Em meio ao bichos…hoje vou de poesia.


cabecao-se-declarando.jpg Meu livro sobre gatos – que estou em fase de produção – está me levando quase toda minha energia; em dois sentidos esse levar; pelo cansaço em si de ter que render – isso é o escrever, e pela perda de energia por um sentimento de “ciclo cumprido”.

Quando encerro processos ou projetos em mim, na minha vida, eu tendo a me entristecer e a me recolher por alguns periodos, embora, não sejam processos destrutivos por dentro, por que sigo a criar, a produzir, mas de outras formas, como, por exemplo, na poesia.

Então veio esse poema, em meio ao livro que escrevo. Meu livro de gatos terá poesia.; por que inspira, expira e relaxa. E isso é a vida em versos.

dsc00625.JPG

A GATA

Mansidão / no longinquo olhar// Na visão/a agudez/ do não ver nada/ além de si// gata / em falsa plenitude/ para ver/ o viver// Gata mansa/ à espera do que virá/ do tempo decorrido…// Assim/ ferina / e mansa me tens/ Vida/Em alquimia. ( Synara Rillo. Em 03.02.08).

5 Comentários


Eunice
em

Oi Synara!! Td bem contigo? Sempre acompanho teu site, leio teus artigos, e hj, como não podia deixar de ser, li esse poema e senti muita saudade da Diana… Lá se vão 3 meses que ela se foi, suas lembranças aqui em casa ainda são muitas; cada vez que chego em casa e abro a porta, parece que ela vai pular do sofá dar aquela esticada e vir miar em volta, pedindo um carinho.
As primeiras semanas foram de choro (meu e do Rodrigo), uma tristeza que doía fundo no peito, ainda pensamos nela e lembramos com carinho, olhando suas fotos e vídeos, fica uma saudade boa, de todos os seus 15 anos de vida, tudo o que passamos juntas, mas enfim esse é o ciclo da vida…
Mais uma vez quero agradecer pelo carinho com que tratasse minha Diana e deixo aqui minha admiração pela profissional dedicada e competente que tu é! Estou aguardando ansiosa teu livro sobre os gatos!
Um beijo
Eunice



Synara
em

Oi Eunice! Que bom ler teu recado. Pois é esses bichos mexem com nossas emoções…não tem como não ser assim…Eu imagino com bastante propriedade o que sentiram, tu e Rodrigo, no decorrer dos dias pós perda dela…eu já passei por isso; pelas perdas de nossos longos e velhos companheiros que são os bichos que nos acompanham em nosso cotidiano..ainda mais sendo gatos!
Obrigada, sempre, pela tua admiração ao meu trabalho! Fiquei feliz mesmo, com tua presença aqui no site.
Beijo grande!
Synara



vera
em

Prezada Dra,

Bem, cada dia, num tempinho de folga, dou uma espiada em uma parte de suas páginas….voce escreve, tem este dom de nos deliciar com palavras…….eu, estou fazendo uma série de desenhos (meu hobby é pintar, hobby que quase se tornou profissão em Sampa ….muitas expos no fim dos anos 80….mas, meu destino mudou….) com EXPRESSÕES de gatos….eu disse expressões e não fotos de gatos.

Eles nos sensibilizam de uma forma como nenhum outro ser.

Hoje minha Mogwai, ficou rolando na cozinha pela manha…só porque limpei uma parede com cloro(o cheiro do cloro deixa ela “doidinha”….uma coisa impressionante) , ontem de noite a Anka(uma siamelata, que dorme desde pequena num sofá ao alcançe de minha carícias), viu seu sofá ocupado por Bella (irmã dela que nunca havia feito isso)…eu pensei :”Vai ter briga feia…”.Que nada, Anka se pos a pular no quarto, enrolar-se na cortina …até atrair a Bella pra brincar. Quando Bella desceu do sofá, ela correu para ele, deitou, tomou banho e foi dormir tranquilamente.

Só mesmos gatices….

Obrigada pela poesia.
Vera



monica
em

Prezada Dra:
Eu leio este seu site sempre, você não me conhece, mas eu me sinto amiga de você por meio deste site.
Admiro muito a forma de vida à qual vc se entrega, pelos animais, pela poesia, pela vida. com o amor de uma mãe pelos filhos, com a intensidade da alma de um poeta, com o afinco do cientista e o pudor do ser humano.
Parabenizo sua labor dra Synara, me ajudas nos momentos de oscuridão quando meu gato sente algo que não sei, e na procura de uma luz (não de essas luzes que acaban rápido, das outras que perdurem) Em fim, eu passei por aqui, para deixar minha admiração e respeito e também para te oferecer os versos que fiz para meu gato Pascoalino, chama-se poema para um ocioso:

Em silêncio corre precavido o felino,
Entra nos recantos para esconder os passos.
Volta o olhar de desconfio e como um fio;
Contorna a rota pela que inflige a silhueta.

Procura esconder-se no fundo do cenário
E depende da cor da pele para enganar o furtivo,
O perigo que lhe assombra a incerteza que lhe apanha.
Não consente, mas relaxa e atento, descansa.

Verbi Gratia

Mónica Rebolledo Seguel
Vitória-ES



synara
em

Ola Monica! Que lindo poema-olhar sobre e sob os felinos. Parabéns! Lindos versos!
Grande abraço.
Synara Rillo
Médica Veterinária


Comente