Minha vida é pelos bichos…


 Agostosetembrooutubro de 2010 zimbros 146                                                     Essa frase que intitula esse artigo condiz com a mais pura verdade sobre mim e sobre como atuo na profissão. Desde que me formei em Medicina Veterinária minha vida se mistura por completo aos cães e gatos. Quando me refiro a essa completude é porque, praticamente, não separei minha vida pessoal ( mas a particular e privada, direito de todos, essa mantive e mantenho) da vivência com a profissão. Sempre me percebi vivendo , experimentando, estudando, convivendo, aprendendo, sofrendo, gostando, gastando e amando essas duas espécies que são os cães e os gatos. Como se meu consultório fosse o meu cotidiano. E era. Protegi no que pude essas espécies, muitas vezes sucumbindo, mas tentando aprender a lição que possui uma importância grande na vida de qualquer um de nós: a lição do desapego

Talvez o mais dificil aprendizado que precisamos levar dessa vida. E é dificil por que entra direto pela via sensivel e terna que leva ao coração. A humanidade  está indo por caminhos demasiados confusos no progresso como sociedade e como individuos, tornando cada ser humano com propensões sensoriais mais fisicas para buscarem esse caminho do viver. Querem sensações fugazes e prazeres imediatos, e o resultado disso tudo, dessas exigências auto impostas e sociais, é a sensação de fim de linha,  depois dela sentem o vazio  e retornam cientes de que a ilusão é melhor do que a liberdade. Doce engano.

Qualquer sentimento que fica misturado ou entremeado por meras sensações sentimentais, sem terem um valor efetivo como agente que beneficia a si mesmo e ao todo – e a todos – se transforma em uma emoção venenosa demais denominada ansiedade. E essa emoção  quando em sutil descontrole explode sem bom senso interno, gerando dor de várias magnitudes sentimentais aos seres humanos. E sem bom senso interno, sem equilibrio emocional, o homem percebe o amor como um sentimento pesado demais. E vive apegado, prendendo e se deixando prender.

Deixo essa introdução nesse artigo como forma de alerta para que possamos rever nossas atitudes, sentimentos e nossos apegos. Mas o que quero, realmente, abordar nesse artigo,  é sobre a forma que as pessoas e os profissionais da Medicina Veterinária voltados para área dos animais de estimação estão tratando as doenças de caráter crônico com prognóstico grave ou irreversível. Como também questionar sobre as doenças inerentes ao envelhecimento nesses animais e suas abordagens terapêuticas.

Sabemos que os cães e gatos são parceiros do ser humano a cada dia mais e essa relação traz elos de sentimentos, que são potencialidades humanas expressas conforme suas capacidade de amar. Uns amam com tanto sentimento depositado que o verdadeiro amor por esses animais desaparece e  fica o apego juntamente com a sombra da dor da perda. Como se perder um ente que partilha a vida conosco fosse perder a própria vida. É essa contradição que permeia o coração do homem em relação aos bichos. E é esse sentimento que deve ser compreendido pelos profissionais da Medicina dos cães e gatos, e mais do que compreendido, trabalhado.

Na atual conjuntura exercer a medicina de animais de companhia virou modelo padrão da medicina empregada para os homens. Esquecem das marcantes diferenças comportamentais que separam essas espécies versus seres humanos. Esquecem, da mesma forma, as diferenças de potenciais biológicos que é a base para a forma de sentir e expressar a vida. Quanto mais capacidade neuronal, ou seja, quanto maior a estrutura cerebral daqueles que classificamos de mamíferos - onde estão inclusos os seres humanos, os cães e gatos -  maior serão as suas compreensões sobre a captação da vida em toda a sua sutileza.

E são nessas sutilezas que a vida se expressa de forma especial e diferenciada para cada uma dessas espécies; e são essas perceções que  graduam, digamos assim, o nivel de consciência. Quanto maior a consciência,  maior é o grau de capacidade de sentir prazer ou dor. Quando essa consciência se expande passamos a nos tornar cientes de um sentir que transcende o fisico, dando origem ao subjetivo. E é nesse grau de capacidade que surgem os sentimentos humanos, que podemos explicar –  ou exemplificar - como o apego, o ciúmes, a solidão, a auto piedade, a baixa estima – ou a auto estima – os pânicos, a inveja, assim como,  todos os sentimentos virtuosos que são inerentes ao potencial de amar do ser humano.

Por essa extrema proximidade  ambiental que une os cães e gatos aos seres humanos aos dias de hoje,  é que tendemos vê-los com todos esses potenciais de conciência amorosa, tornando-os nossos reféns. A consciência neles é infinitamente inferior a nossa, por isso o que é do  subejtivo para eles não tem o mesmo valor que tem para cada um de nós como espécie humana.  Portanto, sofrem quando são amados demais e de forma equivocada. Sofrem quando não são entendidos. E sofrem seus donos quando não os compreendem. É essa questão que levanto frente às  doenças de díficil controle ou irreversíveis no atendimento clinico aos cães e gatos e todo seu referencial demasiado humano.

Agostosetembrooutubro de 2010 zimbros 151 Cresce a Medicina Veterinária em capacidades tecnológicas para ajudar na resolução dos problemas fisicos dessas espécies e me parece que decresce no quesito bem estar animal. Como se oferecer bem estar animal fosse apenas uma Clinica Médica Veterinária bem equipada. E é muitíssimo além disso. Bem estar animal é conhecer as espécies em suas essências primárias. É conhecer seus comportamentos instintivos adaptados a ambientes humanos e sob condicionamentos aplicados por essa convivência cotidiana e repetitiva. Bem estar animal é ajudar os donos a enxergarem seus animais pela ótica das suas realidades de bicho e de potencial biológico.

De que vale um tomógrafo se nem conhecemos a fisiologia e anatomia básica do cérebro de um cão e gato? De que vale uma ecografia se um profissional Médico Veterinário não conhece o funcionamento dos órgãos abdominais e suas alterações morfológicas? De que vale um hemograma se não analisarmos em conjunto ao exame clinico de um cão ou gato? De que vale a vida de um animal que convulsiona sem parar com idade de 13 anos ou mais, de que vale a vida de um cão racial que sofre sequelas futuras pela mão usurpadora de quem vende cães e gatos de raça? De que vale um bicho que sofre tendo sua liberdade sensorial  fisica tolhida?

São essas questões, entre tantas outras, que me fazem pensar que os donos de animais estão iludidos com suas presenças em seus cotidianos, que está havendo muita projeção sentimental sobre eles, que eles estão sendo sufocados por tanta tecnologia e por pouca compreensão, remédio fundamental para um bem viver dos animais.  E estamos necessitados de compreender os animais e não somente de amá-los.

    Agostosetembrooutubro de 2010 zimbros 129                                                   Amá-los sem um coração ativo, sem um bom senso conscencial, sem compaixão,  com apego, sem respeito aos seus potencias de bichos,  é aprisiooná-los  dentro de um coração humano pequeno e simplista. Para amar temos que ter a liberdade regendo a convivência inter espécie, liberdade essa calcada sobre o senso sentimental verdadeiro e puro que podemos ofertar aos nossos animais de estimação. Compaixão quando é preciso pode ser a solução para o bem estar de nosso paciente ou do nosso cão e gato que padece de uma doença sem chances de recuperação efetiva ou de um envelhecimento sem qualidade sensorial eminentemente ativa.  Devemos dar atenção aos donos, explicando o que é um bicho, como agem, reagem e como percebem a vida, ajudando-os a terem uma relação mais tranquila com seu animal de estimação. Temos que conhecer fisiologia a fundo, comportamento e interação ambiental. Os animais são estóicos por natureza. Se estão adoendo e  padecendo tanto com exames em escala industrial – praticamente, é por que está conveniente para algumas pessas – tanto donos quanto profissionais da Medicina Veterinária . Dinheiro rola solto na nossa  profissão de clinicos de pequenos animais. É o dono ansioso e  perdido  quem  ajuda a manter esse ciclo perverso de um falso bem estar animal.

Ame seu cão ou gato com despreendimento que o envelhecer será tranquilo. Os animais vão desacelerando de forma adaptativa. E um dia a hora derradeira virá. O tempo de vida deles é menor que o nosso, isso já nos faz pensar o quanto a natureza é sábia e mestre, mandando o animal ensinar para o homem a lição do desapego e da compaixão.

Atenda seu paciente com mais naturalidade e natureza respeitada, use bom senso, cautela, analise, pense, estude, troque idéias, estude comportamento animal, seja um bom fisiologista e verá que é bem simples tratar de bicho,  e que é  possivel  ser compreensivo -   não cúmplice  – com as dores humanas que invadem as clinicas que tratam cães e gatos. Prevenção é o caminho certo para verdadeira proteção animal. E sem maiores exames .

Observei uma quantidade exagerada de exames ( alguns sem sentido entre si),  com os comentários que postam aqui no meu site,  e da mesma forma com a quantidade de situações clinicas graves, com animais idosos, muitos sem real qualidade de vida, e com o apego do dono precipitando mais e mais sofrimento fisico aos animais. Donos perdidos e seus cães e gatos sofrendo. Foi isso que me motivou a escrever o artigo acima,  e falar do bem estar animal em essência de forma mais terna e ética.

Até o próximo artigo.

16 Comentários


Harry Junior
em

Adorei teu artigo Synara!!! Beijão!



Synara
em

Oi Júnior! Obrigada, amigo. E o consultório? Cheio de pacientes?? Com certeza, pelo bom profissional que és na Medicina Veterinária.
Beijo!
Synara



Marlova Oliveirass
em

Synara, perdi todos os teus contatos! Estamos na Penha. Nos ligue: 47-3345.5314/519307.1615/519164.2683. Nos liga!
Estamos c saudades. beijo! Lova e João



kelly
em

Dra. Sinara, ainda sofro com a perda da minha cachorrinha 8 meses depois que ela partiu, sei que cometi muitos dos erros citados acima no seu artigo e ter esses esclarescimentos é de extrema importancia para que os donos nao sofram como sofri.



Synara
em

Oi Lova!
No Carnaval me escondi, muita zoeira à volta não é comigo. A mãe estava aqui e ficamos descansado. O tempo não ajudou muito também para curtir praia , as estradas lotadas. Que pena, mas assim que der a gente se vê. Perdeu meus contatos como??? Não te vejo mais no msn…
Beijos em vocês.
Synara



synara
em

Oi Kelly. E é uma dor chatinha perder um bicho que nos acompanha na vida. Mas acontece…Mas também passa. Obrigada pelas palavras de incentivo para seguir com o site e sua proposta.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Shirley Bentes
em

Dra. Synara,
Descobri seu site pesquisando a respeito de alguns sintomas do meu cachorro no google, e imagine q a Sra. ganhou uma admiradora feliz em saber q existem profissionais de sua competencia e muito triste, em saber q na minha cidade ( sou de Manaus-AM) jamais poderei contar com sua competencia, mais ainda assim, obrigada por amar tanto nossos animais e tratá-los com tanto respeito, dedicação e muita seriedade.



Synara
em

Oi Shirley. Muito obrigada pelos elogios, sempre é um estímulo para seguir na luta…
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Luciane
em

Ler seu artigo e outro sobre convulsões me acalmou muito, pois há meia hora minha cadela Border collie teve a primeira convulsão da vida dela (ela tem mais de 12 anos), fiquei apavorada pois o celular da veterinária estava fora de área (são 23 horas)e acalmei a cachorra como pude. Agora ela está melhor, eu estou melhor ainda depois de ler seus artigos esclarecedores e verdadeiros e amanhã será outro dia… Obrigada



Synara
em

Oi Luciane. Puxa, que palavras bonitas tu me deixou aqui…meu objetivo parece que está se cumprindo, que é ajudar aos animais, e aos donos a terem mais serenidade frente as situações de desequilibrio orgânico dos seus animais de estimação. Muito Obrigada! Vou rezar que tu corra bem com tua cachorra.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Watiila Cirqueira
em

Dra Synara estou passando por dias angustiantes pois minha cadelinha Mell está tendo crises convulsivas e na minha cidade carece de med. Vet, tem apenas dois mais eles não me dão diagnósticos por não ter como fazer exames. O estado dela me parece muito crítico, porem ela esta se alimentando direitinho, as fezes dela me parece normal, mais ontem a noite ela vomitou bastante, porém hj não.

Os olhos dela tem inchaço, as patas dela estão perdendo o equilíbrio, ela tenta brincar mais derrepente cai pois não consegue ficar de pé, eu tenho chorado bastante, nem me alimento direito por vê-la nesse estado.

Dra ela tem apenas 3 meses, tomou 2 doses da vacina vermífugo, sendo que o veterinário aplicou nela a vacina nacional, depois de várias crises convulsivas um vet que a examinou suspeitou de erlichiose então ela passou um energético de glicose, e tbm doxiciclina, já o outro descartou essa ipótese (erlichiose), e disse que é mais pra sinomose, ela esta tomando vitaminas complexo b, antibióticos injetável mais está indo de mal a pior, e o pior que ela já é praticamente um pedacinho de mim e eu estou padecendo.

Se puder me ajudar Dra por favor responda meu e-mail, sou do Maranhão e moro no interior

De já agredeço toda sua atenção e muitíssimo obrigada.

Watiila



Synara
em

Oi Watila. Acabei de responder teu e-mail. Veja lá o que penso sobre isso.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Lucia
em

Boa noite,

Estou tentando comprar o teu livro e não estou encontrando em nenhuma livraria, poderia me passar o contato?
Como vc já me respondeu em outro artigo sobre a minha cachorrinha e lendo agora teu artigo, preciso demais confortar meu coração, tenho um amor exagerado com animais e sei que não é bom nem para eles e muito menos para mim, por mais que eu pense que agora ela está melhor, descansando, eu que estou péssima, e tenho mais 7 cães e eles precisam dos meus cuidados.
Parabéns mais uma vez, pena eu morar tão longe de vc, mesmo sendo gaúcha, resido em são paulo, e depois dessa experincia horrivel que passei, aqui realmente está dificil encontrar um profissional competente e que tenha respeito pelo nosso amor animal.
Obrigada
Lucia



Synara
em

Oi Lucia. O meu livro “Cães, Donos e Dores Humanas” tu consegue comprar pelo site da Livraria Cultura. Enrtregam em 10 dias, acho. Pois então, temos que rever nossos conceitos e apegos aos animais de companhia por que sofremos nós – sem necessidade – e padecem eles.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária



Lucia
em

Ok,
Consegui comprar pelo site que vc indicou, e espero aprender um pouco ou desaprender sobre apegos.
bjus no coração, mesmo sem te conhecer pessoalmente já sou sua fã numero 1.



Synara
em

Oi Lucia. Que bom que encontraste meu livro! Acho que vai te ajudar a rever conceitos sobre os cães e nossos apegos, sim. Muito obrigada pelas tuas palavras e por ter adquirido o livro.
Abraço fraterno
Synara Rillo
Médica Veterinária


Comente