Zoofilia – A história da cachorrinha Sofia.


     DSC00912.jpg Editada                                                A vida compartilhada com a sociedade humana atual faz dos animais objetos da insanidade humana. Isso me choca. Me choca quando me deparo com o mundo pet consumindo a saúde dos cães e gatos, e me choca quando ouço histórias como essa da cachorra que foi estuprada por um cidadão perdido e consumido pela quimica do crack, que desliga a consciência de um ser humano, tornando-o o animal que todos temos em nós. Instintos, impulsos, ações e reações. Esses mecanismos bio- emocionais  nos diferenciam de um bicho. Nós temos amplas condições de auto-controle do que é disparado pela via do impulso instintivo, tranformando nossas reações em gestos que redundem em respeito. Pelo menos é para ser assim.

Mas não é o que vemos como regra social humana atual; o que mais se percebe no dia a dia, são atitudes negativas variadas – e “animalescas” –  que refletem essa angústia e ansiedade coletiva que advém do consumo em exagero – e desnecessário. Se a nossa sociedade cada vez mais reforça a existência de cinturões de miséria, de vilas, favelas, de moradores de rua, de animais abandonados, locais que facilitam a perda do senso humano, por certo, é por que não aprendemos  a amar fraternamente.  E tampouco a dividir o pão.

 internados animanos 009.jpg Editada                                                   Quando nos defrontamos com a situção de zoofilia, que é caracterizada como ser humano tendo relações sexuais com animais,  e tendo o cão como vitima ainda por cima, é natural que queiramos “ linchar” tal cidadão.  Possivelmente, não foi fácil para a protetora Mara ver a cadelinha com  útero e vagina machucados, literamente, rolando em uma vila no Municipio de Canoas. Os cães e gatos são espécies que nos comovem muito – mesmo em face de sua vigorosa resistência fisica – e quando nos deparamos com essa forma de maus tratos é compreensível o sentimento de raiva que surge em nós.

E é essa discussão que tento levantar com essa história – ou mote, pelo menos, de ainda existir a manifestação instintiva, pura e cruel, por meio do ser humano. Buscar um animal para seu prazer sexual transcende toda a loucura que o ser humano pode experimentar. Quem pratica a zoofilia nem bicho é.  É um ser perverso que rompe com sua própria integridade de ser humano.  Portanto, levantarmos nossa raiva ou nosso ódio para um ser desse, de nada adianta. Ele está corroido e vencido pela vida. Cabe apenas o não julgamento.  E a compaixão.

Mas assim como existem cães sendo usados como instrumento da crueldade humana perversa, oriunda de um cidadão que precisa sentir a vida pelos extremos dos prazeres, existem cães e gatos aprisionados em um mundo que não é deles, quando são colocados sobre o julgo do homem moderno. Os animais sofrem pelas mãos dos loucos  e dos donos. Ninguém hoje em dia está isento dos maus-tratos aos animais.  O que muda é o cenário e coração de quem vê e vive os fatos.

Sofia foi retirada com sucesso das ruas , foi cirurgiada, cuidada, alimentada e hoje mora com a Lúcia e com mais um cão – o Pop. Tive a oportunidade semana que passou de ter contato com essa história e com essa cadelinha, mais que tudo.  Não me comovi às lágrimas quando a vi , já sabendo parte de sua história. Fiquei a observá-la como cão, apenas.

Observei que mesmo tenho passado pelo que passou, em nada mudava a vida para a Sofia. Apenas não tinha mais a liberdade de ir e vir que a sua natureza canina precisa.  Não ficaram traumas nela, não entrou em pânico, não se deprimiu e nem tem raiva do seu algoz. Apenas deve sentir a falta das ruas e da vida mais natural de um ser canino.  Humano, cruel e estúpido humano! Essa razão é nossa , não da Sofia.  Sofia é um cão que reage ao momento da vida e das cirscunstâncias. É apenas um cão.  Sofre, mas não ramifica sentimento. Hoje repousa desconfiada na vida que lhe ofertaram. Almofadas macias, alimento especial, contato humano amoroso ( verdadeiro, no caso da Lúcia) e outro cão para dividir vida entre espécie, tão fundamental hoje em dia.

Mais uma cadelinha retirada das ruas e do mau trato cruel do homem desnorteado e louco.  Enquanto não revermos conceitos básicos sobre a presença dos animais de companhia  na nossa sociedade, vamos nos deparar com zoofilia – doença mental humana – rasgando o corpo de  um bicho, até o perverso e sanguinário mundo pet colorido a aprisionar o cão. Complexo falar de estrupo em um cão. Dificil repassar uma história e seus fatos. Complicado entender a natureza humana. E profundamente discutivel a proteção animal na atual conjuntura.

DSC00917 Contudo, vida longa Sofia! Aproveita as almofadas para sonhar. Se é que cão sonha…

 

 

 

 

Até o próximo artigo.

6 Comentários


Fabio Ribeiro
em

Bah!! É lamentável isso!!! Não sei oque falar… Tenho vergonha da minha espécie… Acho que no fim tudo acaba bem quando as historias encontram pessoas de bem, como a Lucia, Synara e outros poucos.
Este assunto é tão antigo e comum entre os povos, que apenas entra como maus tratos, juntamente com o restante de mau feitorias humanas, deveria ser tratado com maior vigor no que se refere as punições previstas em lei.

Parabéns pela coragem Synara e conte conosco!!!
Bj



Synara
em

Oi Fábio. É verdade, zoofilia é coisa antiga – e nem tanto assim. No interior do RGS era comum a iniciação sexual dos meninos com animais. Mas de todo modo não há sentido nisso. Estamos nesse mundo para evoluir e não retroceder – em todos os níveis. Mas a humanidade me parece estar cada vez mais perversa e perdida.
Obrigada pela tua participação. E sei que sempre posso contar contigo e a Karina.
Beijo!
Synara



Carolina marques
em

Ola dr. !!
Graças a Deus eu achei voce aqui na net! Muito obrigada por compartilhar o q vc sabe e seu carinhopelos animais aqui. Eu acabei de achar seu site pq minha cadela labrador teve uma convulsao quando estavamos na praia. Do nada ela ficou que nem louca correndo descontroladamente e eu fiquei com muita raiva pq ela sempre me obedece, aí briguei com ela e coloquei a coleira, tava tao nercosa que so depois de um tempo q percebi q ela estava se tremendo toda e cambaleando pro lado, quando cheguei em casa ela estava ainda pior e entrei em desespero, pensando q eu pideria te-la machucado sem querer, pois estou a usar a gentle leader recentemente, e quando coloquei a coleira fui um pouco bruta. Fiquei tao mal, mas meu marido me acalmou e me lembrou q nao fiz nada para magoa-la q deveria ser outra coisa, pensamos q ela poderia ter comido algo na praia q pusesse ter feito mal tambem. Fomos pesquisar e achamos seu artigo sobre convulsoes. Estou mais tranquila e ela esta dormindo, mas agorinha chamei-a e ela ainda esta cambaleAndo. Vou aguardar mais um tempo e leva-la ao vet. Muito obrigada mesmo!!
Grande abraço
Carol



Carolina marques
em

Ah é normal demor a passr assim?



mary
em

oi Dr. Minha cadelinha está, hoje, com 24 dias que teve filhotes,mas tdos morreram.O veterinário falou que eu tinha que dar anticoncepcioal ,pós 40 dias, mas ela já está cruzando. O que eu faço? tem algum risco dela pegar cria?



Synara
em

Ola Mary. Tem risco de pegar cria sim, embora seja cedo para esse ciclo….ela já cruzar…O mais indicado é mandar castrar, pois o uso de hormônios desregulado pode alterar o ciclo normal do estro ( cio).
Abraço fraterno.
Synara Rillo
Médica Veterinária


Comente