Peritonite Infecciosa Felina


mimi-19.JPG Hoje vou falar dessa doença que acomete vários gatos, muitas vezes passando desapercebida como tal. Isso decorre pelo fato da multiplicidade de sinais clinicos envolvidos tanto quanto da similaridade com sintomas de outras doenças, viricas ou não, dos felinos.

Diana era uma gata linda! Eu, particularmente, adorava suas caracteristicas morfológicas; ela era de porte pequeno e tinha uma pelagem linda, como se fosse pintada à mão, com umas listras. Seu “humor” fora de casa era dificil, era braba, e me bufava feito uma onça cada vez que eu tinha que atendê-la, principalmente quando vinha para eu cortar suas garras.

Mas tive oportunidades de convivência com ela onde não envolvia manejos clinicos; quando a Eunice e o Rodrigo precisavam viajar, algumas vezes, a deixaram comigo; e ai, sim, podia ver e sentir sua docilidade, podia afagá-la, ” conversava” com ela, e ela manifestava sinais de que estava gostando do meu contato, ronronando e se retorcendo toda, se esfregando nas minhas pernas quando eu entrava no gatil onde ela ficava.

Pois semana passada, a Eunice marca uma hora para eu atender a Diana, pois percebia que ela estava muito magra e diferente, mais quieta, mais na dela, comendo pouco.

Talvez 1 ou 2 meses atrás, a Diana havia apresentado um quadro de faringite, onde se abateu um pouco. Eunice me procurou, relatou que ela ia até o prato de comida, olhava e miava, como se tivesse fome, mas não conseguia engolir. Detectei a faringite e mais nada de sinais clinicos. A mediquei com um anti-inflamatório e uma penicilina de longa ação. E ela respondeu bem ao tratamento, voltando a se alimentar já no outro dia.

Semana passada quando a Eunice entra com a Diana no consultório fiquei impressionada com grau de emagrecimento dela. Percebi um discreto aumento abdominal ao visualizá-la. Sugeri a Eunice, imediatamente, um exame de sangue e pedi que a deixasse comigo, pois pelo temperamento dela ( que mesmo abatida parecia a boa e velha “onça” quando tinha que ser manejada) eu ia sedá-la para tal procedimento. Fizemos isso.

Com ela sedada, coleta de sangue e urina feitas, fui proceder em uma palpação abdominal e encontrei aumento de volume hepático e pequenas massas que me pareciam ser no intestino ( pensei em hipertrofia de linfonodos intestinais), assim como, percebi, depois que a depilei para assepsia da coleta de sangue, uma discreta ictericia na pele; na conjuntiva e esclera ocular não era tão evidente.

Sem enviar o o sangue e a urina para o laboratório, liguei para a Eunice e coloquei a situação que encontrei, e o quanto o quadro clinico da Diana me preocupava. Sugeri que fizessemos uma ecografia abdominal de urgência, pois com isso, talvez, nem fosse preciso ir adiante com os outros exames, pensando nos custos que a Eunice teria, claro.

Eunice topou e a ecografia foi marcada para dentro de poucas horas depois. Pedi que ela retornasse ao consultório e que acompanhasse a ecografia da gata dela. Gosto que os proprietários acompanhem determinados procedimentos, principalmente o ecográfico.

Eunice chegou um pouco antes do Dr. José Eduardo, o ecografista que me assessora no consultório, e com isso tive a oportunidade de já colocar para ela da gravidade do quadro e da minha suspeita clinica: granulomas hepáticos, granulomas ou linfonodos intestinais hipertrofiados e discreto liquido livre na cavidade abdominal.

E que esses sinais todos indicavam a mim, a possibilidade de terem como causa a doença virica Peritonite Infecciosa, mesmo a Diana sendo uma gata em idade avançada, com 15 anos de idade. E Passei a explicar a doença para a Eunice enquanto esperávamos o ecografista.

A Peritonite Infecciosa felina é mais comum de ser manifestada em gatos jovens, entre 3 meses e 3 anos de idade, mas todos os gatos são suscetíveis a essa infecção. Nos gatos idosos, com idade superior a 10 anos, observa-se uma discreta incidência em função da debilidade natural do organismo. Além disso, fatores de interação entre o hospedeiro ( gato) e o virus podem determinar na prevalência da doença e na sua expressão clinica, como por exemplo, tempo de exposição ao virus, suscetibilidade genética ( estudos recentes demonstram parcialidade hereditária na suscetibilidade da doença), imunidade do gato, estresse e outras infecções recorrentes, como o virus da leucemia e da aids felina.

A via de transmissão dessa virose não está totalmente esclarecida. A principio, a infecção inicial pode ocorrer pela ingestão ou inalação do corona virus presente na saliva, secreções respiratórias, urina e fezes dos gatos contaminados. Os gatos portadores assintomáticos, teoricamente, entre 42 à 75% desses animais eliminam o virus nas fezes, e também através de lambeduras mútuas que é um comportamento comum entre felinos do mesmo grupo social, justificando a alta incidência do virus em ” criatórios” de gatos.

A outra forma de transmissão é a via transplacentária ou no periodo neonatal de gatas portadoras assintomáticas. Os gatinhos contaminados via útero podem já nascer enfermos, e morrerem, ou virem a desenvolver a doença mais tarde, caso seu sistema imune se debilite.

Esse virus pode permanecer estável fora do hospedeiro ( o gato) em ambientes úmidos, por 3 à 7 semanas, mas é importante salientar que são destruídos pela maioria dos desinfetantes.

Os sinais clinicos gerais são: febre, falta de apetite, prostação, diarréia e desidratação. A doença é dividida em 2 formas clinicas, que denominam-se PIF efusiva ou PIF seca ou não efusiva.

A efusiva se caracteriza por inflamação fibrinonecrótica exsudativa das membranas serosas que revestem os órgãos internos e efusão ( traduz-se por derramamento – liquido livre em cavidades – nesse caso da expresão) abdominal e/ ou pleural (pulmão).

A não efusiva tem como caracteristica a presença de granulomas multifocais em orgãos viscerais, sem derramamento de liquido nas cavidades.

Sendo que as 2 formas podem ser econtradas em um mesmo animal.

Geralmente a forma efusiva é de curso agudo e a não efusiva é mais lenta e insidiosa.

Na efusiva os sinais clinicos podem ser caracterizados como: febre não responsiva a antibióticos com temperaturas que variam de 39,5° à 41° C com duração de 2 à 3 semanas, perda de peso, anorexia e mucosas pálidas. Com a evolução da doença vem a distensão abddominal progressiva e sem o animal manifestar dor pela presença de liquido ascitico.

Os que apresentam liquido na pleura vão apresentar dispnéia inspiratória ( falta de ar) , intolerância ao exercicio e os sons pulmonares e cardíacos abafados à auscultação. Outros sinais que podem estar associados a PIF efusiva são ictericia ( quando do envolvimento do trato hepatobiliar pela inflamação), vômitos e diarréia ( quando envolve inflamação peritonial atingindo o trato entérico).

Observa-se em gatos machos não castrados o envolvimento do saco escrotal, com hipertrofia do mesmo, em face da extensão direta da serosite fibrinosa da cavidade abdominal.

Na PIF não efusiva por seu grau de progresão lenta não são observados sintomas tão evidentes quanto na PIF efusiva. Exigindo uma atenção maior em buscar sinais clinicos. Ela caracteriza-se por reações inflamatórias granulomatosas e necrose em órgãos abdominais, olhos, sistema nervoso central e cavidada torácica, levando a pleurites, pneumonia e pericardite ( inflamação da membrana que reveste o coração).

O diagnóstico da Peritonite Infecciosa é baseado no histórico clínico, sinais clínicos, e algum auxilio com exames complementares, como hematologia/bioquimica e biópsia, e, principalmente, na habilidade do profissional em fechar todos esses dados para concluir que está frente à essa doença.

Mas infelizmente a precisão diagnóstica vem através de necrópsia já que a Peritonie Infecciosa Felina apresenta baixa taxa de morbidade (doença), em torno de 10% , mas de uma taxa de, praticamente, 100% de mortalidade.

O que se consegue, muitas vezes, na PIF não efusiva, vejam bem, é um prolongamento da vida do gato, com relativa qualidade de vida, através de corticoterapia em altas doses para controle do quadro inflamatório granulomatoso que envolve essa patologia e de uso da ciclofosmamida.

Na minha experiência já mantive alguns gatos bem, apenas com corticoterapia, interferon recombinante humano e controle da baixa imunidade com antibióticos, e tais animais tiveram uma sobrevida longa. Mas cada caso é um, único e individual, sempre tendo como caracteristicas as particularidades de imunocompetência do gato e dedicação do proprietário.

Voltando ao caso da Diana, na ecografia percebemos vários nódulos hepáticos, hepatomegalia e contorno irregular do órgão e alças intestinais espessadas e irregulares em todo seu trajeto ( que poderia ser os granulomas ou os linfonodos hipertrofiados).

O ecografista, baseado em sua experiência, me relata uma pequena quantidade de liquido livre na cavidade e que esse liquido mostrava ” um brilho”, o que a ele sempre caracterizava o liquido da Peritonite Infecciosa, que realmente, quando se faz a punção desse liquido ele tem uma caracterisitica “pegajosa” e uma cor de “palha”.

Com esse diagnóstico de imagem mais a história clinica da Diana não tivemos muitas dúvidas da alta gravidade do caso dela.

Sugeri a Eunice a Eutanásia da Diana, por que sabia que dentro de poucos dias ela entraria em sofriemnto e a perda de qualidade de vida dela já nos era evidente.

Natural, Eunice chorou muito, se chocou, ligou imediatamente para o marido, o Rodrigo da mesma forma se abalou com tudo o que relatei, mas tomaram a decisão de levar a Diana para casa para que pudessem pensar melhor e senti-la, observá-la nesse quadro.

Decidi prescrever uma prednisona com o objetivo de alivio da dor ( como ação anti-inflamatória) e Eunice a levou para casa.

Pedi a a a ela autorização para enviar ao laboratório de análises clínicas os exames de sangue e urina, sem custos a ela, apenas por curiosidade e interesse meu. Fui autorizada.

Solicitei hemograma, dosagem de albumina, proteinas totais, bilirrubinas, enzimas hepáticas e uréia mais o exame de urina.

Todos os exames deram em faixas relativamente normais, ou algo próximo ao máximo dos niveis fisiológicos, e o hemograma uma anemia não tão importante, e uma neutrofilia bem discreta indicando processo inflamatório.

Isso vem reforçar a importância que nós, Médicos Veterinários, devemos sempre ser cientes em saber direcionar o pedido dos exames baseados em uma boa história clinica, nos sintomas clinicos que o animal nos apresenta e num bom exame clinico, por que além de evitar gastos desnecessários ao cliente, como nesse caso, onde a ecografia foi mais elucidativa da causa do que os exames laboratoriais.

Se por ventura esses exames fossem analisados sem base em história clinica, sintomatologia do animal e exame fisico, dificilmente poderiamos dizer que estávamos frente a quadro de tamanha gravidade e nos sugerindo fortemente a Peritonite Infecciosa Felina.

Dentro de 24 horas recebo um e-mail da Eunice dizendo que ela e o Rodrigo queriam e aceitavam a Eutanásia da gata deles, simplesmente por que ao passarem um dia com ela perceberam a perda da qualidade de vida que ela já apresentava, além de verem um quadro de diarréia sero sanguinolenta, a falta do apetite, e a grande prostação dela, sem mais condições de interação social e ambiental junto a eles.

Eutanásia feita, hoje Diana descansa na paz de quem cumpriu um ciclo de vida, e que no fim de sua vida animal teve o respeito e a compaixão que mereceu dos donos e da vida.

Eu me sinto de coração leve por ela. Eunice e Rodrigo, conforme conversamos depois de 48 horas do procedimento, ainda tristes, constritos e saudosos da presença cotidiana da Diana na vida deles. Mas conscientes de que foi a melhor atitude a ser tomada.

Dentro de alguns meses, Diana, tenho certeza, estará em lembranças boas e não mais em dor no coração de Eunice e Rodrigo.

exames-completos-diana.pdf

laudo-diana-eco-da-diana-eunice.doc

68 Comentários


Eunice
em

Synara, mais uma vez agradecemos pelo cuidado que tivesse com a Diana.
A falta que sentimos dela é grande, e a decisão pela eutanásia foi dolorosa, porém, optamos por não vê-la sofrer por mais tempo, e eu acho que foi uma decisão madura.
Obrigada por tudo!
Abraços
Eunice



Synara
em

de nada, Eunice!



Sônia Piumato
em

Estou a uns quinze anos na proteção animal, perdí nos últimos tempos alguns gatos com as características da pif, porém nunca tive este diagnóstico. Tenho no gatil aproximadamente 110 gatos, se algum destes óbitos foi por pif os outros gatos também estarão contaminados? Se positivo existe alguma forma de evitar que a doença se manifeste? Em tempo: Estou com uma gatinha c/ pólipo que foi operada esta tarde, entrei no teu site pela pesquisa de pólipo, esta sessão de casos clínicos é ótima, fiquei surpresa de vc ser de Porto Alegre e não ter ouvido falar do teu trabalho. Parabéns!



Synara
em

Ola Sônia, a chance de teres no grupo social de felinos a doença PIF é muito grande. Justamente a aglomeração desses animais, em grande número como tens, é fato significativo para a transmissão da doença. Muitos gatos acabam adquirindo imunidade parcial à doença, mas quando submetidos a situações de estresse orgâncio e ambiental ( onde aqui incluo a superpopulação – que a meu ver é teu caso) tendem a vir manifestar a PIF na sua forma clinica evidente. Outro fator é que há outras doenças viricas/parasitárias ( leucemia, aids felina, hemobartonella,dipilidiose recorrente, etc) que podem precipitar o aparecimento naqueles gatos que por ventura sejam portadores assintomáticos.
Quanto a pergunta da prevenção é controle do estado geral de saúde, baixa população, baixo estresse ambiental, ração de qualidade, desverminação periódica para controle da dipilidiose e controle de ectoparasitas como as pulgas.
O diagnóstico da PIf exige habilidade do profissional em lidar com a sintomatologia associada a uma boa história clinica e ambiental.
Essa doença, por incrivel que pareça, é bem comum de ser encontrada nos gatos. O que falta são os diagnósticos mais precisos, já que os sinais clinicos são compativeis com outras alterações orgânicas dos gatos. Mas no teu caso a possibilidade dos gatos que apresentaram sintomas conforme relatei aqui no site é muito grande de ser a PIF.
Quanto ao pólipo é uma doença benigna, de fácil solução e cura total quando da retirada cirúrgica do mesmo. Muitos vezes eles são confundidos com a Rinotraqueite crônica, mas o que ocorre na verdade é alteração naso-faringea pela presença do pólipo.
Obrigada pela visita ao site tanto quanto pelo elogio.

Abraço!

Dra. Synara



Sandra Regina de A. Faria
em

Prezada Dra. Silmara
Tenho um gatinho de 02 anos e meio, e o mesmo no inicio de novembro,começou a emagrecer, não se alimentado nem bebendo agua adequadamente.
Levei-o ao Vet. e a mesma constatou pela ultra-sonografia e exame de urina e sangue que há alterações no linfonodo (abcesso), febre em torno de 39,5, falta de apetite e prostração. Fazendo tratamento, ele voltou a se alimentar e a beber água (mas só come ração superpremium enquanto é novidade e pouco, depois para). Fiz o exame da PIF que ficará pronto no final de dezembro. Tambem no apalpar a sua barriguinha há alteração no rim. E agora a partir deste domingo ele deixou novamente de de alimentar depois de uma pequena melhora. Tenho outros (03) gatos que convivem com ele em meu apto.
Gostaria de uma elucidação sua quanto ao assunto em relação aos meus gatinhos e em relação a ele. Fezes, urina, olhos tudo ok.
As vezes acho que ele perde um pouco a coloração rozinha do nariz e boquinha. Fica um pouco amarelo. Ah e deu algo no fígado que não saberia lhe dizer agora.No aguardo e muito grata



Synara
em

Ola Sandra!

Todas as informações que me passaste ficaram muito vagas para que eu possa me posicionar melhor no sentido de te orientar. Alterações em um linfonodo é vago…qual linfonodo? Será abscesso mesmo?? Outro informação importante essa temperatura corporal que me relatas é normal e não alterada para se considerar febre. Febre em gatos podemos afirmar qd estamos com dado acima de 39,8 °C, e com essa medida eu diria que é uma febricula ( febre leve – reacional do organismo frente a algo infeccioso). Temperaturas com 40°C é passam a ser significativas nos felinos.
Quanto ao exame da PIF aguarde o resultado e peça para seu Veterinário ver se está frente a um título de doença ou de portador, por que há diferenças quanto a isso. O exame pode dar positivo para PIF e ele ser apenas portador. Tem que se ter cuidado com essa interpretação.
Estou com uma intuição de que devias pedir ao Veterinário que atende teu gato um exame de sangue para ver se não há possibilidade de uma anemia por hemólise ( destruição das hemácias) de causa infecciosa – Hemobartonela se chama a doença. Pois esse sintoma de apetite caprichoso , como se chama, ou seja, come mas pouco e sem vontade e um sinal forte para se suspeitar de anemia. Tem um caso de hemobartonella aqui no site, procure ler, quem sabe por ali posso te ajudar a te dar mais pistas.
Mas tenha em mente que a mim é dificil precisar qualquer diagnóstico via internet, sem ver, examinar e fazer uma boa história clinica do teu gato. O que procuro fazer é orientá-los um pouco mais e com isso dar condições para que vocês busquem questionamento com os Veterinários que atendem seus bichinhos. Ok? Espero ter ajudado um poquinho.
Obrigada pela visita ao site.

Abraço!

Dra. Synara Rillo



João Pedro
em

Dra. Synara,
A minha gata de ano e meio mudou consideravelmente o seu comportamento na última semana, monstrando-se muito apática para o tipo de interesse que costuma demonstrar pelas brincadeiras e traquinices. A nossa preocupação aumentou quando ela apareceu com um olho (esquerdo) esbranquiçado. Fomos prontamente ao veterinário e este demonstrou alguma preocupação pela sua perca de peso, tendo-lhe diagnosticado uma uveíte. Procedeu-se à colheita de sangue para análises e estas vieram a demonstrar uma ligeira e preocupante anemia. A uveíte passou rápidamente tal como a faringite que relata mas numa semana a nossa gata perdeu mais 100gramas de peso. Estamos muito tristes e pessimistas com o quadro que se apresenta e gostaríamos de lhe perguntar o que podemos esperar da nossa estimada amiga. Ela é muito pequena desde sempre, era a mais pequenina da ninhada. Muito mexida, malandra mesmo e o comportamento dela começa a mudar… Gostaria de perguntar à Dra. se, no caso de estarmos de facto na presença de PIF como parece óbvio, e pela sua experiência veterinária, como poderão vir a ser os próximos tempos com ela e o que poderemos fazer (e quando) para minimizarmos ao máximo o sofrimento de todos.



Synara
em

Ola João Pedro!

Vai com calma quanto a ser a PIF, nem tudo é PIF, embora estejamos com mais condições de meios diagnósticos para essa doença…mas também não é assim tão simples de afirmar…exige muito destreza do profissional. Além disso por haver as duas formas da doença PIF que é a seca e úmida ( com retenção de liquidos em cavidades) temos que fazer bem essa diferenciação pois na forma que se chama seca, podemos tratar os gatos com medicação a base de corticódes ( bem manejados) e outros, como estimulantes do sistema imunitário, prolongando a vida com qualidade para o animal…
Quero te dar uma dica: Conversa com o Veterinário que está atendendo a tua gatinha e pergunta a ele qual é o tipo de anemia que ela apresenta por que isso é fundamental para caracterizar uma anemia da PIF, pergunta se ele solicitou contagem dos reticulócitos que são as hemáceas jovens, pois isso pode ajudar a saber se é uma anemia regenerativa ou arregenerativa, pergunta se há anemia normocitica junto. Vê se ele mediu a proteína plasmática, também! E sugiro uma análise morfológica das hemáceas através de um esfregaço sanguineo.
Te falo isso porque anemias em gatos é um distúrbio bem comum em gatos, tendo inúmeras causas e é importante saber se ela é de caracter agudo ou crônico, se é por hemólise ou não pois outros agentes podem estar envolvidos na causa da anemia, entre eles
o microorganismo da doença que se chama Hemobartonella ( quem transmite é a pulga). Se por acaso a tua gatinha teve uma baixa imunidade por qualquer causa e era portadora assintomática desse parasita das hemácias ela pode vir a desenvolver um quadro anêmico hemolitico como se diz, pois esse microorganismo vai destruíndo as hemácias. Toda a anemia causa uma forte prostação no gato, perda de apetite, perda rápida de peso, ictericia ( quando por hemólise), entre outros sintomas. Se der uma anemia com presença de reticulócitos é bem provável que aparece os reticulócitos e se chama anemia regenerativa.
Quando for uma anemia sem a presença de reticulócitos na corrente sanguínea estamos frente a quadro de anemia arregenarativa com envolvimento ou comprometimento da medula ósseo um dos sitios de produção as células sanguineas e ai pode ser um pouquinho mais “grave” e ai sim devemos procurar por uma imunodeficiência geral que pode ser causados por alguns virus dos gatos, entre eles a PIF, a Leucemia viral felina, a aids felina, entre outros.Toda anemia arregenerativa, sem a presença das células jovens na corrente sanguinea pode também ser oriunda de uma Insuficiência renal crônica, que com certeza a tua gatinha não tem, por que é jovem demais, essa patologia dos rins é bem comum em gatos idosos! Te explico tudo isso para que percebas o quanto podemos investigar de causas das anemias nos gatos.
Se for , por exemplo, a hemobartonella a causa da anemia e ela não estiver associada com imunodeficiência grave, antibióticos da classe das tetraciclinas combate esse parasita e os gatos se recuperam muito bem.
Tenha também em mente que muitos desses vírus que citei, podem estar na fase inicial de contaminação e o organismo dela pode estar reagindo, apenas, e com isso termos uma chance dela se recuperar e criar imunidade parcial ou total, dependendo de qual virus.
Temos também , João Pedro, termos paciência para que nossos animais se recuperem, e eles sabem como se auto-proteger, se recolhendo mais, comendo menos, como uma forma, instintiva de dar “tempo” de o organismo reagir. Geralmente os quadros de anemia regenerativas demoram um pouco para o animal voltar a seu normal de reações ambientais e com o dono.
Tenha paciência, fé em Deus e conversa muito com o Veterinário que a está atendendo, pede explicações, questiona, enfim…te deixei alguns elementos para questionar quem a está atendendo.
Boa sorte a todos vocês e em especial a tua gatinha.

Um abraço meu em todos vocês e um afago carinhoso na gatinha. Obrigada pela visita ao site.

Dra. Synara Rillo



Mônica de Souza
em

Dra. Synara
Estou com um gato, o Lelo, de 8,3 anos, apresentando sintomas de falta de apetite (às vezes parece que quer comer, mas algo o impede), prostração, urina que cola na areia da caixinha (este sintoma há um mês e meio, foi bem na épca que comprei areia de outra marca e xinguei a reia até, por ela estar grudada. No mês seguinte, voltei a areia de sempre e o problema contiuou, porém percebi que o xixi grudado era do Lelo).
Tenho 6 gatos todos acima da idade di Lelo. O veterinário que acompanha o caso dise que o gato apresenta uma faringite que pode ser da baixa imunidade. Ele pediu um hemograma,e ultrasom abdomainal. Fiz o hemograma e deu:
6,40 de eritrócitos
10,9 de hemoglobina
34 de hematócrito
53.125 de VGM
17.031 de HCM
32.059 de CHCM
8,4 de proteína total
Moderada anisocitose e policromia

23.600 de leucócitos
0 de metamielócito, bastonetes, eosino, basófilo,monócito
94% de segmentados
1416 de linfo
Morfologia celular normal. Plaquetas 260

Estou muito assustada, não pelo fato da suspeita ser P.I.F, mas também dos meus outros gatos que convivem com ele, dormem com ele e comem um no pratinho do outro.
Qual é a sua opniâo??? O que faço dentro dessa suspeita com meus outros 5 gatos? Caixinha de xixi e bebedouros comunitários?
Quero acreditar que tudo isso não vai pasar de nada…. Aguardo sua resposta angustiada,
Um abraço,
Mônica



synara
em

Ola Mônica,

Em primeiro lugar baseada apenas nos dados que me enviaste do hemograma e proteinas totais, e essas poucas informações de sintomas, te diria que eu não suspeitaria de PIF, para haver a PIF, em um primeiro momento teriamos que ter anemia normocitica arregenerativa, que esses dados não conferem. A parte vermelha do exame, como se chama, está muito bem, sem anemia. E o fato de apresentar anisocitose é um ótimo sinal , pois significa que a medula óssea esta produzindo hemácias. A policromasia não passa a ter maiores significados…assim de forma isolada. Plaquetas bem; as proteinas totais tb estão bem. E nunca podemos analisar qualquer dado laboratorial de forma isolada; sempre a história clinica e os sintomas são mais importantes do que a interpretação de dados fisólogicos por medidas bioquimicas.
Se eu fosse “interpretar” o exame do Lelo sem saber de nada sobre sintomas eu diria que estou frente a um quadro infecioso e/ou inflamátório, e tendo a pensar em infecção bacteriana , inclusive.
Quanto ao sintoma que relatas de urina “grudada” não tenho a menor idéia do que te referes…mas se há uma suspeita qualquer de alteração na cor, volume, aspecto e quantidade de urina eliminada pelo teu gato tem que ser feito uma coleta de urina por cistocentese ( punção direta da bexiga) para um exame quantitativo de urina tanto quanto uma cultura para saber se há alguma bactéria infectando e junto um antibiograma.
Como relatas que ele parece que sente vontade de comer, vai até o pote de comida e desiste , eu focaria alterações na oro-faringe, não necessariamente uma faringite. Creio que ele deva passar por uma boa inspeção bucal, pois os gatos podem apresentar problemas, e são bem susceptiveis, de doença peridontal, tanto quanto de úlceras na região da gengiva e mucosa bucal como um todo, podendo até ser causada pelo virus da Calicivirose ( virus do sistema respiratório dos felinos).
Com esses dados do exame hematológico eu não diria que há baixa imunidade, pois os linfócitos estão bem…um hemograma por imunudeficiência como um todo não trás essas caracterisiticas….Mas enfim, acho que a coisa é mais simples do que possas pensar. Eu entraria imediatamente com antibiótico de amplo espectro associado a um anti-inflamatório e me atentaria para a parte bucal.
Quanto aos teus gatos por tudo quem me relatas e por tudo que te explico, não haveria maiores preocupações.
Acho que é isso que posso te dizer sobre o que te angustia nesse primeiro momento…Conversa com o Veterinário que o está atendendo, questiona, sugere um exame de urina e uma boa inspeção bucal sob sedação para que o o profissional possa avaliar melhor a cavidade bucal e até mesmo aprofundar o exame da faringe com o aparelho laringoscópio.
Era isso, querida! Fica calma, tudo correrá bem.
Obrigada pela visita ao site!
Abraço pra ti!
Dra. Synara Rillo



Selma Maria bocato
em

Dra.
Estou muito assustada,pois nosso bebê, Obinanathan, encontrado por meu filho com cerca de 20 dias, criado pela família em “mamadeira” com leite em pó de gata, dormindo com sua mãe adotiva, um pet com água quente, está com suspeita de PIF. Ainda não temos certeza, pois a suspeita surgiu no sábado e ele fará o exame amanhã, segunda. Me preocupa muito pois ele tem 7 irmãos, todos com histórias de vida de abandono. Tenho muito medo de perder a todos, o que tornará nossa luta completamente vã. Ele pode ser portador do virus desde o nascimento? Está conosco há 15 meses e nenhum deles manifestou sintoma algum.
Grata pela atenção
Selma



synara
em

Oi Selma!

Calma,ai! Nem tudo é PIF! Por ser uma doença insidiosa pode manifestar sintomas que sugerem a Peritonite, mas não esqueça que a pletora de sinais clínicos que ela pode ocasionar em um organismo, muitas vezes é compativel com outras doenças dos gatos. Se ele for submetido a sorologia para PIF, é importante ver qual o meio da análise sorológica ( Elisa , imnuno ensaio, etc) para poder ser fidedigno a positividade. Tem que se ter cuidado também ao “fechar” um diagnóstico preciso para a PIF, fazer uma abordagem ampla e profunda com hemograma, ecografia, às vezes RX de tórax, dosagens de enzimas hepáticas, proteinas , etc , antes de afirmar tal doença. Além disso, diferenciar da forma “seca” e efusiva da doença, pois isso vai variar quanto ao prognóstico da mesma, tanto quanto a abordagem terapêutica.
Quanto a tua pergunta: Sim, ele pode ser portador desde filhote, tendo adquirido o virus via transplacentária assim como pelo contato intimo com a gata mãe. Seus irmãos de ninhada podem também estar contaminados ou não, pois depende da particularidade imunitária de cada um.
Fique tranquila, por que já pensar no pior??
Pode ser que não seja…Não posso fazer maiores abordagens por que não tenho dados sobre sintomas e história clinica dele. Ok?
Afagos no teu gato e um abraço para ti! Obrigada pela visita ao meu site, assim como, pela tua participação na proposta de interatividade do mesmo.
Dra. Synara Rillo



tania
em

Salvei uma gatinha de rua de uns 3mêses de vida, está isolada de meus gatos há 30 dias. Ela estava desidratada, teve febre,abdomen dilatado, tomou soro, clavulin, vermifuguei e ficou boa. Alimenta-se muito bem (até demais),porém ela tem uma cicatriz em um olho que pelo que li na net me pareceu ser de Pif seca.
Vc acha que ela , mesmo estando curada poderia transmitir o coronavírus para os meus outros gatos? eles não são vacinados pois não saem ou têm contato com outros animais.Farei teste contra Felv e Fiv, mas li que o de Pif não é 100%, o que vc acha?
obrigado pela sua atenção,um grande abraço,
tania



Adriana
em

Olá Synara!

Tenho uma gatinha que é uma preciosidade para mim e meu marido. Não temos filhos então a tratamos como tal.Fazem 25 dias que estamos vivendo um grande pesadelo. A Bina , que é como se chama, tem um tumor ao lado do focinho há muito tempo, mas os veterinários que consultamos só drenavam e não gostariam de mexer. No feriado de ano novo a Bina comeeçou a não comer mais e da sua boca e olho saía muita secreção. Ela nem sequer se higienizava mais. Levamos a um hospital veterináio, onde ficou internanda por três dias, fez exames de sangue, raioxe uma biópsia. No terceiro dia nos chamaram pois não havia nada para fazer por ela, pois o tumor (maligno), já estava em estado muito avançado e inclusive havia corroído parte da maxila. Não achavam possível cirurgia, nem quimioterapia. Pediram que decidícissemos se queríamos autorizar a eutanásia. Não concordamos. Foi colocada uma sonda pela qual até hoje ela está se alimentando e recebendo medicação. Ela está em casa conosco e tenho dado todo o meu tempo a ela. Tem dias que está um pouco mais disposta, mas tem alguns dias que não aceita a alimentação nem via sonda, vomita, não faz a sua higiene, fica só deitadinha e tenho que, inclusive, colocá-la no seu banheirinho. Não se dá conta de ir até lá. Olho para ela e tenho a impressão de que não tem dor, pois sua respiração é sempre serena. Mas não sei se estou fazendo certo… Tenho muita dor ao olhar para ela e lembrar como ela era…
Estou te escrevendo porque tenho muita dúvida sobre a eutanásia. O que achas? Será que estou sendo egoísta ao pensar que ainda devemos tentar? Será que ainda podemos lhe dar alguma qualidade de vida? Esta sonda não a está prejudicando? Me dê uma luz, por favor! Não sei o que fazer nem o que pensar…
Abraços
Adriana



Synara
em

Oi Tânia!

Eeu acho que há demasia de “cuidados” e preoupações ai…calma lá..cicatriz em córnea nem sempre é por PIF. E quanto a fazeres todas essas sorologias ai, vai te dar um custo enorme, e nem sempre vamos ter precisão, podemos em algumas situações termos falsos positivos e falsos negativos. É importante antes de tudo analisar o animal em si, ambiente, etc, para depois sair dosando tudo que é sorologia dos gatos. Os animais podem passar os virus para outros animais quando estão na fase de viremia ou com a doença em si desenvolvida; na fase de viremia , geralmente, o animal apresenta febres intermitentes, discreta inapetência e depois cria anticorpos ou não. E quem diz que teus outros gatos não já não podem ser portadores assintomáticos??
Não te preocupa, tanto assim! Eu liberaria essa gatinha junto aos teus outros gatos, já.
Outra orientação: Acho que devias vacinar teus gatos, sim, e inclusive a nova integrante do grupo. Mas não vacina para a leucemia!! Pede 1 dose da quádrupla felina e uma da anti rábica para teus gatos adultos e como vivem mais isolados, sem acesso à rua podem ser revacinados a cada 2 ou 3 anos. A filhote tu solicita 1 dose da quádrupla felina, dá um intervalo de 30 dias, aplica outra dose e depois de 30 dias da segunda dose faz 1 dose única da anti-rábica. Esse protocolo vacinal deixará teus gatos protegidos das virose mais comuns que são a panleucopenia, rinotraqueite calicivirose e clamidiose que eles podem já ser portadores dessas viroses, principalmente a rino, a calicivirose e a clamidiose; viroses essas que quando há estresse podem se manifestar e ai serem graves. Essas vacinas não conferem imunidade de 100% aos gatos, o que fazem é darem proteção relativa, e se por ventura os gatos manifestem as doenças, elas são brandas e de fácil controle. Similar ao que ocorre com a vacina para gripe em humanos, os vacinados, se vierem a contrair a influenza têm os sintomas abrandados.
Acho que era isso! Grande abraço. Obrigada pela participação no site.

Dra. Synara Rillo



Synara
em

Oi Adriana, que chato tudo isso! Possivelmente a “falha” foi do primeiro atendimento, como referes que a muito tempo ela vinha apresentando essa lesão no focinho. Já deviam era ter cirurgiado logo de inicio. Os gatos desenvolvem com relativa frequência o que se chama de carcinoma epidermóide ( das células escamosas- pele); nos gatos os locais mais comuns é focinho, lábios, as orelhas e as pálpebras; sendo mais comum a manifestação em gatos velhos. Foi esse o resultado da biópsia? Se foi, ou se opera ou se lança mão de radioterapia, não a quimio. Geralmente há mestástases para linfonodos e pulmões. São verdadeiramente deformantes da face.
Não posso te dizer maiores coisas quanto as chances, ainda, de uma tentativa de cirurgia, pois não estou vendo a paciente; mas às vezes mesmo com envolvimento da mandíbula, pode tentar-se uma cirurgia com raspagem do local ou retirada de uma porção com colocação de placa metálica…Mas veja bem, antes de se pensar nisso, tem que ser feito um rx de tórax para ver se não se disseminou o tumor.
Tem-se chance boa de cura com a radioterapia, a dificuldade é achar quem faça…eu uma vez enfrentei essa situação mas quem me ajudou na questão da radioterapia foi um médico oncologista da medicina humana que se dispôs a ajudar..fazem alguns anos isso…tivemos a recuperação do paciente. Acho que devias procurar um outro Veterinário, que seja um bom cirurgião e pedir opinião, e realmente avaliar custo beneficio de cirurgia e/ou radioterapia.
Quanto a decisão da eutanásia, embora o animal não sinalize dor ao dono, temos que pensar na dignidade dele, e nem sempre podemos , nós, humanos, dimensionar de fato o grau de dor dos animais e saiba que os gatos têm um limiar de dor muito alto. Mas se realmente não houver mais chances, eu, se fosse a dona dela, faria eutanásia, pois se é o carcinoma epidermóide ele vai corroendo o animal…deformando-o…e meu coração não suportaria de ver um bicho nesse estado…e eu já vi…pois presenciei um fato de apego de uma dona a um gato no ultimo grau de lesão pelo carcinoma que me deixou em estado de choque ao ver aquele gato sem face…mas cada um sabe de si.
Espero ter te dado a “luz” que me pediu. Mais não posso dizer. Que Deus ilumine vocês e a Bina, e que o melhor seja feito.

Abraço. Obrigada pela participação no site. Estarei sempre a tua disposição por aqui para ajudar no que me for possível, claro.

Dra. Synara Rillo



Adriana
em

Oi Synara!
Tuas palavras foram importantíssimas para que eu pudesse iniciar a pensar com mais objetividade na qualidade de vida da Bina. Tenho pensado muito e procurado outras alternativas. Realmente o diagnóstico da biópsia é carcinoma espinocelular e, estudando um pouquinho sobre o assunto, me apavorei com o que ele faz…
Mas na verdade, quero te agradecer muito pelas palvras de quem realmente sabe o que está dizendo e ama o que está fazendo. Que Deus te abençoe!
Abraço
Adriana



Synara
em

Ah, que nada, não precisa agradecer. Estamos aqui nesse mundo para ajudar uns aos outros, de que forma ou via for. Todos devem fazer sua parte para amenizar a dor e angústia dos seus semelhantes. E ter compaixão aos animais que dividem esse universo conosco.
Obrigada também!
Dra. Synara Rillo



Adriana
em

Drª, lendo sobre o caso da gatinha Diana fiquei muinto sensibilizada pq também estou c problemas com minha gatinha Bilbol.
Em 2006 ela apresentou dificuldade para respirar e devido resultado de exames, suspeitamos de infecção bacteriana. Apresentou líquido na pleura, e tentamos controlar c antibiótico e com diurético, obetndo estabilização do quadro. Ao nos mudarmos de residência, pois a antiga era muito fria, percebemos uma melhora imediata respiratória. Hoje, Bilbol tem 4 anos e meio e há 6 meses vem apresentando, cada vez mais frequentemente, pequenos momentos de “ausência” seguidos de baba abundante e mudança de comportamento de nervosa (q é o seu normal) para dócil e carinhosa. Descobri na quarta-feira de cinzas, após presenciar uma crise convulsiva, que ela estava com epilepsia!
Fizemos: ultrasonografia, eco cardigrama, exames de sangue e enzimas hepáticas e renais. Tudo normal. A não ser pela grande presença de líquido no tórax.
Administramos diurético e gardenal pediátrico.
Hoje, após 12 dias de medicação diária de 12 em 12 h, fizemos um Raio x para acompanhar o acúmulo de líquido e o médico acredita q ela n está respondendo ao diurétio e acha q devemos fazer a retirada do líquido deixando-a internada. A epilepsia parece contolada.
Bilbol está ficando apática e não reage muito aos estímulos que fazemos. Parece extremamente sonolenta boa parte do tempo. Como isso aconteceu também em 2006 qnd adiministramos o diurético pela primeira vez, adotamos o mesmo procedimento de ir diminuindo a dose. Mas ela ainda está muito apática. Há 5 Diminuiu a quantidade de ração que come e ingestão de água. Urina normalmente mas as fezes estão atrasadas, antes ela defecava todos os dias e agora demora de 1 a 2 dias.Esses sintomas loucos estão me enlouquecendo! De onde vem tanta água?
Minhas dúvidas são:
* Essa apatia pode ser devido a dosagem sanguínea do gardenal estar alta?
* Ela pode estar com PIF?
* Como sei quando um felino está com dor?
* Quando se faz a aspiração do líquido em excesso, em geral, o animal tem chances reais de ficar bom ou tende a ficar acumulando sempre mais e mais água?
Estamos em dúvida do que fazer, nós queremos ela conosco mas com qualidade de vida! Não queremos ser iludidas achando que ela sobreviverá normalmente e acabar fazendo ela sofrer mais do que deveria!
Por favor, me mande uma resposta, uma opinião!
Obrigada antecipadamente e parabéns pelo belo trabalho!



raquel rosa
em

Oi, Dra.
Estamos muito nervosos com relaçao ao nosso gato e precisamos muito de uma opinião!!!
uma semana atras, meu gato ( 1 ano e meio)vomitou a ração, e nos proximos 4 dias não vomitou mais, mas ficou extremamente apatico e com tosse.
No quarto dia levamos ao veterinário onde foi feito o emograma (normal) e ultrassom (alteração amorfa na região mesogastrica, aumento no basso.
Foi feito exames de AMILASE E LIPASE, com os respectivos resultados:

AMILASI : 4600
LIPASI: 360

Diante destes resultados, o veterinário diagnosticou pancreatite grave e internou com o tratamento de fluido terapia (soro mais vitamina).

o Veterinário falou que se não houver melhora no quadro em 24 horas, o quadro se torna irreversivel, podendo ocorrer a eutanásia do animal.

No primeiro dia de internação o animal não tossil mais.

O tratameno está correto, tem algo mais que possa ser feito?

Aguardo uma resposta, e agradeço muito a atenção.

RAQUEL



Adriana
em

Drª, minha gata Bilbol está melhor. A apatia era devido o diurético, suspendemos e ela está bem. Mas como os exames n foram suficientes para diagnosticar nada, e ela n aceita gardenal gotas, estamos adiministrando 1/4 de gardenal 50 mg de 12 em 12h. (Uma única dose ao dia ela volta a dar convulção).
Só q ela começou a dar sinais de desequilíbrio e difiuldade de firmar-se apenas nas patas traseiras. O q a Drª acha de homeopatia ? Gostaria de subistituir o gardenal.
grata pela atenção
adrina



synara rillo
em

Ola Adriana, desculpe pela demora em te responder; mas a minha vida é uma correria sem fim e me fastei 3 dias para fazer palestra fora de Porto Alegre. Consegui responder alguns comentário nesse interim, mesmo em viagem, mas não todos. Mas vamos aos teus questionamentos:

A Epilepsia pode ser encontrada, sim nos felinos, como entidade primária. Mas é mais rara em comparação ao cão. Para teres uma idéia, eu, na minha casuistica clinica em 21 anos trablhando com clinica de cães e gatos nunca tive a “oportunidade” de presenciar ou diagnosticar a epilepsia em gatos.
As convsulsões com as quais me deparei nos felinos ou eram por intoxicações exógenas ( envenenamentos) ou por causa secundária, geralmente, associada a essas viroses dos gatos ( que são muitas!)e que trazem muitas semelhanças nos sintomas, exigindo de nós, profissionais uma destreza para fechar com segurança qual ou quais virus estão envolvidos em um quadro clinico felino.

Qunato ao que me relatas, penso que seja a PIF efusiva(úmida)que a tua gatinha apresenta, sim. Pois essa forma da PIF acúmula liquidos em cavidades ( torácica -pleura e abdominal – ascite). E possivelmente desde os primeiros sintomas lá em 2006 já fosse a PIF se manifestando. Essa forma é a mais grave da doença; a PIF chamada seca, tem uma ação mais “branda” pois as inflamações não juntam liquidos, e com isso temos chances de com determinadas medicações ir prolongando a vida do animal com qualidade.

Eu imagino que as convulsões que ela apresenta possam ter sua origem na PIF, pois há um comprometimento hepático bem significativo nessa doença, podendo a levar a quadros de “intoxicação endógena” pela difuldade desse órgão em depurar terminados metabólitos orgânicos. Outro dado importante sobre a PIF x convulsões é que a forma seca ( que também pode ocorrer junto com a “úmida” e creio que é isso que está ocorrendo com a tua gata) pode causar inflamações granulomatosas e necrose em órgãos abddominais, olhos, e sistema nervoso central!! Pode, portanto, estar ai a causa das convulsões dela.
Quanto as tuas perguntas em si: Sim, os liquidos mesmo quando aspirados seja do tórax quanto do abdomêm tendem a continuar se acumulando.
Geralmente os gatos com dor manifestam uma quietude, se recolhem, se enroscam, param de interagir com o dono e o meio ambiente, dependendo do sitio da dor quando os tocamos podem querer escapar e com isso nos arranharem. Quando a dor é muito!! intensa fazem dilatação pupilar, também.
Sobre a dosagem do gardenal, sob meu ponto de vista e experiência está altissima!! E isso a está deixando tão prostada talvez, através de uma sedação – sonolência – do fenobarbital ( gardenal) e babando pois ao partires o comprimido ele libera um gosto amargo e qualquer gato, doente ou não, ao sentir gostos muito amargos tendem a babar em profusão. Baixa essa dose imediatamente!
Quanto ao diurético para que haja uma eliminação dos conteúdos liquidos cavitários, seria necessário uma corticoterapia com prednisolona ( não a prednisona nesse caso dela!)associada, pois esse liquidos são inflamatórios ( viscosos), dificultando a eliminação dos mesmos.
Não é muito dificil não, hoje em dia, fazer o diagnóstico da PIF, hem!? Te liga ai! Quem sabe pede a opinião de outro Veterinário?? Solicita uma aspiração do liquido abdominal, uns 5ml e colacam num vasilhame qualquer, deixem alguns minutos ao ar livre e se perceberem que ele vai formar “grumos gelatinosos” como se coagulasse, a possiblidade de ser PIF já torna-se grande!
Sei lá, mas deves pensar bem sobre todos os exames que estão te pedindo, ver a habilidade do laboratorista e do Veterinário ao interpretar tais exames; pois tudo isso te gera custos…e se for realmente a PIF a tua gata, mais cedo mais tarde sucumbirá a essa doença. E eu penso que se os animais perdem qualidade de vida perdem junto o sentido de viver…Pense!
Espero ter te clareado a mente e amainado tuas dúvidas.
Obrigadissima pela tua participação no site.
Dra. Synara Rillo



Ana
em

Olá Dra. Synara
Tenho uma gatinha com 13 meses que há cerca de 3 semanas deixou de se alimentar correctamente. Parece que enjoou a comida e agora já só se alimenta com uma comida sólida da Royal Canin.
Há um mês que ela tem vindo a perder peso mas como estava com cios constantes pensámos que a perde de peso e o facto de comer menos estivesse ligado com os cios.
Na passada semana fomos com ela ao veterinário e ele suspeitou logo de PIF. Um raio-x mostrou uma massa nos intestinos que entretanto desapareceu depois de ter tomado antibiótico. Os exames ao sangue revelaram: WBC#30.7×10^9/L; GRAN# 20.2×10^9/L, %GRN# 66%; L/M = 10.5×10^9/L, %L/M# 34%; ALT



synararillo
em

Oi Ana! Nossa…que confuso tudo isso..não consegui entender os tais resultados dos exames. “massa” nos intestinos não desaparece apenas com antibióticos…mesmo se fosse um linfonodo intestinal hipertrofiado – demoraria para dimunuir ou, muitas vezes, fica hipertrofiado sem maiores problemas quando não muito grandes. Será que não era um “fecalominha” (fezes mais durinhas)em alguma alça intesinal?? E se a gatinha melhorou com um antibiótico, apenas, decerto podia ser uma “infecção” branda qualquer, gatos fazem muita faringite… E quando a perda de peso, penso que são esses cios repetidos!! Castra logo essa gatinha!! Será melhor para a saúde dela e para a convivência entre ambas.
Obrigada pela tua participação no site! Abraço fraterno!
Dra. Synara Rillo



Ana
em

Boa noite Dra. Synara
Não sei se lhe chegou toda a mensagem que enviei porque só uma parte aparece aqui publicada.
De facto estou muito baralhada com a doença da minha gatinha. Primeiro foi a tal massa nos intestinos. Depois face aos exames de sangue e a uma infecção o veterinário chegou a ponderar a hipótese de piometra. Quatro dias depois ele já defendia a ideia de PIF. Novos exames de sangue mostraram uma anemia para além de WBC#30.7×10^9/L; GRAN# 20.2×10^9/L, %GRN# 66%; L/M = 10.5×10^9/L, %L/M# 34%; ALT



Ana
em

(cortou de novo a mensagem, julgo que seja por causa dos símbolos que usei para mandar os resultados das análises.
Para além dos resultados que já mandei ficou ainda revelado que o TP está elevado (9,5 g/dl) e as GLOB também estão altas (7,2 g/dl).
As análises revelaram também que a gatinha está com uma anemia.
Éntretanto fizemos o teste do PIF e à hemobartonela e ambos deram positivos. O veterinário mandou-nos dar Ronaxan para combater a hemobartonela só que tenho receio. É que a nossa menina está grávida e esse medicamento pode afectá-la e aos gatinhos. O que acha? Há algum medicamento alternativo? Será possível ser PIF mesmo que a gatinha nunca tenha tido diarréias?
Cumprimentos e obrigada por tudo
Ana



synararillo
em

Ola! Se te referes a TGP não está alta; se GLOB são as globulinas ( proteinas plasmáticas) não a percebo altas da mesma forma. Quanto a anemia até pode ser pela Hemobartonelose ou não… tudo vai depender do grau dela. Solicita a contagem de reticulócitos das hemácias. Quanto a PIF não é tão fidedigno assim um resultado positivo…temos que analisar bem tudo associadoo a história clinica , sintomas, etc e etc. Essa medicação a que te referes Ronaxan não sei o principio ativo dela. A droga de eleição para o combate do parasita da hemobartonella é a doxiciclina por via oral.E não deve ser usada em animais prenhes no terço final da gestação. A PIF nem sempre vem associada à diarréias…Sei lá..revê isso tudo com teu Veterinário.
Abraço!
Dra. Synara Rillo



Simone
em

Dra Synara,
Temos um filhote de 5 meses e meio(Zeca), a aproximadamente duas semanas descobrimos que ele está com PIF efusiva. Tudo está acontecendo muito rápido para nós. A veterinária dele tem sido um anjo conosco e como você, foi muito clara quanto ao quadro. O mais importante é que nosso filhote não sofra, mesmo assim é duro pensar que em breve ele terá que ser sacrificado.
Seu relato foi comovente e de grande utilidade.
Abraços,



Synara
em

Oi Simone! Pois é, uma dor dura demais essa de decidir pelo não sofrimento do animal e sentir a dor da perda de um bicho de estimação. Mas passa. Embora possa ser dificil pensar assim no momento em que se vive a dor…Mas amenizam, sim…e passam. E posso testemunhar que – tudo passa – pois eu já perdi “toneladas” de bichos que amei. Natural isso. Sei como te sentes agora e tenho profundo respeito. Força ai!
Obrigada pelo elogio e pela visita ao site!
Abraço.
Synara Rillo
Médica Vterinária



Adriana
em

Drª, somente hoje li sua resposta. Muito obrigada pela atenção!
Bilbol já n apresenta mais nenhum sintoma de dificuldade respiratória e acúmulo de líquido na pleura.
Como aconteceu no ano de 2006 e 2007, os sintomas aparecem entre o mês de dezembro e janeiro e depois simplesmente desaparecem.
Porém, temos um novo problema. Ela começou a n beber água. Eu tive q ficar dando c uma seringa. Voltou a beber água mas agora não come ração e nem bebe água.Mudou de comportamento. Antes só comia atum e ração. Agora´só quer comer carne de feijoada, frango e atum.
O animal está enlouquecendo a dona!
Só fica deitada e n brinca mais q 1 minuto. Logo se desentereça. Diminuí ainda mais a dose do gardenal (era 50mg dividido em 12 pedaços. dávamos 1 pedaço a cada 12h) e só damos agora 1 pedaço a cada 24h. O ânimo melhorou muito. Mas está longe do normal, e ela n urina(3 dias) e nem defeca(7dias). Como continua sem beber água estou dando aquele soro “pedialite” para crianças desidratadas. Os médicos aqui de Salvador parecem n fazer idéia do q ela tem. os sintomas são desencontrados.
Vomita se bebe leite e hoje vomitou o atum q comeu. Atum era a única coisa q ela estava comendo.
Estou perdida.



Paula
em

Oi Dra., fiquei mto emocionada com seu relato.
Chorei mto, tenhos dois gatos, Astolfo de 1 ano e sete meses e a Sofia de quase sete meses, amo mto esses dois bichinhos, são minha vida, fiquei mto assustada com essa doença, quando por acaso li em um site.
A Sofia tem um olho que esta sempre derramando lagrima, pensei se não tem a ver com um dos sintmas da doença de tão assustada que fiquei, mas ja fui na veterinária e ela falou que é normal, mas com o astolfo isso nunca aconteceu, gostaria que a senhora me desse alguma informação sobre o olhinho dela lacrimejar desde o dia em que nasceu.
E gostaria de saber tb se tem alguma vacina ou alguma coisa para prevenir a PIF.
Mto obrigada.



Synara
em

Ola Adriana! Bah, me limito em ir mais adiante com o que relatas…é importante que o profissional veja e faça um bom exame clinico nos pacientes. Mas creio que já ajudei um pouco nas respostas anteriores. Certo?
Abraço.
Synara Rillo
Médica Veterinária



Synara
em

Ola Paula! Pois é, acabou sendo um relato meio “duro” para quem tem gatos com essa doença. Mas meu objetivo além de esclarecer sobre as doenças dos cães e gatos é fazer as pessoas passarem a viver em mais harmonia com seus animais de estimação. E isso envolve os sentimentos dos donos. Portanto, mesmo amando tão intensamente teus gatos, reveja teus sentimentos, principalmente o apego execessivo – seja ele qual for; pois esse tipo de sentimento tira muita energia da gente. Precisamos viver mais em paz com a gente mesma para podermos dar essa harmonia relacional inter espécie. Os animais, embora sendo seres que sentem dor, adoecem e necessitam do ser humano para viverem bem nesse mundo evolutivo social ( urbanização) agem e reagem muito diferentes da gente nesses qusitos que te falei. Então, tenha calma, confia na Veterinária que atende teus gatos. E procura não pensar sempre no pior. Nem tudo é PIF! Quanto ao lacrimejamento dos olhos dos gatos, isso, em alguns deles é comum de ocorrer, seja por uma questão anatômica do olho ( os persas, por exemplo) tanto quanto por ações virais crônicas da Clamidia ( que um microorganismo que causa conjuntivite em gatos). Tenho vários gatos que possuem esse lacrimejamento e tudo bem…vou limpando…vez que outra uso algum colirio para reduzir a reação inflamatória. Sem maiores problemas. A outra tua pergunta: Não há vacina para prevenir a PIF, não. O que tens que providenciar é anualmente fazer a vacinação com a Quadrupla felina neles e com a anti-rábica. Acho que é por ai! Sem muito estresse, hem!?? Leva a vida mais leve…OK?
Obrigada pela participação no site.
Abraço.
Synara Rillo
Médica Veterinária



Juliana
em

Olá Dra, como vai? Primeiramente gostaria de dar os parabéns por estar ajudando tantas pessoas por meio desse site. Eu não conhecia, conheci agora, li vários tópicos, e achei muito esclarecedor. Vc é muito atenciosa. Fiquei muito triste com o caso da gatinha, realmente pela foto ela parecia ser mto linda mesmo! Sinto muito pelos proprietários.
Bom, vou escrever sobre o caso do meu gato agora. Ele se chama manson, macho de aproximadamente 1 ano e meio. Achei ele abandonado na rua, e trouxe para casa, não tinha desmamado ainda. Não pensei duas vezes em trazê-lo quando o encontrei. Nunca apresentou sintoma de um animal doente, muito pelo contrário, sempre foi saudável. Mas em março desse ano, de repente parou de comer, estava em pele e osso (isso foi muito rápido), apresentava febre que variava bastante até 41 graus. Foi então que o levei na clínica que trabalho, e lá ele foi internado. Estava com a urina bastante fétida, e também com halitóse. Nenhum corpo estranho na boca, apalpação normal também.
Os exames:
Leucócitos: 6200/mm
Basófilos: 1% 62/mm
Linfócitos: 5% 310/mm
Monócitos: 1% 62/mm
Plaquetas: 136.00/mm
ALT: 47.61 UI/L
Creatinina: 0.71 mg/dL
Ureia: 22.0 mg/dL

Ficou internado durante 3 dias, não respondia aos antibióticos, e sua febre não passava. Seu humor dias antes de ser internado, estava muito agressivo. Até mesmo comigo! (sendo que sempre foi um gato dócil). A febre voltava à cada 12 horas. Enfim, tudo passou, voltou a comer, e eu o trouxe para casa novamente. Nunca mais teve problemas, mas a minha amiga que o atendeu, disse que não descarta as chances de ser PIF. Gostaria de ter mais opiniões, baseado nesse exame dele. Ele continua tomando corticóide (Meticorten), estou diminuindo as doses cada vez mais, até parar. Tomou interferon também, e precisou de estimulador de apetite para voltar a se alimentar. Pois com os antibióticos ele ficava muito enjoado, nem água conseguia beber. Mas nenhuma vez teve vomitos bem diarreia (nem antes de ser internado, nem durante, e nem depois). Desde março até agora, tem se alimentado muito bem, não teve mais sintomas. Tenho mais uma gata em casa, e tenho muito medo que seja PIF, pois se for, ela já está contaminada também.
Gostaria muito de sua opinião. Sei que se basear apenas no exame, é um pouco complicado, mas qualquer palavra já ajuda.

Agradeço muito a sua atenção.
Um abraço,

Juliana



synararillo
em

Ola Juliana! Olha as questões virais felinas são amplas e complexas. Penso que o teu gatinho fez uma viremia ( reação a algum virus deles, dos gatos e se recuperou) é bem comum isso! Não dá para pensar só em PIF. Relaxa!! Pode ser que nada venha acontecer com tua gata…cada organismo reage de um jeito! Certo?
Abraço.
Synara Rillo
Médica Veterinária



leila
em

OLá!
Estou muito triste em descobrir que minha gatinha “Mel” apresenta este virus.Levei ao veterinária ( que foi mto cuidadosa e carinhosa em nos dar a noticia).
A veterinária passou um abridor de apetite e um antibiótico.A Mel vomita todos os dias ( e depois que demos flagil e outro antibiótico) conseguimos controlar e não quer comer e bebe pouco água.Está um pouco indisposta tbém, não brinca mais como brincavamos antes, e só quer dormir, além da queda do pêlo, na parte traseira já esta careca.
Temos mto dó de dar ops remédios, pois é sofrido para ela, fica assustada…
Gostaria de saber qual é a real necessidade dos remédios, sabendo que a nossa Mel tem poucos dias de vida?
Agradeço desde já atenção
Leila



badutte
em

Olá !
Tenho uma gatinha de 1 ano e está com problemas renais, o veterinário pediu que desse a ela um diurético para ajudar na urina, e dou agua de côco para hidratar, ela esta comendo a ração especial para os rins, segundo o veterinário ela tem que urinar bastante, por isso os diuréticos, fico preocupada, ela tona meio comprimido todos os dias, é correto ficar dando esses diuréticos a ela?



Elisa
em

Olá!
Eu tinha 3 gatos e em dois 2 meses só já tenho 1, a PIF matou-os.
Um com PIF seca e o outro faleceu agora no dia 30 com PIF húmida.
Resta-me um bosque da Noruega de 6 meses?
O que faço? A minha vet já enviou fezes para análise mas o laboratório não se despacha.
Ele bricava muito com a gata que faleceu recentemente.A gata teve um mês muitodoente e ele sempre a coniviver com ela, partilhar a mesma casa de banho as mesma taças de comida!
Se ele tiver o virus quando é que ele vai adoecer?
Será que ele já não devia estar doente, pois esteve um mês com a gata?
Quais as probabilidades de ele não ter o virus?
Eu coneco a doença, tenho-me fartado de ler, mas nada me diz quando pode começar e quais as chances de o meu gatinho não ter o virus!
Explique-me por favor.

Elisa Açores



michele menezes
em

Oi dra: Synara eu tenho alguns gatos que peguei na rua e trouxe para casa, tenho uma persa que ganhei e acho que ela tem essa doença, como moro no interior levei ela em uma faculdade me disseram que não podem confirmarse é PIF. Ela sempre foi tranquila não brigava com os outros gatos, de uns 5 meses para ca percebi que ela emagreceu muito e a barriga dela esta cheia de liquido. Gostaria de poder ajuda-la pois fico triste de ver ela assim, mas me disseram que não tem o que fazer, que so em um grande centro poderiam tentar ajuda-la, ela tem 5 anos, não sei o que fazer mais pois acho que ela esta sofrendo, ela come e toma agua, as vezes da uma infecção de bexiga coisas assim e a gente trata, mas sei que ela não esta bem. Gostaria de uma ajuda de esclarecimento. Por enquanto obrigada.



Sidney Henriques
em

Dra,
Tenho uma gata querida que, depois de curada de hemobartonela, foi detectada FIV atravé de punção de medula. O virus selecionou as hemácias e destruiu a medula, já fez sete transfusões e tomou estimulantes para produção dos hemetócritos sem sucesso, ela está tomando lamivudina tb. a veterinária disse que não tem jeito mas, não quero desistir. Busco alternativas para mantê-la viva. Você pode ajudar?



Lucia Regina
em

Dra.Synara, tenho lido seus artigos, respostas, e, como desejei que a senhora fosse do RJ.Perdi há três semanas minha querida Mel, de 5anos.Ela se foi no auge de sua alegria e fonte de um amor enorme.Deixou a mim, meu marido e meus filhos com esta dor enorme.Dormia todas as noites encostada em meu peito e este vazio doí muito.A eutanasia a pedido do veterinário foi realizada em meus braços depois de 17 dias de sofrimento.Foi internada com creatina de 16 que em 10 dias abaixou para 2.8.Neste tempo foi diagnosticada uma hemobartonella que o antibiotico não combateu, chegando ao quadro de anemia.Hoje, passado apenas este tempo, meu filho pede que eu vá no mesmo lugar onde peguei a Mel e procure outra parecida e meiga para preencher o vazio que ficou.Mas, Dra Synara o que faço? Não consigo esquecer os dias em que ela sofreu e eu saía em prantos da clínica.Também, tenho outra gatinha de 9 anos que não sei se aceitará a outra e, fico preocupada em ela ter contraído esta doença e com o stress acontecer o mesmo. A senhora com toda sua experiência o que me aconselha neste momento?
Muito obrigada e que Deus lhe ilumine cada vez mais. Lucia



Elaine
em

Prezada Dra Synara
Parabens pelo seu trabalho e pelas palavras que encontro em suas respostas.Tenho 3 gatos e um que me e muito especial (como um filho) esta passando pelo 2 vet. Foi tratado inicialmente p haemobart.com Doxy 20 dias , logo apos entrou em fase de anorexia e febre.ja fez 2 ultrassons e hj diagnosticaram pancreatite com uma possibilidade de PIF(devido um inicio de liquido na cav abdom)porem ainda nao se sabe. Esta sendo tratado p pancreatite e so nos proximos dias saberemos se vai reagir aos antibioticos…Estamos sofrendo muito em veçlo assim e principalmente nessa possibilidade de diagnostico…Minha duvida e …a ancreatite poderia liberar um liquido tambem(pois e bem discreto)…
Se puder me auxiliar…
atenciosamente e agradeço desde ja



Maura Lucia Ivanenko Sette Camara
em

Dra Synara.
Para começar quero dizer que fiquei impressionada com sua gentileza e paciencia em suas respostas. Mas vamos à minha pergunta. Tenho um gato com uns 10 anos ou 12, já me esqueci, da raça conhecida como angorá. Já tive vários e todos fujões, então, contra vontade de todos da casa resolvi castrá-lo e como resultado o gato, antes sadio, ficou histérico e parecia asmático (melhorava só com o uso de bomba de ar), além de ter se tornado o mais fujão de todos os anteriores. Com a chegada de um forasteiro deixado em minha porta e ao qual nos ligamos muito, ele, antes carinhoso e manhoso, se tornou arredio e ranzinza. Nos últimos meses deu para , derepente, ficar correndo em círculos, coçando uma das ancas, desesperado puxando a pele, arranhando o chão, derrubando tudo pela frente e molhando o chão com um líquido parecendo urina grossa, sem muito cheiro, esbranquiçada e que depois, meio enverganhado, ele lambe. O primeiro veterinário disse que ele não apresentava nenhum tipo de doença grave, receitou vermífogo. A segunda está falando na tal “pif” , mandouz fazer exame sorológico, receitou antibiotíco, vitamina B e corticóide. Além dissso notou mancha num dos olhos e ferida na boca. O que fazer com o pobre do gatinho? alías gatão porque ele que ficou sem pouso, pois fico fora de casa o dia todo e não quero chegar e achar tudo quebrado, entra correndo, enche a barriga e, coitado é escoraçado. Já imaginou que raiva e que stress?
Desculpe o incomOdo e ujmabraço. Maura.



Mery Lopez
em

Meu gato já foi ao Veteri´nrio..mas continua de dia pra dia sem querer comer emagreceu imenso de 8 kilos (gato grande) passou quase para 3 está muito debilitado, os leucócitos e linfócitos estão muito altos ele só bebe água e recusase a comer Que faço O que ele tem??? Por favor ajudem



Isabelle
em

Olá, tudo bem?
Ano passado meu persa de apenas 5 meses morreu de PIF, e peguei outro persa já com 6 meses, e agora ele está confirmado com PIF também. Os sintomas que ele apresenta é a perda de peso, ele não come nem bebe sozinho, damos papinha de whiskas e atum e água e leite por conta gotas. Apresenta falta de equilíbrio e as patinhas de trás as vezes travam. Ontem começou a ter convulsões. Está tomando Interferon, Ampicilina, Metircorten e Cobactin para abrir o apetite. Quase não vai ao banheiro também. Ele está sendo tratado por uma especialista em felinos, que hoje receito Gardenal por causa das convulsões. De qualquer modo ela diz que ainda é cedo para a Eutanasia, pois ele demonstra muita força e vontade de viver.
Esta doença é a coisa mais triste que pude ver, pois eles sofrem muito.
Como meus dois gatos vieram infectados do Gatil, gostaria de tomar alguma providência para evitar que outras pessoas sofram assim com seus gatinhos. Tens alguma sugestão a me dar??



eliane
em

Ola Dr. Synara, minha gatinha Kyara de 5 meses vem apresentando os sintomas de PIF, falta de apetite, falta de equilibrio, já não consegue andar sem apoio, dificuldade para engolir e perda de peso. Sua alimentação esta sendo quase liquida e com ajuda de uma seringa, gostaria de saber com deve ministra a prednisona para ela, pois é tão pequena não quero dar super dosagem. Obrigada, Eliane.



André
em

Dra. foi um prazer ler todos os comentários no site, continue assim ajudando as pessoas, só as aflitas sabem da importância de uma palavra amiga.Aproveitando gostaria de lhe fazer uma pergunta, sou lojista e vendo gatos de um só gatil, já vendi mais de 50animais e ninca tive problemas de sáude com nenhum deles, a 1 mes um dos gatos que vendi teve um diagnóstico clínico de pif e a proprietária reclamou muito comigo, relatei o caso a dona do gatil que imediatamente levou os gatos pai/mãe do referido gatinho ao veterinário para exames clínicos, não apresentaram nenhuma alteraçao, então o veterinário solicitou o exame de sorologia de imunocromatografia eos resultados deram score 3=médio positivo – prévia indicação ou infecção corrente por corona vírus ( conversão para títulos de I.F.I = Título > 1:10 a 1:160), como não entendi direito esses resultados pois o veterinário disse que apesar de ter dado positivo os animais podem não apresentar sintomas mas podem transmitir a doença para os filhotes, gostaria de saber se corro o risco de que futuros filhotes tenham pif, gostaria de continuar vendendo mas acho arriscado, a Dra. poderia me dar uma opinião.muito obrigado.felicidades.



Synara
em

Ola Eliane. Veja bem, se, de fato, tua gatinha é portadora de PIF, e está com sintomas neurológicos, o caso passa a ser grave. Não deves criar uma expectativa de melhora para ela. Isso pode evoluir e trazer mais danos cerebrais por meio dos granulomas inflamatórios. A dosagem da prednisona , depende do que se quer atingir, nesse caso, deve-se usar altas doses: 2mg/kg é uma dosagem usada para imunosupressão, caso que , muitas vezes, requer na PIF. Certo?
Abraço fraterno.
Synara Rillo
Médica Veterinária



Synara
em

Ola André. Obrigada pelas palavras de incentivo. Mas antes de te responder – embora vá te “atingir” – quero deixar bem claro aqui a minha plena opinião sobre animais: NÃO CONCORDO COM VENDAS DE ANIMAIS! É por esse comércio, que existem tantos e tantos danos aos cães e gatos. Além disso, o que denomino de mundo pet ( vendas e outras ações) é o maior responsável indireto pelo abandono animal. Existem milhares de gatos abandonados por ai, melhor seria, incentivar a castração, a adoção e frear esse ramo lojista relacionado aos cães e gatos. Mas cada cabeça uma sentença. Vai da consciência de cada um. Se eu tivesse força impediria toda e qualquer venda de animais para poder fazer uma real e verdadeira proteção animal. Geralmente, esses criatórios de gatos de raça são os maiores reservatórios, atualmente, de viroses dos felinos. Entre elas, a PIF. Mas respondendo a tua pergunta: Pais portadores assintomáticos podem, sim , passar virus para seus descendentes. Mesmo com pensamentos diferentes sobre o assunto, tu lojista, vendedor de gatos, eu Médica Veterinária defensora do verdadeiro bem estar animal e fortemente contra o comércio de animais, não deixo de te dar uma resposta sobre teu questionamento; e agradeço tua participação no site. Mas vale um repensar teu sobre esse fato. Ou não. Fica a teu critério. Tenho vários artigos aqui publicados sobre esse assunto. Se tiver interesse dê uma lida.
Abraço fraterno.
Synara Rillo
Médica Veterinária



tatiane
em

olá,tenho 2 gatos brancos de olhos azuis, um deles esta com uma coceira insuportavel em uma das orelhas ha um vazamento e sangue.
o que será esta acontecendo????



MARIA ANGÉLICA LOPES MENDES
em

Tenho um gatinho (aprox. 3 anos que, apesar de vacinado regularmente(quádrupla/raiva) contraiu um forte resfriado no ano passado. Tratado com antibióticos, recuperou-se. Um tempo depois passou a espirrar constantemente e a expelir, pelas narinas muito catarro viscoso. Levado ao vet. tomou corticóides, antibióticos. Durante o uso dos medicamentos apresenta melhora, mas logo depois os sintomas voltam. Preciso de sua preciosa ajuda urgente. Obrigada. Maria Angélica L. Mendes E-mail: mariang1957@gmail.com



Synara
em

Oi Maria Angélica. Por certo ele ficou portador crônico de uma rinite, que pode ficar como sequela da virose gripal felina. Tenta usar o colirio Dexafenicol na narinas dele. Coloca e aperta um pouco o frasco nas narinas dele. Mantenha limpo os olhos e nariz. Medique 1 x ao dia, por 10 dias. Ficar atenta para a possibilidade de haver pólipos nasais. Pode evoluir para isso, ai apenas com cirurgia para o controle efetivo. Por ai…
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Maria Angélica Lopes Mendes
em

Muito obrigada, doutora. seguirei seu conselho e voltarei a dar notícias daqui a 10 dias. Abraço. Maria Angélica lopes mendes



Maria Angélica Lopes Mendes
em

Doutora, adotei há 2 anos um gatinho que deve ter agora uns 7 anos, que estava na rua com uma grande bicheira numa das patas dianteiras. Era tão grave, que a vet não teve outa opção senão amputar, já que a mãozinha já fora toda comida. Enfim ele ficou com meia pata. Além disso tinha uns ferimentos que após exame constatou-se ser esporotricose. Tratou com ITRACONAZOL e ficou sarado. Algum tempo depois passou a apresentar uma tosse seca constante. Após exames detalhados, confirmou-se um aumento do coração e ele passou a fazer uso constante de LOTENSIN e CARDIZEM. Agora só usa o primeiro. Como de vez em quando a esporotricose se manifestava e retornava, levei-o a outro veterinário que pediu teste para FIV/FELV. Deu positivo para a AIDS Felina e negativo para a leucemia. Então ele passou a fazer uso de VUDIRAX e de INTERFERON e de 6 em 6 meses faz Hemograma completo e alguns exames bioquímicos. O que desejo saber é se há alguma possibilidade deste resultado positivo ser falho? Há algum tipo de alimentação, mesmo caseira que aumente a imunidade dele. Ele está bem, come ração super premium e só deu uma leve alteração nas enzimas hepáticas no exame feitoem outubro. Ele usou LEGALON durante um mês. Devo fazer novos exames agora? Aconselhe-me, por favor. Aguardo sua resposta. Obrigada. Maria Angélica



Synara
em

Oi Maria Angélica. Eu acho que já te respondi isso. Tu posta em vários artigos, manda e-mail, eu respondo, mas tenho outros para responder.
Obrigada pela participação no site.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



carolina
em

Olá doutora, espero que a senhora possa me dar uma luz… Tenho uma gatinha persa de 6 meses, e na semana passada levei ela para castrar. Foi feita anestesia inalatória, e antes da cirurgia foi feito hemograma, q apresentou basofilia, mas a vet falou q não havia problema em fazer a cirurgia. Resumindo, ela não se recuperou da cirurgia, veio pra casa mas não comia nem bebia água. O vet aconselhou a fazer alimentaçaõ forçada com seringa, com a ração a/d. Mas passaram 4 dias e ela seguia igual, aí começou a apresentar dificuldade de respiração, ficava com a boquinha aberta, respirando curtinho, aí na terça à noite ela acabou ficando internada. Teve febre, então foi feito então novo hemograma, q apresentou alta taxa de leucócitos, e também um raio-x que mostrou líquido em volta dos pulmões. O vet entaõ concluiu que se trata de PIF. Qual a sua opinião? será PIF mesmo ou alguma complicação decorrente da cirurgia/anestesia? Será que por causa da basofilia não deveria ter sido realizada a cirurgia? Já agradeço de antemão…



Synara
em

Oi Carolina. É dificil precisar e opinar sobre isso. Em tese uma basofilia é rara em cães e gatos, não sendo, num primeiro momento importante. Pode ser uma reação ao anestésico , da cirurgia em si? Pode , não se pode descartar pelo fato de ter passado por uma cirurgia, onde, em tese o animal estava bem. Se está com leucócitos altas e com edema pulmonar penso que agora é tentar tratar com diuréticos, anti inflamatório e antibiótico e ver a evolução do quadro dela. Não acho que devem de imediato pensar em PIF. Mas com o deccorrer do tempo, depois do tratamento que deverá ser feito nela, observar e avaliar melhor a possibilidade de PIF. Por ai…
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



carolina
em

Muito obrigada pela resposta, doutora. A gatinha parece estar melhorando, já respira melhor, mas ainda não está comendo sozinha, só alimentação forçada… mas estamos com esperança que ela sobreviva.
Parabéns pelo seu trabalho, Carolina.



Synara
em

Oi Carolina. De nada..Confia que ela reage. Obrigada pelo elogio ao site.
Synara rillo
Médica Veterinária



Fábio Marques
em

Nossa gata de 8 anos que pesava 6 quilos estava internada aqui na Universidade de Passo Fundo(UPF) desde o dia 03/06 com sintomas de PIF. Ela começou a ficar triste, não comia, não saía da cama… Aí eu comecei a dar a ração A/D da Hills numa seringa na boquinha dela a cada 2 horas.
Mas não adiantou nada, isso começou num sábado, então na terça eu levei ela na Faculdade e o veterinário disse para continuar alimentando ela e se em 3 dias ela não voltasse a comer sozinha que era para levar de novo e prestar muita atenção na respiração dela…
Então na quinta-feira eu percebi que a respiração dela estava bem alterada e levei ela na sexta-feira para fazer um raio-x que constatou que ela tinha um líquido no peito e que isso estava dificultando a respiração dela e ela ficou internada na mesma hora no isolamento (por se tratar de suspeita de virose). Na quinta seguinte ela estava tão bem que o veterinário já estava pensando até em dar alta para ela… Mas na segunda-feira um CHOQUE, quando eu liguei para ele para saber da alta ele me disse que ela estava completamente INCHADA e com edema subcutâneo generalizado.
Como o médico fica de folga nos sábados e domingos então os animais do isolamento ficam na “proteção” (se é que dá pra chamar assim) de estagiários que não sabem nem o que estão fazendo. Ora, será que no fim de semana eles não viram que a gatinha tinha começado a inchar??? Quando eu ligava para lá pedindo o boletim dela eles diziam que ela estava bem e não falaram NADA sobre edema!!! Aí quando o médico viu ela na segunda ele se apavorou (segundo as próprias palavras dele!)
Ele disse que isso era um sinal de PROGRESSÃO da doença!!!! Mas eu procurei em tudo quanto é site e blogs de veterinária na internet e não vi N-A-D-A falando que PIF pode provocar edema generalizado!!! Isso foi pura negligência e imcompetência!!!!
Nossa gatinha linda que nunca tinha sequer saido do apartamento uma única vez na vida e de tão medrosa se escondia de qualquer visita que chegava lá em casa MORREU se sentindo sozinha, abandonada e desprezada por nós já que eles não nos deixaram visitar ela uma única vez por ela estar no isolamento.
Ela teve uma parada respiratória na quarta-feira passada e eles conseguiram reanimar ela mas na madrugada de quinta as 5 da manhã ela se foi para sempre! Estou revoltado e indignado, toda a vez que eu entro no meu quarto e me lembro dela deitada na minha cama comigo me dá vontade de chorar! Até agora eu não fui pegar o corpinho dela porque eu não sei onde vou enterrar… Quando eu vi ela morta no necrotério eu nem acreditei que era ela, de tão inchada, parecia que ela tinha quase dobrado de tamanho!!!
Na sua opinião doutora esse lance do edema ter sido provocado pela PIF é verdade mesmo ou papo furado??? Aguardo sua resposta porque eu estou muito angustiado!



Fábio Marques
em

Nosso martírio começou no dia 10 de abril quando eu estava passeando as 7 da manhã de domingo com o poddle de minha mãe. Numa esquina uma desgraçada largou uma gatinha preta na rua na minha frente com a maior cara de pau, ela não tinha nem 1 mês e os olhos ainda estavam grudados.
O otário aqui ficou indignado e sempre tentando fazer o bem peguei a gata e levei ao apartamento, mas deixei ela na sala e apenas 1 gato (que fica na sala) teve contato com ela. Uma semana depois ela adoeceu, ficou triste e não comia mais. E parecia que estava com dificuldade de respirar… Na terça-feira dia 19 de abril ela morreu na nossa frente sem que pudessemos fazer nada. Ela não estava respirando e abria e fechava a boca como um peixe fora da água tentando respirar!
Bem, 10 dias depois (dia 29 de abril) nosso negrinho (que fica na quarto de minha mãe e não teve contato com ela) adoeceu e não queria mais comer, ficou triste, não saia da cama (ele nunca tinha adoecido em 9 anos), levamos ele no veterinário e demos um antibiótico para ele que não adiantou nada. Então 3 dias depois dele o nosso gato que ficava na sala (o que teve contato com ela) adoeceu também com os mesmos sintomas.
Como esse gato em 2009 teve lipidose hepática e ficou internado 44 dias na Faculdade e quase morreu eu pensei então que ele tivesse tento uma recaída e pensei também que o negrinho estivesse também com lipidose. Comecei a dar a ração A/D da Hills numa seringa na boca dos 2 a cada duas horas e o gato da sala se recuperou em 5 dias e ficou bom mas o negrinho não melhorava de jeito nenhum, os dois fizeram exame de sangue e não marcou nada de mais. Mas no dia 11 de maio eu percebi que o peito dele estava com a respiração bastante alterada e na manhã seguinte levamos ele na faculdade para fazer o raio-x que constatou que ele tinha um líquido no peito que estava dificultando a respiração dele. Então o veterinário (o mesmo) nos falou da PIF, eu nunca tinha ouvido falar dessa maldita doença e agora eu me desespero quando eu vejo na internet o que ela representa. Ele internou nosso negrinho no isolamento e ele ficou lá por 19 dias e foram feitas duas retiradas de efusões do peito dele, uma com 135 ml e outra parece que 55ml, foi feito um exame sorológico (teste ELISA) que foi para Minas Gerais e que demorou 10 dias para chegar (laboratório Hermes Pardini ou algo assim) e que deu NEGATIVO. Então ele deu alta para o nosso negrinho dia 31 de maio.
Continua…



Fábio Marques
em

Nosso negrinho teve alta numa terça-feira dia 31 de maio mas 3 dias antes num sábado dia 28 de abril nossa gata (que também não teve contato com a outra) adoeceu com os mesmos sintomas para surpresa do veterinário que disse que esse teste não tinha como dar falso negativo (mas eu vi aqui na internet que ele dá falso negativo SIM) e ela foi internada no isolamento dia 3 de junho numa sexta-feira, fato esse que eu já expliquei na primeira mensagem.
Detalhe: Ele não fez sequer um único exame de sangue nela porque disse que o uso de corticóides poderia mascarar o resultado (porque ele não tirou o sangue logo no primeiro dia então?) e nem a análise da tal efusão pleural (que eu pedi várias vezes).

Bem, eu me esqueci de dizer que nós temos 4 gatos no apartamento, 3 machos (não castrados) e a fêmea (castrada). Os machos se odeiam e por isso vivem separados e a nossa gata tinha livre acesso no quarto de minha mãe (com o negrinho) e no meu quarto (com o outro) mas não ia para a sala (porque esse terceiro urinava por tudo e quando nós tiramos ela da sala resolveu o problema).

Bem, uma semana depois da gata o quarto gato (que fica no meu quarto e ficou com ela direto no quarto 6 dias enquanto ela estava doente já que não tinha onde colocar ela) adoeceu também dia 4 de maio. Não comia, vomitava direto (os outros não vomitavam) mas estranhamente não ficou triste nem abatido, levamos ele lá para tirar sangue e apareceu que ele estava com apenas 628 leucócitos sendo que o normal era de 1500/7000 (menos da metade no valor mínimo) e ele estava com o PPT de 8,0 (no limite) e os linfócitos também super baixos (menos de 2400) sendo que o normal era se não me engana 5000/9000.
Dessa fez foi outra veterinária que nos atendeu e ela receitou interferon felino 1ml por dia na boca e deu uma injeção de Plasil subcutâneo e receitou Label (para controlar o vômito).
Resultado: Depois que ele parou de vomitar 3 dias depois ele voltou a comer NORMAL e até engordou nesses dias e está absolutamente normal MAS ele está já fazem 10 DIAS com uma diarréia muito forte (com a consistência da pastinha A/D) e é isso que me preocupa, (tenho medo que seja PIF seca e esteja atacando o intestino dele) hoje eu levei ele num outro veterinário que fez um novo exame de sangue e de fezes e o resultado chega amanhã. Mas pode ser OUTRO vírus ou algum parasita talvez?

O nosso negrinho??? Está incrivelmente bem!!! Já fazem 1 mês e meio que ele adoeceu e ele está absolutamente normal, comendo, bebendo, sem vômito nem diarréia e está engordando (e sem tomar nenhum remédio), mas até QUANDO??? Se não era PIF então como explicar tanta coincidência? Todos eles adoeceram em menos de 35 dias?



Fábio Marques
em

*Correção: Esse último adoeceu dia 4 de junho e não 4 de maio.

Eu falei pra ele que existem várias outras doenças que provocam essa efusão no peito mas como explicar o fato de todos eles terem adoecido um atrás do outro em pouco mais de 1 mês? teria que ser algo contagioso, apesar que só 1 teve contato com aquela maldita gatinha (e esse se recuperou super rápido).

Moral da história, não sei o que vai acontecer agora, não sei se eles vão sobreviver, só Deus sabe o quanto eu me arrependo de ter trazido aquela maldita gatinha pestiada para nossa casa, então essa é a minha recompensa por ter sido bom? É isso que eu ganho por ter sido generoso? Esse é um conselho que eu deixo para vocês desse blog, NUNCA, JAMAIS peguem um gato de rua e levem pra casa de vocês! Dos nossos 4 gatos, 3 deles nunca tinham ficado doentes e olha só o que aconteceu?

Não consigo nem dormir mais a noite de remorso por ter trazido essa praga para nossa casa, fico o dia inteiro pensando na nossa gatinha que se foi, vou guardar essa mágoa para o resto de minha vida!



Cláudia
em

Olá doutora.Hoje fui obrigada a fazer eutanásia na minha gatinha de apenas 5 meses,ela estava com Pif e quando seu sofrimento passou do limite,tentei pedir perdão a ela,pois já não sei quem sofria mais,quem dormia ou comia menos,quem parecia mais assustada.Sei que meu coração nunca mais vai ficar realmente curado,apenas unido com uma sutura mal feita.Eu quis muito esta gatinha,esperei todo o processo do desmame para poder tê-la comigo,era tão pequena e me seguia pela casa…Mu te escrevendo para saber sobre o gatinho da Samantha,que também estava com Pif e ela parou de postar em janeiro,sabes algo?
Saibas que te admiro e acho que és abençoada,já imaginaste quantos corações humanos estão contigo cada vez que salvas estas preciosidades?



Synara
em

Oi Claudia. Pois então, compreendo, e muito, tua dor, já sofri em demasia por meus bichos, gatos então, que adoro, sofria bastante. Mas te deixo um conselho: não te apega nessa dor, pois quando fizemos isso, indiretamente estamos nos maltrando, a nós mesmos. Essas doenças viricas dos felinos são bem dificieis, a maioria acaba não resistindo, mesmo. Deixe teu gatinho que se foi nas tuas melhores lembranças, isso sim. E quando te sentires melhor dessa dor adota outro. Há tanto gatinho precisando de um lar e carinho como esse que tu ofertou ao teu que já se foi.
Olha, não sei mais noticias do gato da Samantha, ela não postou mais aqui.
Fica na paz.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Renata
em

Dra. Synara…
Estou lhe escrendo sobre o estado do meu gatinho, pois estou impressionada com a atenção que você das as pessoas que se encontram tão aflitas como eu estou.
Tenho um gato persa que acabou de completar 1ano de idade (21.03.2012). Comprei ele dia 22.06.2011, e desde então as fezes dele nunca foram normais, sempre mais pastosa. Então levei ao veterinário e ele falou que era normal por ser um filhote. Mas, isso com o passar do tempo persistia. Esqueci de falar que quando comprei, ele estava com um fungo nas costas, mas ja estava sendo tratato. Só que mesmo sendo medicado, esse fungo foi cada vez piorando e tomou conta das costas inteira. Como eu vi que os medicamentos que o antigo veterinário passava não havia resultado, resolvi ter outra opinião. Reclamei tudo para o outro veterinário, inclusive sobre ele ser tão magro. Então ele me pediu exames de fezes método Willis e o resultado deu NEGATIVO, fez o exame de Cultura e Antibiograma e o resultado deu Isolado: ESCHERICHIA COLI, e o outro exame Cultura Fungica e o resultado foi: MICROSPORUM CANIS. Começamos a medicar com Trissulfin, Bactrim, Cetoconazol e começamos a dar banho com Peroxydex Spherulites. Ele só sarou dos fungos após um longo banho que eu mesma dei e tirei tudo o fungo que ele tinha nas costas. Depois deste longo episódio ele melhorou. Fiz a castração em Dezembro de 2011, mas antes disso fiz exames de sangue que estavam normais. Pedi para o veterinário fazer pois ele sempre foi um persa muito magro. Agora no começo do ano notamos que o nosso THÉO não estava mais ativo como antes, então fui ao veterinário e ele me falou que poderia ser por causa da castração que pode modificar a personalidade do gato ou por conta do calor, para eu tosar. Tosei meu gatinho e ele não voltou a ser ativo como antes. Agora no começo de Março de 2012 notamos que ele estava dormindo muito, mais do que o comum. Dia 20.03.2012 percebemos que a respiração dele estava ofegante e fui direto em um veterinário mais experiente. Ele me pediu exames de sangue e fezes e pelo exame clínico ele notou um ruído no pulmão e me pediu um raio x. No exame de sangue deu alteração nos LEUCÓCITOS: 6.300 / UL, no exame de ALT(TGP) : 58,0 UI/L E ALBUMINA2,2g/dL. No Raio X o laudo diz: EFUSÃO PLEURAL e HEPATOMEGALIA. Voltando ao veterinário, ele assustou com a quantidade de líquido na pleura e me pediu ultrassom do abdomem, e o resultado estava tudo em ordem. Pelos sintomas ele suspeitou de PIF, então ele começou com diurético e com antibiótico de amplo espectro e no mesmo dia ele teve uma piora muito grande, parou de comer e beber água e só ficava deitado em posição de esfinge. Ele perdeu em dois dias 400 gramas, então o veterinário cortou o diurético e continuou com o mesmo antibiótico, aplicou soro e uma vitamina. Ele voltou a comer e a beber água, estava mais animado e até foi brincar com os seus brinquedos, mas a respiração que tinha melhorado ficava ofegante. Três dias depois ele piorou, ficou sem comer por um dia e só conseguiu comer peito de peru que ele ama. Hoje dia 31.03.2012 saiu o resultado dos exames PIF, FIV E FELV. FIV E FELV deram negativo, mas para PIF deu positivo para 1/810. Dra., preciso saber o que fazer, pois o veterinário recomendou a eutanásia, mas não consegui fazer. Hoje dei 1/4 a cada 12 hrs de METICORTEN 5 MG(recomendado pelo veterinário) e ele voltou a comer e sinais de uma leve melhora. ME AJUDA DRA., ESTOU AFLITA E SEM SABER SE POSSO FAZER MAIS COISAS Q POSSA SALVAR, POIS SEI QUE ESSA DOENÇA SÓ É REALMENTE CONFIRMADA APÓS A MORTE.



Renata
em

Dra., esqueci de avisar que tenho mais um gato persa de três anos e meio, mas ele esta aparentemente muito bem, estava com um pouco de diarréia mas parou após tomar DOXITEC 50 MG 3/4 a cada 12horas e fez exames de sangue que deram alterados PLAQUETAS 86.000 E LEUCÓCITOS 20.300. O veterinário me pediu o exame de PIF, mas o resultado só sairá daqui a 10 dias.



Synara
em

Oi Renata. Pelo teu relato e pelo titulo de anticorpos para a PIF é tudo compativel com essa doença. Esses felinos de gatis são bem propensos. O teu já veio ou manifestou doenças debilitantes ( diarreia e fungo) o que já indica que é um gatil que peca pela sanidade. Para esse doença não tem um tratamento que cure , apenas ações paliativas, como o dreno toracico, antibióticos, corticóides e Interferon. Eu, particularmente, acho que a eutanásia é indicada, pois é uma doença sem cura e que traz muito desconforto ao animal. Sei que é dificil tomar essa decisão….Mas terás que pensar nisso. Sinto muito, mais que isso me limito….
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária


Comente