Lobo Homem. Cão humano. Que confusão!


Fotos Agosto de 2011 - Maluco Beleza 075 Com compromisso firmado comigo mesma preciso manter meu site em dia. Mantê-lo em dia é deixar algo para que todos possamos parar e pensar; nem que seja por um minuto de leitura. Estou envolvida com estudos para aprofundar todos esses pensares que me invadem e me fazem sedimentar em fundamentos teóricos deixados por tantos outros que observaram a vida e seu ritmo. Com isso hoje deixo, mais uma vez, um poema, alimento da alma que voa…E estou em vôo perene.

Tenho como privilégio ter sido guiada por um ser humano que me deu forma em corpo. Meu pai foi um poeta do universo e com seus versos abro esse meu poema com o dele:

“Não/ O poema não se apanha/ O poema desce na gente como um sopro que vem do alto/ Para transfigurar-se em música e beleza/ Na sesmaria branca do papel/ Nasce como um filho das entranhas da mãe/Na hora certa da vida/ Nem antes/ nem depois…(…)

                                   Lobo Homem. Cão Humano. Que confusão!

Meia noite/ lobisomem a arrastar-se entre os homens/que se dizem  humanos/ na selva bruta do viver aqui/ no hoje da vida// AuuuuuuAuuuuAuuu…// Nasce em mim o uivo de um cão ferido / na civilização perdido / a clamar perdão por todos nós/ seus irmãos de chão. //

Coça e coça/ a orelha que capta sons alheios…/ Lambe e lambe o corpo/ no asseio da purificação diária…/ Enrodilha-se feito serpente / que tenta o coração…/ Rói que rói o osso/ que atravessa a garganta do dono // Angústia? / Meu cão a salvação! / Pensa o homem… // E late o cão / a rogar compreensão…//

Abana o rabo / timido / na submissão necessária para tê-la… // O dono condoído / afaga a cabeça de seu cão / Toca-lhe o focinho seco/ na constrição glandular da reação,  apenas… // Febre!

Corre o homem / ao douto que estudou o bicho… // Atônito na ansiedade alheia / mete tubos, canos, luzes, sons e ultrassons / O sangue pulsa / a derme arde / o olho seca… // Desfalece o cão… // E vem medicação: soro, antiinflamatório, antibióticos, diuréticos, vitaminas… // Desanima o dono na hora da conta… // Que tem meu cão? / Pergunta ao douto confuso… //

Erlichiose…/ Leishimaniose…/ Gastrite… / Sinusite… / Hepatite… /  Seborréia… / Giardíase… / Cinomose…/  Ou será Epilepsia? // Olham-se cúmplices/ douto e dono / na indiferença do cão / que não entende o que se passa… // Pomada passa? / Cataplasma passa? / Gardenal passa? //

Tudo passa / quando o cão levanta / sacode o corpo / balança o rabo e diz sob o espanto dos homens / que crêem que o animal não  fala: ” Sou um cão sendo encarado como um homem… / Esse o erro… / Sou um cão visto como a libertação / da dor sentimental humana… / Esse o erro… / Sou o cordeiro do lobo homem… / Esse o erro… //  AuuuuuuuAuuuuu / uiva o cão / e some na noite escura / de uma humanidade animal / que retrocede…

                 Synara Rillo, Zimbros, planeta terra, em 10/08/2011, mês do cachorro louco.

Até o próximo poema.

4 Comentários


vera
em

Sua foto se assemelha mais a um anjo em extase abençoando nós outros!!Linda!!Gostei muito.

Vc segue Sr Aparício em suas andanças pelas profundas de belos poemas, muito bom!!!!Sempre estou relendo os poemas dele que me enviou, não cansam, cada vez são novos encontros em seu enfoque.

O bicho humano , vai aprendendo com vc, sim, sua luta vale a pena…meus bichos felizes , livres, ( devendo em muito nossa amizade), já não sofrem agoniosas horas de limpa, esfrega e vamos acabar com fungos, pragas…..um funguinho atoa é permitido , uam pulguinha é catada à unhas….em horas de meditação de sua dona….e assim, Dra Synara, não lhes é uma estranha, mas uma “madrinha ” abençoada.

Boa sorte, até mais.

Abraços
Vera



Harry Junior
em

Querida Synara! Estou aqui novamente em teu site para ler teus artigos. Um programa maravilhoso em uma noite quente de Agosto.Tens muito talento e não poderia ser de outro jeito. Teu pai é …. assim mesmo: É luz para todos que apreciam poemas.

Assim que meu pai faleceu… ganhei de presente de um amigo dele um Cd com todas as músicas de meu pai ( Harry Rosa ) pelos festivais da vida. e ele colocou um verso de Aparicio Silva Rillo: ” Quem morre, pensa que morre, Mas quem deixa descendentes nos seus filhos renasceu. É campo nas invernadas das sesmarias cortadas, sei que você me entendeu.
Nunca mais esqueci disso até porque li em um momento frágil de meus 15 anos de idade. Mas a vida corre depressa e quero te parabenizar mais uma vez pelos teus artigos, teus pensares.

Aqui em Porto, a vida segue em uma velocidade impressionante, mas sobra aquele tempo agradável para apreciar um bom vinho, tocando um violão com meus amigos, curtindo minha filha brincar e ler teus artigos.

Um forte abraço amiga, a caminhada só está começando e a trilha nem sempre é conhecida exigindo da gente experiência e talento nas adversidades.



synara
em

Oi Junior!
Muito obrigada pelas palavras. Tu vê meu colega e amigo…Eu não sabia que tu és filho do grande Harry Rosa..Grata surpresa.
Pois então..seguimos na luta com espinhos ou com rosas a nos tocar a pele. Isso é o viver aqui na terra. Quando nos barram os espinhos, crescemos; quando desabrocha a rosa vencemos uma parte de um longo caminho que todos temos pelo universo.
Deixo aqui registrado que o Médico Veterinário Harry Júnior é um grande profissional, com competência de sobra! E com uma humildade rara de se encontrar em nosso meio profissional. Pede ajuda, troca experiência e aprende. Tanto quanto ensina. Em nossas trocas clinicas sei que te ajudei por ter mais tempo de profissão, mas muito aprendi contigo também, amigo.
Galera de Porto Alegre, tem um bom profissional por ai!
Grande Abraço, guri.
Synara



Synara
em

Oi Vera! De anjo não tenho nada….rsssr Obrigada pelas, sempre, palavras de incentivo. Espero que esteja tudso bem por ai, em especial com tua mãe.
Abraço!
Synara


Comente