Efusão Pleural – A história dos gatos Rute e Bolão.


   111005_191053                                                     A Rute e o Bolão são dois gatos jovens que foram adotados pelas mãos generosas da Ana Luiza Halfen. Vivem na casa dela com mais dezessete gatos e alguns cães, todos eles oriundos do abandono ou descaso com esses animais. Quando estava clinicando em Porto Alegre ainda, atendi uma gatinha dela portando a Peritonite Infecciosa Felina, já na fase neurológica grave.  Na época optamos – ou eu sugeri – a eutanásia.  Frente a doenças com danos neurologicos, que deixam sequelas e impedem uma vida digna para um bicho, penso que a eutanásia seja a melhor conduta clinica e do coração amoroso de um ser humano que tem plena consciência do sofrimento desnecessário ao animal. Eu tenho essa compaixão firme em mim.

Ana Luiza mora na cidade de Pelotas, cidade a 280 km de Porto Alegre, mas quando precisava se deslocava  para uma consulta comigo ou, muitas vezes, eu a ajudava via telefone, quando as questões clinicas  eram mais simples. Nesse mês de Outubro recebi dela pedido de uma consultoria para a Rute e o Bolão. Ambos estavam com um quadro significativo de doença pulmonar.  Ela já havia recorrido a um colega, mas não via melhoras nos gatos. Num primeiro momento o colega encarou a situação clinica deles como Rinotraqueíte e começou a tratá-los com antibióticos e mais alguns medicamentos. Mas ela  começou a perceber uma “falta de ar” muito acentuada no Bolão, a tosse da Rute evoluia, perdiam peso, e resolveu pedir a minha opinião sobre a situação deles. Me enviou filme do Bolão com essa “falta de ar”. ( esta em anexo a imagem)

Fiquei algum tempo analisando e revendo o filme. Logo enviei algumas perguntas que precisava fazer ( a chamada história clinica), e disse a ela que toda essa situação deles podia ser um caso de Efusão Pleural. Que o RX de tórax seria inevitável, precisava ser feito. E o mais rápido que fosse. Ela fez contato com um outro colega de Pelotas que se colocou a disposição para trocar idéias  e dividir o caso comigo e fomos juntos trabalhando e agindo na situação clinica da Rute e do Bolão. Confirmamos pelos RXs que de fato tinhamos  um quadro de grande quantidade de liquido dentro da cavidade torácica, tanto na Rute quanto no Bolão. Ele tinha um pouco de ar dentro dos pulmões também.

SUNP0038 Quando comecei a consultoria comecei a pensar que essa Efusão Pleural podia ser de ordem piogênica ( secreção purulenta). Mas no momento o que menos me importava era saber a causa, e sim tirar aqueles gatos de um desconforto intenso e grave que estavam passando com toda aquela evidente retenção de liquido dentro do tórax. Foi feito a drenagem ( punção) pelo colega Eduardo na gata Rute ( no Bolão não foi feita a punção), pois a situação dela era mais grave, foi coletado sangue para um hemograma também. Nesse exame encontramos um quadro de leucócitos  bem aumentados e com segementados também, indicando uma infecção. Os dois apresentavam os mesmos sinais no hemograma, sendo que na Rute a infecção se mostrava maior. Com esses exames fundamentais e procedimentos feito,  começamos a fazer um ajuste dos medicamentos que realmente eram ncessários com aqueles sinais clinicos que eles tinham. Entramos com corticoterapia e a associação de dois antibióticos ( um aminoglicosideo e uma cefalexina)., Eduardo decidiu complementar o tratamento com inalação.  Dez dias de aplicação do primeiro e depois dar continuidade com a cefalexina. E muito repouso! Em tese foi esse o tratamento feito nessa situação de Efusão Pleural em gatos. Eles reagiram prontamente aos medicamentos, a Rute teve uma melhora considerável no seu quadro todo, voltou a comer e melhora a olhos vistos. Bolão melhorou muito também, mas segue com uma discreta dispnéia.  Dentro de poucos dias vamos fazer outros RXs de tórax para vermos a evolução desse quadro pneumônico. Com isso vamos poder avaliar melhor se há danos mais extensos nos pulmões e outos órgãos do tórax,  mas era preciso diminuir a  retenção inflamatória que havia na cavidade torácica, primeiro. E foi feito isso.

Estou mostrando com essa minha história uma dinâmica básica de ação frente a um quadro de Efusão Pleural. Em tese, é assim que se age. Inclusive muitos manejos clinicos nesses quadros de doença pulmonar são indesejáveis, pois podem comprometer a vida do gato.

No decorrer da consultoria e dentro do tempo de tratamento deles fui tentando achar a causa dessa Efusão. Comecei pensando em potórax, mas não havia histórico de trauma torácico ( até então), depois disso pensei que podia ser compativel com uma Peritonite Infecciosa Felina – e ainda não a descarto totalmente, pelo menos como base imunológica. Tenho que pensar por esse ângulo, são gatos oriundos de um grupo de felinos onde o virus dessa doença já se manifestou, conforme relatei na introdução do texto. E dois com os mesmos sintomas. Mas foi depois de muita conversa e troca de e-mails sobre a situação e tratamento dos gatos, que a Ana Luiza relata, dentro de um contexto das minhas perguntas sobre a doença deles, que haviam cães ( eu não sabia, achei que eram apenas gatos que ela tinha em casa) e que  as vezes eles pegavam os gatos pelo tórax em brincadeiras mais abruptas. Com isso passei a enxergar a possibilidade  de ter origem piogênica por trauma. Compressão e ou perfuração do tórax, dando origem a isso tudo.  Vejam o quanto a história clinica, uma conversa bem feita com o proprietário é importante.  Podemos ter pontos bem significantes para elaborar um diagnóstico. A boa anamenese! Não podemos esquecer disso e nem ter pressa em atender nossos clientes.

Talvez alguns possam me perguntar  por que não  peço  sorologia para PIF, por que não  faço uma busca maior por meio de exames e defino  a causa de uma vez. Por que lidar com os bichos e com o bolso das pessoas não é uma ciência exata. Biologia não é exata. Gatos não são exatos. Eles tem particularidades comportamentais. Faço  e fiz os exames que eles realmente precisavam, fui além de hemograma, pedi análise do liquido que foi puncionado , mas não foi nada conclusivo, ficou um exame vago. No meu entender é preciso  sempre ver o todo de uma situação clinica:  ambiente, estado clinico real do animal, para onde se dirigem os sintomas ( quais órgãos), situação de ação clinica e cirúrgica que circunda esses gatos, no caso. E compreender o custo desses exames para o bolso do dono. Ainda mais de quem tem a quantidade de animais que a Ana Luiza tem. Bom senso clinico amplo e geral.  Eu entendo assim alguns caso clinicos, e o manejo como um todo, com os cães e gatos. Luta-se com as armas que se tem nas mãos, diz o velho ditado. O bom senso clinico é uma boa ferramenta.

 

   SUNP0049                                                   Essa é uma consultoria virtual  em andamento pois ainda estamos em fase de ações com o Bolão e a Rute.  Estão na fase final do tratamento todo, e vão ser reavaliados quanto a condição pulmonar por meio de novos Rxs. Fiz um intervalo de trinta dias para repetir esse exame. Conto depois como tudo evoluiu. Mas vou deixar uma explanação básica e conceitual para que possamos entender o que é uma Efusão Pleural, esse o objetivo, também, ao contar esse caso clinico:

 

 

Efusão Pleural é quando ocorre uma retenção de liquidos inflamatórios no tórax. Ela é um sinal clinico e não um diagnóstico totalizado.  Ocorre uma derrame pleural em face de um desequilibrio entre as membranas que revestem a cavidade torácica. Temos a Pleura Parietal que circunda o mediastino, a parede torácica e o diafragma e temos a Pleura Visceral que é a que reveste os pulmões. Portanto, por atingir essas camadas todas o quadro é chamado de Efusão. Como se houvesse uma inundação dentro do tórax. É um quadro clinico grave, que pode chegar a situação emergencial de forma rápida, tanto quanto se desenvolver de forma insidiosa, lenta. Depois dos sintomas respiratórios eles passam a manifestar outros sinais clinicos que corroboram com essa dispnéia, entre eles:   tosse, emagrecimento, perda crescente do apetite, adotam postura com as patas dianteiras abertas, perdem o viço dos pêlos, evitam esforço fisicos, se recolhem num auto repouso.

O histórico e os sinais clinicos  vão variar conforme a etiopatogenia ( causa), podendo ser brandos a graves, conforme  a quantidade de liquidos acumulados e a rapidez da evolução dos quadros. Geralmente, os  primeiros  sinais clinicos não chamam a atenção do proprietários pois os gatos são espécie com grande capacidade de reserva respiratória e tem  habilidade em lidar com retenção liquida pulmonar, fazendo o seu auto repouso. Mas depois de um tempo começam a aparecer os sintomas mais evidentes, que é a dificuldade, respiratória, a apatia, perda gradual do apetite e perda progressiva de peso,  intolerância aos exercicios fisicos e tosse. Seria a fase onde as reservas respiratórias já estão no seu limite.

A partir desse ponto a Efusão Pleural passa a ser situação emergencial. Todo o cuidado é pouco com os manejos a eles.  Ao exame clincio vão apresentar uma dispnéia inspiratória evidente, estarão em posição esternal e com as partas da frente abertas, alguns gatos estão respirando pela boca – o que indica gravidade da baixa expansão pulmonar – já que respirar pela boca não é um ato do normal do gato. Na maioria dos casos não há sinais de secreção ocular e/ou nasal. Depois desses simples exames, de uma auscultação precisa, deve-se partir para exames radiológicos e em muitos casos uma punção plumonar.

Como causas de EFusão Pleural teremos as ocasionadas por traumatismo torácico que podem levar a um piotórax ( com alta contaminação bacteriana) ou a uma ruptura de diafragma. Outra causa é a de ordem viral compativel com Peritonite Infecciosa Felina, onde ocorre um desequilibrio na dinamica fluidica das pleuras, em função do grande processo inflamatório que esse virus provoca nas cavidade torácicas e/ou abdominais. Temos causa oriundas de Hpatopatias, Doenças Intestinais com perda proteica, Doenças Renais Gomerulares, Doença Cardíaca precoce, Insuficiência Cardiaca Congestiva, Dirofilária, neoplasias, entre outras.

 Por meio de exames básicos como o Rx, análise do liquido pulmonar  e hemograma vamos ter condições de chegar o mais perto possivel das causas e tentar reverter o sinal clinico de uma Efusão Pleural. Mas tenham em mente que ela não é uma doença.  É um sintoma significativo nos gatos e devemos dar a devida atenção.

111004_191210111005_191003111005_191053111004_191132111006_191338

35 Comentários


Fernanda
em

Ola Synara td bem? Tenho lido as postagens em seu site e gosto mt do que leio. Te enviei duas postagens referente minha cachorrinha e você disse que me respondeu mas não encontrei a resposta. Também já lhe enviei um email peguntando como funciona e quanto custa a consultoria. Aguardo resposta! Abraços e parabéns pelo trabalho pelo seu amor aos animais e respeito por nossos sentimentos.



Juliana Coelho
em

Querida Synara!
Que bom que seria se todos profissionais tivessem essa responsabilidade ao conduzir um caso clínico.Já disse isto e volto a mencionar”A clínica é apaixonante e tenho orgulho de ser sua colega.”
Abraço
Juliana



Synara
em

Oi Fernanda. Postagem de novo! Ufa. Obrigada pela participação no site. Mas não precisa participar tanto…
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Synara
em

Oi Juliana. Obrigada, colega!
Abraço!
Synara



hildasp mendonça
em

Synara,Con
tinuo sendo tua fã número 1.Um beijo grande e carinhoso p/ti.



Synara
em

Oi dona Hilda!! Que bom tê-la aqui! Eu sou sua fã também! Afagos nos gatos! Saudades.
Beijo!
Synara



Samantha
em

Synara, boa tarde,

Estou com um gato internato desde 01/12 com efusão pleural. Obviamente, a veterinária não sabe a causa exata, mas fica nos dizendo que é PIF. Está tratando com cefalexina, metronidazol e bezentacil. Já fez duas drenagens (com intervalo de dois dias) e até hoje (05/12) estava ainda sem comer (ele tenta, mas parece que se sente enjoado). Estou assustada e com medo do diagnóstico estar errado, até mesmo pq inicialmente a vet disse que não era PIF pois o liquido dele era amarelo e da doença era incolor (depois descobri que não é verdade), depois disse que devia ser AIDS Felina e agora voltou a dizer que é PIF (como se fosse a coisa mais normal do mundo). Devo levá-lo a outra clínica e pedir uma segunda opinião???



Synara
em

Oi Samantha. Todo quadro de efusão pleural em gatos a primeira suspeita tem que ser para a PIF. O importante é associar corticóide também. Quanto ao liquido puncionado se mandarem para a análise laboratorial com pedidos especificos nessa análise: densidade do liquido, busca de células nucleadas e um exame citológico. Verificar a concentração total proteica do mesmo. Além disso um hemograma é fundamental. Dosagem de porteinas plasmáticas também. O liquido geralmente é claro , ou levemente opaco, varia sua cor de amarelo pálido a dourado. Geralmente, sua consistência é viscosa. Um teste básico é deixar esse liquido em contato com o ar e ver se “coagula”. De todo modo saiba que a PIF com retenção de liquidos em cavidade tem prognóstico desfavorável. Quanto a AIDS pode ter uma associção viral, mas não creio, num primeiro momento. Outra possibilidade de causa é o piotórax. Mas tem que haver situação de trauma perfurante do tórax. Certo? Espero ter te ajudado um pouco. Quanto a pedir opiniãio de outro fica a teu critério.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Samantha
em

Synara, boa tarde,

Desculpe lhe incomodar novamente, mas fizemos os testes e a análise do líquido deu:
Aspecto turvo
Cor – Esverdeado
Densidade 1030
Proteína 4,3 g/dl
Glicose 33 mg/dl
Hemácias 50/mm3
Células Nucleadas 500 mil/mm3
Segmentados 70%, Linfócitos 25%, Monócitos 5%
Presença de Neutrófilos degenerados
No Hemograma, os únicos que não ficaram dentro dos valores de referência foram:
Fibrinogênio (consta com -) e GGT (8,0).
Plaquetas deu 300 mil mm3, praticamente o mínimo…
Retirei da clínica e estou levando em outra, na verdade por que não gostei da atitude da médica que nunca nos liga, não nos passa informaçoes completas, não nos avisa quando faz drenagem, sobre os medicamentos… Você me esclareceu muito mais do que ela.
Por isso te agradeço mais ainda.
Hoje percebi que ele tenta defecar, mas naum consegue (só conseguiu uma vez e bem pouco), tentou comer, mas vomitou… Ainda tem dificuldades em respirar, mas ronrona com carinha e brinca um pouco.

Obrigada novamente.



Synara
em

Oi Samantha. Veja bem: a densidade ( gravidade especifica do fluido) PIF se situa entre 1017 à 1047, o total de células nucleadas varia de 1.600 -25.000 ( ultrapassou muito no caso da teu gato) e há predominio de neutrófilos ( segmentados) e linfócitos o que confere no exame no caso do teu bichinho. Esses dados estão no livro da Dra. Heloisa Justen – grande pesquisadora em doenças de felinos. Talvez a grande quantidade de Neutrófilos caracteriza uma reação inflamatória intensa e , talvez, com contaminação bacteriana associada…Eu acho que é PIF essa Efusão. Chato dizer isso…mas?? Nem sempre os resultados serão os padrões fechados. Por exemplo, a proteina plasmática sendo relativamente baixa, mas para GGT já deu em 8,O…Biologia não é uma ciência exata, por isso a importância de se fazer uma avaliação geral com idade, sinais clinicos, exames laboratoriais, para se firmar uma doença. Pela minha opinião e vivência com gatos portadores de PIF, é uma forte possibilidade de diagnóstico. Quem sabe colocam um dreno fixo no tórax…ajuda. Certo? Pode seguir me dando noticias, no que puder contribuo para teus esclarecimentos.
Abraço.
Synara



Samantha
em

Olá Synara, obrigada pela ajuda. O Castiel hoje está melhor, fez mais duas drenagens (retirou 200 ml) e depois fez outra de 15 ml para fazer uma radiografia. Como não encontramos nenhum tumor, por enquanto a PIF para ser o diagnóstico. Ele fazendo tratamento em outra clínica agora e ainda está tomando cefalexina, metronidazor e enroflaxocina, além de ranitidina, taurina e vit. E. Ele está tão bem que tem horas que nem parece que está tão doente, brinca, pula, come muito (está ganhando peso), me corta o coração pensar na PIF. Estamos aguardando os novos exames que fizemos para confirmar o diagnóstico. Na penúltima drenagem, a vet me falou que o líquido estava sanguilento e que no fundo ficou uma massa branca parecida com pus. No último, o líquido era incolor (feito neste segunda). Na quarta, que foi realizado somente para a radiografia, o liquido estava incolor.
Eu tenho mais uma gata que por enquanto está muito bem e saudável. É difícil… As duas últimas semanas foram de muito sofrimento. Você falou em postagens anteriores que já tratou de gatos que conseguiram viver em torno de 02 anos com PIF. Como foi esse tratamento? Eles viveram bem esses dois anos? Precisava fazer drenagem constantemente??
Ah, o Dreno por enquanto foi descartado, pois ele ainda está muito fraco e pode não sobreviver a cirurgia de colocação.
Obrigada mais uma vez :)



Synara
em

Oi Samantha. No caso que citei era a PIF seca ( sem retenção de liquidos em cavidades) e controlei as reações por granuloma com corticoterapia. Acho, inclusive que deve ser usada a corticorterapia no caso do Castiel. Eu acho que a sonda – dreno – daria mais condições para eliminar mais seguramente esses reações inflamatórias úmidas como se chama, quando há retenção de liquido. É tão simples fazer a colocação do dreno e rápido, e podem usar o anestésico propofol, ou quem sabe uma anestesia inalatória com um bom suporte de oxigênio…A PIF é uma doença com alta taxa de mortalidade, mas eles acabam aguentando um tempo maior pela grande capacidade de compensação respiratória que os gatos possuem. Talvez essas drenagens constantes pode ser mais “arriscada”…se veio sangue deve ter pego algum vasinho, pode ocorrer isso. E também não sei qual a forma que está sendo feita a punção, pois tem toda uma técnica certa para se fazer. Por ai. Certo?
Abraço.
Synara



Samantha
em

Oi Synara, obrigada por responder.

O Castiel está muito bem, está há mais de 10 dias sem drenagem e respirando bem. Conversei com a veterinária sobre os corticóides, porém como ele melhorou ela decidiu manter a medicação. É normal um gato com PIF ter uma melhora súbita?? Se sim, em média quanto tempo dura?
A única dificuldade que tem agora é quem vomitado um pouco (1x por dia), por isso talvez tenhamos que cortar o metronidazol.
Ah, a última cultura que fez deu negativo para bactérias (9/12), achei estranho, mas…



Samantha
em

Oi Synara, desculpe incomodá-la novamente. Estamos completando já 03 semanas de tratamento. Castiel continua bem, mas nos últimos dias passou a vomitar (uma vez por dia normalmente na manhã). Cortamos o metronidazol a pedido da veterinária há dois dias, porém hoje ainda vomitou. Ele deveria continuar com os antibióticos até 05/01, mas será que não é muito tempo? É possível que os vômitos seja por causa da qtde x tempo de antibióticos??
Exceto pelo vômito diário, continua comendo, brincando normalmente.



Synara
em

Oi Samantha. Desculpe a demora do retorno, mas tirei uns dias de descanso. Olha, todo o controle da retenção de liquido dentro da cavidade torácica traz uma boa melhora. Independente da causa. Quanto a PIF úmida, geralmente , o prognóstico é reservado. Pelas minhas experiências o tempo de vida dos gatos com essa forma de PIF não traz uma sobrevida muito longa, a literatura cientifica também afirma isso. O tempo para cada gato é variável…O Bolão do caso clinico sucumbiu a doença semana passada, já a Rute, a outra gatinha permanece bem. Pode haver uma melhora com cura se a causa for piotórax sem envolvimento viral. Mas ai teria que haver histórico de trauma de tórax. Quanto a dar negativo para bacterias, era provável com a associação de antibióticos que ele vinha – vem – recebendo. Quanto aos vomitos, pode ser uma gastrite pelos medicamentos ou alguma alteração de traqueia que possa estar comprimindo o esofago. Teria que haver um Rx para avaliar bem esse pulmão sem liquido agora…Por ai…
Abraço.
Synara



Samantha
em

Synara, tudo bom… COm certeza, férias muito merecidas!!!! Agradeço os post’s e desejo um bom ano pra você e pra todos os pets que cuidar!!! O Castiel continua bem, retomou a rotina e já engordou meio quilo. Fizeram um raio-x antes do ano novo e não indicava mais liquidos. Só o Hemograma que ainda indicava um número pouco acima de leucócitos, por isso a vet manteve a enro e tbem a ranitidina (ele realmente teve uma gastrite e tbem desenvolveu uma ferida por causa da cefalexina). Essa semana ia no HV da UEL conversar com um professor especialista de gatos que quer ver os exames, porém estou esperando um raio-x mais detalhado que devemos tirar somente na semana que vem (o laboratório está mudando e, por isso, não conseguimo tirar esta semana). Apesar de eu estar feliz, ainda estou muito atenta, pois temo que volte a ocorrer. Espero que dê tudo certo com a Rute. Fiquei chateada com o Bolão. E ele parece tanto com o Castiel…
Obrigada por tudo e qlqr novidade lhe notifico!!!!



Synara
em

Oi samantha. Muito obrigada , um bom ano para ti também! Boa sorte com o Castiel!
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Samantha
em

Oi Synara, tudo bem???
O Castiel vai começar o tratamento com Interferon (o último raio-x confirmou presença pequena de líquido), mas não estamos encontrando na cidade de Londrina. Você já utilizou esse medicamento em algum felino??? É realmente tão difícil de encontrar?? Há algum outro medicamento que pode substitui-lo?

Obrigada.



Synara
em

Oi Samantha. Sim, várias vezes usei em gatos. Olha, não sei como é por ai para encontrar o Interferon. Eu conseguia com uma colega que comprava de um distribuidor de produtos hospitalar humano, e ela diluia ( vinha em concentraçao grande), congelava e vendia para nós colegas. Em substiituiçao a ele verdadeiramente náo, mas já usamos muito o Leucogen ( nem sei se existe ainda) para aumento ou estabilizaçao da imunidade. Certo?
Abraço.
Synara



Jacqueline
em

Bom dia Synara, Hoje estou desesperada com minha gata Mel. Eu encontrei essa gata no lixo, tinha acabado de nascer. Cuidei com leite especial, mas as vezes ela tossia desde do primeiro mes de idade eu achaga que tinha engasgado com a mamedeira. Hoje ela tem 2 anos e nesse mês começou a tossir mais, ontem ele estava com a respiração ofegante, chamei o veterinario e ele pediu rx, fiz e deu efusão pleural.Ele vai tirar esse liquido.
Ela vive no meu apartamento junto com um cão piquenês. Eu tenho outros 13 gatos (todos achados nas ruas) mas eles vivem em outra casa,um gato tem a AIDs e jão vive com ela a 4 anos, sempre tomando remédios, mas eles não tem contato com a Mel.
Estou desesperada porque ele disse que a anestesia seria perigoso.
O que devo esperar?
Ela está bem, está gordinha, come e brinca, ronrona o tempo todo que está perto de mim. Ela é minha paixão.
O que devo fazer?
Um abraço.



Synara
em

Oi Jacqueline. Bom, é importante que façam bem a diferença de imagem radiológica por Efusão ou Bronquite Felina. Mas por certo o colega deve ter bem claro essa diferenciação. Em face dela estar tão bem assim é que saliento a importância dessa diferenciação radiológica,. Acho que para a punção, que requer pelo menos uma sedação ela tem chances enormes de passar bem. Se for apenas uma bronquite tem como controlar com corticóide…Por ai, posso te ajudar, espero que tudo corra bem com ela.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Jacqeline
em

Olá Synara. O veterinário fez rx e ela estava com efusão, ele não conseguiu retirar o líquido com seringa e no dia seguinte retirou com um cateter todo “furadinho” (ela foi sedada), retirou 90ml de líquido sanguinolento e fez ultrassonografia de todos os órgãos. Também fez exame de sangue e constatou a leucemia felina –FELVS- Ele disse que ela tem um linfoma que atrapalha, desvia a traquéia e por esse motivo ela tosse e é esse linfoma que faz acumular o líquido. Ele disse que é muito grave e que nesses casos os animais são sacrificados, o que eu não aceito pois essa gata é minha paixão. Já tem quase um mês que ele retirou o líquido e ela ficou ótima, mas agora ela começou a respirar com dificuldades novamente, o coração está acelerado e respira uma média de 37 vezes por minuto, mas não está tossindo, ela ainda está comendo normalmente, toma água e se lambe, mas já não brinca como antes, fica mais tempo dormindo. Eu queria que ele retirasse o linfoma mais ele disse que não tem como porque o linfoma é como se fosse um “chapisco” revestindo o pulmão e no torax. O veterinário também acha que devemos dar o maior espaço possível entre as retiradas dos líquidos (3 ou 4 meses), mas assim ela fica respirando com dificuldades e fico com medo dela estar sofrendo e sofro junto.
Não sei o que fazer e fico com medo de deixá-la sofrendo. Estou dando vitaminas todos os dias ( 0,5ml de Glicopan).
Como ela tosse desde o primeiro mês de vida esse linfoma já devia estar se formando? O que você acha sobre a retirada do linfoma?
Como identificar o momento de fazer a punção novamente para retirar esse líquido?
A Leucemia felina tem algum tratamento?
Muito obrigada pela sua atenção em grande abraço.



Synara
em

Oi Jaqueline. Todo quadro leucêmico com outras infecções secundárias é bem dificil de os gatos se recuperarem. Talvez o melhor seja colocar um dreno torácico fixo e deixar por um tempo, para que essa drenagem seja bem feita.
Não tenho como me posicionar frente a conduta cirúrgica ou não, nãoe stou vendo os exames, mas se é um linfoma mesmo e nessa região , a cirurgia fica bem complicada….Se ela sofrer muito o melhor é fazer eutanásia, sim. Não a deixe morrer a mingua… PIF cruzada com leucemia é complicadissimo!
Abraço.
Synara



Jacqueline
em

Olá Synara.
No mesmo dia que te escrevi, o eterinário levou a minha gata para retirar novamente o líquido, porém ela teve uma parada respiratório e morreu. Ele disse que o linfoma deveria ter crescido muito pois não tinha líquido. Parece que eu perdi uma pessoa muito importante na minha vida, os meus bicho são parte importante da minha família. Acrescentar é tão fácil, perder é que é o problema.
Fiquei tão desesperada. Eu estou grávida e minha pressão subiu muito mesmo com remedios. No dia seguinte meu marido compra uma gata persa, pois não achou nenhum viralatinha para doar. Os bichos que são vendidos não são bem tratados, ela chegou magrinha e cheia de fungos (toda familia pegou os funguinhos delas. Agora ela está linda, e eu tratando dos fungos. Essa gata precisava de mim também, pois se fosse outra pessa que pegasse ela provavelmente devouveria.
Me senti tão culpada por ter mandado o veterinário fazer a pulsão novamente, mas ele disse que ela viveria poucos dias e sofrendo muito. Deus sabe o que faz porque não sei se teria coragem de mandar matá-la. As vezes penso que seria melhor o próprio veterinário tomar essa decisão, sem nem falar nada, porque eu já tive uma cadela com cancer e minha mãe teve que mandar matar porque eu não consegui.

Obrigada por conversar comigo, foi muito importante. Você com certeza é uma pessoa muito especial.
Beijos
Jacqueline



Synara
em

Oi Jacqueline. Que pena que tua gatinha não resistiu, mas isso acontece…Perdas fazem parte da vida. Agora é dedicar tua atenção a essa nova gatinha que veio alegrar teu coração. Realmente, tomar a decisão de eutanásia não é facil! Mas ás vezes é necessário…pior é deixar um animalzinho sofrer sem ter chance de uma vida saudável. Fica em paz!
Abraço.
Synara



Inês
em

Boa tarde!

Li os posts acima e queria, antes de mais, felicitá-la pelo seu profissionalismo e amor aos animais. O nosso gatinho de 4 meses tem líquido no pulmão, foi feita a punção após um primeiro episódio de falta de ar/apatia…Retiraram cerca de 100 ml mas dizem continuar com algum líquido, e após raio-x e através do aspecto do líquido deram-nos uma sentença de morte no hospital veterinário – PIF! Aguardamos o resultado dos outros exames…O Saramago não apresenta mais sintomas, come bem e brinca muito, excepto nos dois dias anteriores à punção. Foi adoptado numa ONG de animais, e pelo contacto com outros animais e episódio de stress (adopção recente – duas semanas), as médicas concluem que só poderá ser Pif. No entanto a nossa esperança mantém-se, pois no centro de adopção disseram-nos que possivelmente terá sido vítima de maus tratos! Custa-nos aceitar o diagnóstico, principalmente antes dos exames ou sequer de terem ouvido a história do nosso gatinho…Acha que há de facto razões para haver esperança? ps- a única medicação que a médica mandou foi furosemida 3mg. Obrigada!



Synara
em

Oi Inês. Te respondi por e-mail, enviaste para minha caixa postal também essa postagem. Espero que tenhas lido.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Simone Avelino
em

olá Dra., preciso de uma outra opinião. Minha gata de 14 anos está com efusão pleural. Ela ainda respira bem e só está tomando medicamento para o coração, porém a possível causa da doença dela seja um tunorzinho no pulmão. Um dos veterinários que ela passou quer que esperemos ela chegar ao ponto de respirar pela boca para fazer a punção, outra, me tirou todas as esperanças, que não há tratamento para ela e se valeria a pena fazer ela passar por isso. Sei que ela é idosa , mas não seria o caso de entrar com alguma medicação, já que as expectativas são poucas?ela come bem, se limpa, pede carinho, será que tenho que esperar algo mais trágico para tomr uma atitude?por favor preciso de outra opinião. A quantidade de líquido não é muita. obrigada



Synara
em

Oi Simone. Acho que devem diferenciar a Efusão Pleural de edema pulmonar com alteraçoes de bronquios. Nessa idade até podemos pensar em tumor, mas gatos são bem suscetiveis a danos pulmonares na velhice.
Bem, acho válido usar um diurético brando ( lasix ) e usar corticoterapia ( meticorten 5mg). Dar 1/2 comprimido de meticorten de 12 / horas por 7 dias e avaliar se ela melhora do quadro. E junto dar um comprimido de enrofloxacina ( essa medicaçaão é veterinária) que é um antibiótico para evitar infecções pulmonares. 1/ 2 comprimido de 24 em 24 horas por 10 dias seguidos.
Acho que te deixei umas dicas que pode contribuir para o teu relato. Boa sorte!
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



maria fernanda
em

Dra. boa noite!
Estou muito aflita, pois a mais ou menos 1 mes me gato de 9 meses mestiço siamez apresentou um abdomem muito grande. Levei prontamente na veterinaria, ele pediu um ultrassom, onde se notou a presença de liquido. Ela me falou, tem todas as caracteristicas da pif. Ele fez dois hemogramas tb, parece que houve alteração no anti corpo, não entendo. Foi feito tratamento com antibioticos, baytril e depois synulox. Tambem tomou antiflamatorio com cortizona, não sei o nome e dou a vitana glicopam todos os dias. A veterinaria me disse que ele estava reagindo bem, pois não parou de comer, estava se alimentando.
Mas eu estava e estou muito encomodada com o abdomem dele, muita agua, e então perguntei se poderia fazer uma punção no abdomem. Ela disse que não era muito bom, pois a agua ia voltar. Eu fiquei martelando. então ela decidiu fazer outro ultrassom e tirar o liquido com ciringa. Quando cheguei lá hoje, eles viram o gato muito inchado e o liquido aumentou. Teria que sedar o gatinho, mas ela e o radiologista me falaram que o figado dele estava com um…não me recordo e ele poderia não aguentar a sedação e morrer. Voltei para casa com o meu gato estressado, não quer comer e com todo o liquido…fiquei com muita pena na hora que enfiaram a agulha na barriguinha dele. O liquido vai para análise.
Me diga por favor, não é necessário tirar esse liquido para que ele fique melhor, pois ainda não atingiu o pulmão.

agradeço antecipadamente
Fernanda



Synara
em

Ola Maria Fernanda. Acho que eles devem ficar cautelosos em retirar todo o liquido…e nao se pode tirar tudo. Mas vale a punçao para o exame do liquido e ai se retira maior quantidade como tentativa de alivio do desconforto que ele sente. Mas saiba, se for PIF, com essa idade, ele tende a não se recuperar. Sinto te dizer isso. Se for PIF ÚMIDA. Certo?
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Denise
em

Bom dia,Dra. Tenho um cocker spaniel que pelo me parece está com efusão pleural. ele está com todos os sintomas apresentados: patas dianteiras abertas, dificuldade de se locomover,caixa toraxica inchada e urinando espumoso.Ele está tomando doxiclina pois segundo exame , está com erliquiose. Há cerca de uns dois meses atras teve um grau de infecção muito grande devido a uma luxação na perna e seus leucócitos chegaram a 41.400u,El está perdendo e fez tratamento a base de corticoides. ficou bom da luxação , masesta perdendo peso e apresenta o quadro acima. Estou desesperada , pois moro num interiorda bahia , onde não há clinica veterinárias de porte . O que posso fazer para ajudar meu filhinho?



Synara
em

Ola Denise. Estou com as respostas do site muito atrasadas em face de muito demanda, preciso saber o estado atual do teu cão para poder te dar um luz sobre o caso dele. E a idade dele é importante saber também. Se quiseres retorne a postagem atualizada.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Samanta
em

Boa tarde Dra Synara!

Fiquei muito feliz em ler suas orientações no site, parabéns pela sua atitude.
A mais ou menos um mês estou sofrendo com meu gatinho, Kabelu, tem 11 meses e a mais ou menos 1mês começou a ter, sintomas, como falta de apetite e muito sono e febre, começou a espirrar a ter um liquido incolor saindo dos olhos, levei após 4 dias dos sintomas a veterinária dele, ele foi tratado por 7 dias com antibioticos (Amoxicilina) e anti-inflamatorios, tambem estava tomando vitaminas, ele melhorou em relação aos espirros, e na secreção ocular, acabou, porem continuava só dormindo e muito restrito em relação a alimentação, levei ao hospital veterinário, para maiores exames, e foi diagnosticado com Leucemia, ficou internado por 2 dias, devido a desidratação e para baixar a febre, no dia seguinte apos ficar no soro, começou a ter liquido no abdomem, porem melhorou o apetite, a veterinária retirou o liquido do abdomem 200ml, e o trouxe para casa, com o diagnostico de leucemia felina e PIF úmida, esta tomando interferon, vitaminas, alimentação diferenciada, mais outros dois medicamentos que não me recordo o nome e continua com o antibiotico, ele esta comendo, porem continua com liquido no abdomem, a veterinária me disse que o máximo que um paciente dela viveu com essa doença foi 1 mês, me deixando absolutamente arrasada, desde que começou o tratamento dele, choro todos os dias, por saber que logo logo ele não estará mais comigo, rezo a Deus todos os dias por um milagre, mas se não for possivel que pelo menos ele não sofra enquanto estiver comigo…
Resolvi escrever para desabafar minha tristeza em ver meu amado Kabelu sofrer, estou fazendo tudo que posso, mas como foi dito aqui não existem muitas esperanças.



Synara
em

Ola Samantha. Pois é triste isso, mas se for PIF a sobrevida é curta…O tempo vai variar conforme reação do paciente ao virus e ao tratamento. Mas geralmente se é PIF úmida o indice de mortalidade é alto, quase que 100%. Infelizmente…Sinto por ti. Mas toca para frente, perdas fazem parte da vida. Obrigada po usar esse espaço para teu desabafo. Ajuda outras pessoas que também passam por isso. Paz no teu coração.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária


Comente