ética também – o que percebeo que está faltando a muitas pessoas em vários contextos da vida. Mas há muita gente boa por ai, você foi testemunha disso, tanto que encontrou esse profissional ai onde vives e ele ajudou teu bichano. Temos que parar de ser “soldadinhos de chumbo” no saber e no conhecimento, ou seja, não acatar apenas a base da base e parar. Vamos e devemos buscar sempre pelo posto maior, por que se todos crescerem em harmonia, conforme seus ritmos e aptidões mais pessoais, esse mundo bonito que Deus nos ofertou será um dia um planeta de paz e luz.
Abraço fraterno.
Synara Rillo
Médica Vterinária



Marilia
em

Olá Dra!!
Mais uma história fantástica de uma profissional maravilhosa como você!!
Sempre surpreendendo com sua persitência e profissionalismo acima de tudo.
Vou lhe ligar pra marcar a vacina da Mel. Ela está bem, só continua gorda.
Beijos.
Marilia



synara
em

Ola Marilia! Valeu pelas palavras! Cuida dessa “gorda”, hem!! Sabes que gordura em excesso lipidose pode vir.
Abraço.
Synara Rillo
Médica Veterinária



Tatiane viana castro
em

Eu e a Marina brincamos que a Synara é a dra “House”, fazendo uma analogia ao médico de um seriado que consegue resolver os casos médicos mais complicados.

Synara, parabéns pelo trabalho e vida longa ao Bolinha!!

De tempo em tempo a gente passa aqui no site para acompanhar o teu admirável trabalho.

A propósito, tens que relatar o caso da Dot aqui, pois ela está ótima desde que você descobriu o real problema dela e isso já faz uns 8 meses. :)

Abs,

Tati



Synara
em

Ola Tati! Obrigada pelo comentário! Meu sonho quando “crescer” é ser igualzinha ao Dr. House! Assisto quando posso o seriado, adoro! Será postado o caso da Dot aqui, sim. Estou com outros planos de vida a partir de Setembro onde vou me dedicar mais para a literatura ( livros , artigos e meu site) Consultório será praticamente encerrado. Trabalharei mais por via on-line com vocês clientes e com consultorias que já faço. Deus está a me indicar esse caminho agora. Não estou conseguindo dar conta de tudo, agora. E com 47 anos..quero paz e produzir, deixar escrito, publicado tudo que aprendi com os bichos. Tanto que o próximo livro que estou terminando de escrever chama-se: ” O que os cães e os gatos me ensinaram”. E depois outros e outros e mais outros …Risos. Valeu. Beijo em você e na Marina.
Synara Rillo
Médica Vterinária



vanessa kelly domingues gonçalves
em

olá dra., entrei no seu blog e gostaria de fazer uma pergunta , me responda se possível , trabalho em uma clínica veterinária aqui em São José do Rio Preto-SP,sou tosadora e tbm ajudo no que precisa na clínica , bom vou direto a pergunta!:gostaria de saber o que pode ter acontecido com um cachorrinho aqui da clínica , ele estava super bem , estava escovando ele na mesa e a veterinária entrou e aplicou duas vacinas v10 e raiva , ele é um shih-tzu de 1 ano , e na mesma hora ele começou a gritar muito , mas até então tudo bem , ai voltei a escová-lo e ele foi caindo e ficando mole e parou literalmente entrei em desespero e gritei a veterinária , a gengiva dele estava totalmente branca e os olhos tbm , não estava rosado como tem que ser , enfim foi feito o atendimento nele e ele voltou , passou um tempo a proprietária do cachorro voltou com ele todo inchado , o que pode ter acontecido em geral ?, pois fiquei sem graça de perguntar para a veterinária , será que pode ter sido um erro dela? obrigada , parabéns pelo cuidado com os bichos , abraços ,



Synara
em

Oi Vanessa. Falar em erros é complexo…Possivelmente, esse animal sentiu dor forte durante a aplicação e/ou pode ter tido uma reação alérgica no ato da vacinação. Somado ao estresse do banho, secagem, etc. Tem que saber se foi colocado algum produto para controle de pulgas ( que pode dar reação alergica pós aplicação), ou seja, são vários pontos a serem analisados. Te sugiro ler o artigo que escrevi aqui para o site que se chama: ESTÉTICAS CANINAS – ” O INFERNO DE DANTE” E NINGUÉM VÊ. É uma critica a todo esse manejos nem sempre necessários aos cães. Vai te ajudar a pensar e repensar sobre tua função de tosadora, a do profissional e a do dono do animal.
Obrigada pela participação no site.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária


Comente