Prenhez em cadelas. Perdeu o sentido. Atenção!


primavera em Zimbros -2012 003E cadelas de todas as raças pariam ninhadas que valiam ouro aos seus criadores”. Essa frase faz parte do meu segundo livro, e abro essa questão nesse texto com ela. No livro narro o período da explosão “pet shop mundo cão/ gato” que transcorria na virada do ano 2000. Treze anos se passaram e ainda há cadelas parindo e parindo  muito! Não sei se com o mesmo peso do ouro dos criadores daquela época, mas sem dúvida, ficaram na engrenagem da venda do “mundinho petizinho”. Me parece agora, em dois mil e treze, que o criatório de cães ocorre mais pelas lojas, feiras, fundos de quintais, apartamentos, etc.. E vendem bem. Cães geneticamente distorcidos. E esses cães adoecem mais cedo e apresentam variadas patologias que vão parar na mesa de algum atendimento médico veterinário. O ciclo comercial.

Cães de raça ( embora com genetica sem apuro) são os perpetuadores maiores desse ciclo comercial! Ou alguém compra vira-lata? Não compram, não. Os vira-latas perambulam soltos e entram na estatistica do abandono, e que sem dúvida, até mesmos esses cães que foram comprados, os tais de com raça, acabam fazendo parte dos párias caninos. E os órgãos públicos estão sendo cobrados para darem um destino a esse abandono em  massa que estamos vivendo frente aos cães. Sem falar nas ONGS ( sérias).

Proibir a venda de animais é o grande ato inicial para controle da superpopulação canina e o primeiro passo para ajustar a presença do animal de companhia, tornando-o menos objeto de uso pessoal e comercial.

Muitos pensam que não podem viver sem um cão sem raça. Podem sim. As questões raciais são de baixa utilidade para o social do homem. Talvez o cão de guarda teria uma utilidade social tanto quanto raças que têm potenciais para guiar cegos, cães farejadores. De resto, quanto as raças, exibicionismo!

Quer um cão adote! E castre. E se realmente você tiver uma consciência negue pagar por um cão!

Prenhez em cadelas já era. Mas se você continua nessa….Responda pelos bichos depois.

Um textinho morno  sobre consciência no eterno ciclo cão x ser humano.

Mas produzi. Ufa.

Comente